Home / Biologia / Reinos / Reino Monera

Reino Monera

O Reino Monera inclui as células mais primitivas, nas quais não se observa núcleo organizado, nem organelas citoplasmáticas. O material genético não é envolvido pela carioteca. Não formam nucléolos, O citoplasma possui apenas os ribossomos, nos quais ocorre a síntese proteica. A clorofila existe em algumas espécies de bactérias. As cianofíceas (algas azuis) possuem, além da clorofila, a ficocianina, em lamelas fotossintetizantes, na parte periférica do citoplasma.

Esses seres são chamados procariontes e englobam as bactérias, as cianobactérias (cianofíceas ou algas azuis), os PPLO (Pleuro Pneumonia Like Organism) ou micoplasmas e as riquétsias.

Características

Bactérias do Reino Monera O reino monera é formado exclusivamente por bactérias, dotadas das células mais simples que existem. São geralmente unicelulares e tem célula procrióticas, ou seja, sem envoltório nuclear. Costumam medir aproximadamente 1 micrômetro, mas foram encontradas algumas “gigantes”, com cerca de 1 milímetro.

Seu formato é variado. As bactérias podem ter a forma de um bastão (bacilo), de esfera (coco), ser curvadas (víbrião) ou onduladas (espirilo), e algumas têm aspecto irregular.

Segundo sua nutrição, há no reino monera bactérias heterótrofas e autótrofas. Entre as autótrofas, muitas são fotossintetizantes, pois produzem matéria orgânica graças à energia luminosa, como ocorre com as plantas. Outras autótrofas utilizam a energia de reações químicas das quais participam substâncias inorgânicas encontradas no meio – essas bactérias são as quimioautotróficas.

Existem bactérias que necessitam de gás oxigênio para sua respiração. Outras, no entanto, não precisam desse gás, que pode ser danoso para algumas delas; essas bactérias devem viver em lugares onde há pouca quantidade ou ausência do gás oxigênio, como no fundo dos pântanos.

Autoria: Vanessa Sant’Ana

Veja também:

Veja também

Mamíferos

Com a extinção dos dinossauros, há cerca de 65 milhões de anos, o rumo da ...

Comentários