Home Biologia > Importância dos Fungos Para o Homem

Importância dos Fungos Para o Homem

Desde os tempos mais antigos, os fungos vêm fazendo parte da vida do homem de uma forma muito especial, pois têm sido fonte de remédios, de alimentos, e utilizados em indústrias de bebidas, panificação e outras.

Os fungos desempenham importante papel no equilíbrio da natureza, pois, como as bactérias, exercem o papel de decompositores, degradando o corpo de animais e vegetais mortos ou, então, restos desses organismos, como folhas e frutos, peles, fezes etc. Dessa maneira, transformam a matéria orgânica em matéria inorgânica simples, que pode ser reaproveitada por outros seres vivos.

O homem tem aproveitado a atividade fermentadora de certos fungos, como as leveduras, para a produção de alimentos, combustíveis e bebidas fermentadas.

Para obter energia, leveduras do gênero Saccharomyces realizam um processo chamado fermentação alcoólica. Nesse processo, transformam carboidratos (açúcares) em álcool e gás carbônico.

Importância dos fungos.
Pão e vinho, produtos produzidos por meio da fermentação alcoólica realizada por fungos (leveduras) do gênero Saccharomyces.

Quando se faz o pão, esses fungos são adicionados aos ingredientes da massa, e o gás carbônico produzido na fermentação forma pequenas bolhas e faz a massa crescer.

Ao ser esta levada ao forno, o calor faz as bolhas de gás se expandirem, aumentando o volume da massa, deixando-a cheia de buraquinhos e macia. Enquanto o pão assa, o álcool evapora e os fungos morrem.

Os furinhos que aparecem no pão, depois de assado, foram causados pelas bolhinhas de gás que se formaram durante a fermentação. Na produção de bebidas como o vinho, a cerveja e a aguardente (pinga), é usado o mesmo processo de fermentação alcoólica, só que, nesse caso, o que interessa aos produtores é o álcool produzido durante a fermentação do carboidrato (açúcar) que existe na uva, na cevada e na cana, respectivamente.

O álcool, usado como combustível nos automóveis (etanol), solvente ou desinfetante, também é produzido por leveduras a partir da cana-de-açúcar.

Muitos fungos fazem parte da alimentação humana. Conhecidos como cogumelos ou champignons, são mundialmente consumidos.

Os cogumelos comestíveis são nutritivos, por serem ricos em vitaminas e sais minerais (potássio, cálcio, fósforo e magnésio), além de conterem considerável quantidade de proteínas.

Certos queijos, como o roquefort, o camembert e o gorgonzola, são produzidos com o auxílio dos fungos, que dão a eles um sabor e um aroma característicos.

Nos queijos roquefort e gorgonzola, o gosto picante e o forte aroma são conseguidos porque, em suas massas, depois de prontas, são introduzidos bolores de fungos Penicillium roqueforti, que se desenvolvem na presença do ar e fazem com que tenham “veias” verde-azuladas.

Já os queijos camembert passam por um banho de imersão numa solução de mofo de fungos Penicillium, para adquirirem uma textura cremosa. Na parte externa do queijo, os fungos formam uma fina superfície dura e branca.

Queijos produzidos com fungos.
Queijo gorgonzola, roquefort e camembert.

Os fungos também são utilizados na produção de antibióticos, medicamentos que combatem infecções causadas por bactérias.

A penicilina foi o primeiro antibiótico a ser produzido a partir do fungo Penicillium notatum, descoberto em 1928 pelo Dr. Alexander Fleming.

Essa foi uma das descobertas mais importantes das ciências naturais, pela qual Fleming ganhou o prêmio Nobel em 1945 e o título de Sir, dado pelo rei Jorge VI.

Por serem heterótrofos, alguns deles instalam-se no corpo de animais e vegetais ainda vivos e atuam como parasitas, podendo causar-lhes doenças.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: