Home Biografias > Biografia de Benito Mussolini

Biografia de Benito Mussolini

Criador do Fascismo e  ditador da Itália, também denominado de Duce (chefe). Nasceu em Dovia na província de Forli a 29 de julho de 1883.

Publicidade

Em 1910 tornou-se secretário do Partido Socialista em sua cidade natal e dois anos depois edita o jornal oficial do Partido, o Avanti!. Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial adotou a posição de pacifismo do Partido, mas depois defende ardorosamente a entrada da Itália na guerra ao lado da França e da Inglaterra; foi, então, expulso do Partido.

Funda em 1914 o jornal I Popolo d’Italia (O Povo da Itália) e organiza os Fasci d’AzioneRivoluzionaria.
A Itália entrou na guerra em 1915, Mussolini lutou nos campos de batalha e foi ferido em 1917. Em 1919, funda os Fasci di Combattimento em Milão e prega uma posição de cunho nacionalista e antiesquerdista. Une-se à burguesia e aos latifundiários que temem o avanço do comunismo, recebendo grande ajuda financeira. Seus grupos paramilitares atacam e matam centenas de militantes de esquerda.

Em 1921 entra para o parlamento e funda o Partido Nacional Fascista. Em outubro de 1922 marcha sobre Roma e o rei Vítor Emanuel não vê outra alternativa senão pedir para que ele componha um novo governo. No ano seguinte criou o Grande Conselho Fascista e o parlamento “depurado” dá-lhe pleno poder.

Em 1925 seu governo é uma ditadura aberta, a oposição é exterminada, as eleições para cargos públicos são feitas pelas corporazionis, que também ocupam o lugar dos sindicatos.

Sem um grande poder militar, as aventuras externas de Mussolini resumem-se na Albânia em 1927, na Etiópia em 1937 e seu auxílio a Franco durante a Guerra Civil Espanhola. Realiza o pacto Roma-Berlim com Hitler, aliança que lhe valeu uma fatia da Iugoslávia.

Suas derrotas consecutivas na Grécia em 1940 e na África em 1941 proporcionaram um golpe que o derrubou em 25 de julho de 1943, consentido pelo seu Grande Conselho Fascista; é preso e só libertado pela ajuda dos alemães, readquirindo o poder no norte da Itália. Porém vem o colapso do nazi-fascismo, o Duce tenta fugir para a Suíça com sua amante Clara Petacci, mas é presos pela resistência italiana, os partigiani. Os dois são executados em Dongo, próximo ao lago de Como, a 28 de abril de 1945.

Publicidade

Veja também: