Home Biologia > Ecologia > Poluição da Água

Poluição da Água

É muito comum que as águas já usadas nas residências, contendo fezes humanas, urina, restos de comida, sabões e detergentes, sejam despejadas nas águas de rios e lagos, diretamente ou pelas redes de esgoto causando a poluição da água.

Em pequenas quantidades essas substâncias sofrem o proces­so da decomposição, isto é, biodegradação pelos microrganismos decompositores. Entretanto, quando despejadas em grandes quantida­des e sem tratamento, provocam um aumento considerável na população desses microrganismos, que, ao respirarem, consomem o gás oxi­gênio dissolvido na água. Como consequência, os peixes podem mor­rer por asfixia, devido à redução do teor de gás oxigênio.

Outro fator que contribui para a poluição da água são os adubos químicos, que contêm principalmente nitrogênio e fósforo, eles são levados pelas chuvas e atingem rios e lagos. Aí juntam-se às substân­cias existentes nos esgotos residenciais, nutrem as algas, que também proliferam e, em grande quantidade, impedem a passagem da luz para a água. As plantas que vivem no fundo não podem, assim, realizar a fotossíntese e, portanto, não produzem gás oxigênio. Com isso, elas e os peixes para os quais servem de alimento, morrem. Mas as bactérias anaeróbicas, causadoras de inúmeras doenças, permanecem vivas.

Poluição da Água

Além de matérias orgânicas, muitas substâncias perigosas, como os metais cádmio, chumbo e mercúrio, são despejadas pelas indústrias nas águas dos rios, pondo em risco a vida de todas as espécies aquáti­cas que neles habitam. Esses metais, muito densos, são solúveis na água e, por isso, de fácil absorção pelos organismos vivos. O mercúrio, por exemplo, apresenta efeito cumulativo, concentrando-se ao longo das cadeias alimentares. No ser humano — um dos últimos consumi­dores —, ele pode provocar lesões no sistema nervoso, principalmente no cérebro e na medula, no fígado e nos rins.

Esses metais, bastante venenosos para os seres humanos, são en­contrados em baterias elétricas. Por esse motivo recomenda-se muito cuidado para o descarte de baterias usadas. A maioria dos fabricantes mantém um serviço para recebimento de baterias gastas — principal­mente as de telefones celulares — para que, depois, sejam adequada­mente dispensadas.

O mercúrio tem ainda um grande emprego no garimpo do ouro, com o qual forma um amálgama. Depois de separado do ouro, é rejeita­do diretamente nos rios.

Muitas substâncias nocivas à saúde são lançadas diretamente nos mares por rios poluídos que neles desaguam e, como consequência, as praias ficam impróprias para banhos de mar.

Entre as medidas que podem ser tomadas para despoluir ou evitar que as águas sejam poluídas estão:

    • o tratamento e a ampliação das redes de esgoto;
    • o tratamento das substâncias tóxicas produzidas pelas indústrias, tor­nando essas substâncias inofensivas;
    • a construção de emissários submarinos nas cidades litorâneas;
    • campanhas educativas que esclareçam à população de que nossos rios, lagos, riachos, córregos, mananciais, mares etc. são fontes de vida.

As leis brasileiras de proteção ambiental são bastante avançadas. Cabe ao governo fiscalizar, punir e multar os responsáveis por crimes ecológi­cos, o que nem sempre acontece. Mas o cidadão também deve se conscientizar de sua responsabi­lidade e de que pode assumir atitudes simples para minimizar a poluição da água, como, por exemplo, usar ape­nas detergentes biodegradáveis.

Outro grave tipo de poluição, que prejudica a fauna e a flora marítimas, decorre do vazamento de óleo de navios petroleiros ou da ruptura de dutos que transportam o óleo da refinaria aos tanques de abastecimento.

Por: Renan Bardine

Veja também: