Aluísio Azevedo

O maranhense Aluísio Azevedo é autor de uma obra bastante irregular. Necessitando manter-se financeiramente a partir do jornalismo e da literatura, produziu uma obra romântica, ao gosto do público, e de gosto artístico duvidoso (A Mortalha de Alzira e Uma Lágrima de Mulher, por exemplo).

Paralelamente, tentou empreender uma obra mais corajosa e trabalhada esteticamente, pautada relos moldes naturalistas. De um grande projeto inicial, que pretendia produzir vários romances que analisassem toda a sociedade brasileira, conseguiu escrever apenas O Mulato (1881), Casa de Pensão (1883) e O Cortiço (sua melhor obra, de 1890).

Antes de resolver dedicar-se à literatura, trabalhara como caricaturista em jornais políticos e humorísticos. Em 1895, abandonou a pena e entrou para a carreira diplomática, servindo o Brasil em Vigo, Nápoles, Tóquio e Buenos Aires, onde morreu.

Além de romances, escreveu e produziu peças de teatro (sobretudo em parceria com o irmão Artur Azevedo), escreveu contos, crônicas e novela policial.

Retrato de Aluísio Azevedo

Por: Paulo Magno da Costa Torres

Veja também: