Home » Direito »

Direito do Empregado

Definição  Legal – Art. 3º C.L.T: Considera-se empregado TODA PESSOA FÍSICA que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência  deste e mediante salário.

A natureza do trabalho não pose ser eventual, o trabalho não pode ocasional e esporádico.

TRABALHO EVENTUAL

Não tem amparo legal trabalhista.

O trabalho tem que ser efetuado sobe a dependência (jurídica do empregador; Ex: salários, materiais, ordens recebidas do empregador. 

PESSOALIDADE DO SERVIÇO

Não pode transferir suas obrigações ( o empregado) e  pessoas. 


Diferença entre empregado formal e eventual

A diferença básica entre eventual e autônomo é que o eventual, embora trabalhando ocasionalmente é subordinado a alguém, e é subordinado de curta duração, diferente dos autônomos, pois este é que vai direcionar a melhor forma de realizar o trabalho.

Ex.: bóia-fria, diarista.

DIFERENÇA EMPREGADO E AVULSO

Todo trabalhador seus vínculo empregatício que sindicalizado ou não tenha a concessão de direitos de natureza trabalhista executado por intermédio da respectiva entidade de classe.

- Portaria 03/07/71 do Ministério do Trabalho.

Ex.: Estivadores do caz do porto.

Não tem vínculo com empregador, há intermediação do sindicato. (é ele seu contrato, recebe e pago o trabalhador).

 
TRABALHADOR TEMPORÁRIO

Empresa tomadora de serviços à cliente

Empresa de colocação de mão-de-obra à trabalhador

Prazo máximo: 3 meses.

Lei 6019/74 de M.T   Art. 2º

DEFINIÇÃO

É aquele prestado por pessoa física a uma empresa para atender a necessidade transitória de substituição de pessoal ou decorrência de acréscimo extraordinário de serviços.

Obs. O prazo máximo do trabalho temporário é de 3 meses, e o vínculo  de emprego será entre a empresa de serviços temporários e o trabalhador.

Quando se tratar de agência de colocação de mão-de-obra o vínculo e entre a empresa que contratar e o empregado.


DIFERENÇA ENTRE EMPREGADO E ESTAGIÁRIO

Lei 6.494/77 - regula o estágio.

Esta lei autoriza as empresas a admitir estagiários em suas dependências segundo condições ajustadas c/ as faculdades ou escolas técnicas.

O estagiário não é empregado.

Tipos de estágio: formal e material.

1) FORMAL

O estagiário realiza um termo de compromisso com a parte concedente.

- Deve haver interveniência obrigatória da instituição de ensino.
- Devem existir contratos padrão de bola de complementação educacional.
- A empresa deverá fazer um seguro de acidentes pessoais p/ o bolsista.
- Devem ser observado o prazo de duração do contrato de bolsa e a  carteira profissional de estagiário que é expedida pelo ministério do trabalho.

2) MATERIAL

1º Só poderá ser estagiário o aluno matriculado e que venha freqüentando o curso vinculado à estrutura do ensino nos níveis superior ou profissionalizante 2º grau, e apenas nas unidades que tenham condições de proporcionar rática de formação profissional.

 
TIPOS ESPECIAIS DE EMPREGADO  

1º) EMPREGADO DOMÉSTICO

Lei 5.589/72 M.T, não está regido pela C.L.T, e sim por essa lei.

Definição: O empregado doméstico é assim considerado aquele que presta serviços de natureza continua  e de finalidade não lucrativa à pessoa ou família no âmbito residencial desta.

Obs. Não tem F.G.T.S

A C.F./88 ampliou os direitos conferidos pela lei 5.589/72 M.T, atualmente apenas o F.G.T.S está excluído do rol dos direitos. Outra questão convertida é a estabilidade da gestão da empregada doméstica. Pode manda-la embora, pois não consta lei conferindo os direitos. (Também os casos dos contratados).

2º) EMPREGADO A DOMICÍLIO

A lei não faz distinção entre trabalho realizado na empresa ou na residência do empregado.

As relações de emprego podem ser desenvolvidas no estabelecimento do empregador ou fora dele. O art. 6º C.L.T estabelece que não se destingue entre o trabalho realizado  no estabelecimento do empregado, desde que esteja caracterizada a relação de emprego.

3º) EMPREGADO APRENDIZ

A C.L.T art. 8º define o que é o trabalho (menor) aprendiz.

- menor de 12 a 18 anos, sujeito a formação metódica do ofício em que exerça o seu trabalho.

- O decreto de aprendizagem dos comerciários

Dec. Lei 8622/46

  • Matrícula de menores no SENAI, regido pela portaria 49/1946
  • Formalidade do contrato de aprendiz – decreto 31.546/52
  • Aprendizagem do próprio emprego - portaria 127/56
  • Obs. O aprendiz é um empregado qualquer

Salário = nunca inferior a ½  salário durante a 1ª metade da duração máxima prevista para o aprendizado, e 2/3 do salário na outra metade.

4º) EMPREGADO DIRETOR DE SOCIEDADE

Discute-se doutrinariamente se os diretores de empresa, em especial das S/A’s são empregados. O elemento fundamental é a SUBORDINAÇÃO. Se o diretor é subordinado ao conselho de adminstração da S/A, mantém uma relação de emprego, porém se ele é eleito, o contrato é extinto ou fica suspenso.

5º) EMPREGADO EXERIENTE DE CARGO DE CONFIANÇA

Cargo de confiança é uma delegação de poderes na qual o empregado atinge determinado grau de hierarquia de forma à agir em nome do empregador,art. 224, parágrafo 2º

ADMISSÃO DE EMPREGADO (ART. 29,53)

Prazo de 478:00 hrs p/ anotar a carteira de trabalho do empregado.
O empregador deverá anotar condição especiais, caso houverem.
ANOTAR: salário + composição
Data admissão e a função para qual é contratado.
Obs.: anotações desbonadoras são proibidas na carteira.
O prazo de devolução da carteira ao empregado é de 48:00 hs.
É um valor relativo de prova.


EMPREGADOR ART. 2º C.L.T)

Definição - Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige à prestação pessoal de serviço.

Equiparam-se ao empregador, para os efeitos exclusivos da relação de emprego os profissionais liberais, as instituições de beneficência, as associações recreativas e instituições sem fins lucrativos que admitirem trabalhadores como empregados.

EMPRESA

Conjunto de bens materiais, imateriais ou pessoais p/ obtenção de certo fim.

CARACTERÍSTICAS DO EMPREGADOR:

1) Assumir os riscos dos negócios (Lucros/Prejuízos);
2)Assalariar
3)Dirigir a prestação pessoal de  serviço.

art. 2º C.L.T à Grupo de Empresa. Serão solidariamente responsáveis pelos créditos trabalhista a empresa principal, e cada uma de suas subordinadas.

PODER DE DIREÇÃO DO EMPREGADOR:

1) Poder de organização;
2) Poder de Controle;
3) Poder disciplinar à (suspensão)


SUCESSÃO DE EMPRESAS

Qualquer mudança na estrutura – (Propriedade), jurídica da empresa.

As mudanças ocorrem em caso de fusão, transformação ou incorporação.

FUSÃO =

2 ou mais sociedades se unem p/ formar uma soc. Nova. A+ B+C.

TRANSFORMAÇÃO =

Passa de uma espécie para outra.

Ex.: Ltda. p/ S.A

INCORPORAÇÃO =

Uma empresa grande compra uma pequena, se unem, e se transformam, unicamente com a empresa que comprou.

art. 448, CLT,    A mudança da propriedade ou na estrutura jurídica da empresa não afetará  os contratos de trabalhos dos respectivos empregados.

EFEITOS DA SUCESSÃO DE EMPRESA

Para o empregado não vai mudar a contagem de tempo de serviço, de férias, da forma de contrato, salário.

PARA O EMPREGADOR:

Vai haver a sub-rojação dos débitos e dos créditos da empresa anterior, o empregador vai assumir o passivo trabalhista da empresa, as obrigações por vencer, enfim, tudo que decorrer das relações com o emprego.


CONTROLE DE TRABALHO

Surgiu da relação de emprego;

REQUISITOS EXISTENCIAIS P/ UM CONTROLE DE TRABALHO:

1º ) Agente Capaz:

Existem limitações: 1-Quanto à capacidade, nem todos que têm capacidade civil para exercer um ato, tem legitimidade p/ faze-lo, algumas profissões só podem ser exercidas por aqueles que estão legitimados p/ tal.

- Civil - Capacidade plena ou absoluta: após 21 anos.

  • Relativaà 18 anos 21 anos
  • Incapacidadeà 18 anos

- Trabalho - Capacidade plena: 18 anos

  • Relativa à 14 aos 18
  • Incapacidade 14

ART. 7º, ITEM 33, ARTS. 227/229 C.F.

2º) Objeto Lícito

Tudo que não for contrário à lei;

2 tipos de limitação:

1º - proibição de consentimento (É proibido de dar trabalho insalubre a um; menor de 18 anos); é considerado atividade proibida;

2º - proibição do próprio objeto, é atividade ilícita; (ex.: prostituta em uma casa de massagem)

3º - forma prescrita ou não defesa em lei, forma através da qual o contrato de trabalho. ART. 443 C.L.T à O contrato individual de trabalho poderá ser acordo tácito ou expressamente, verbalmente ou por escrito, e por prazo determinado ou indeterminado.

Ainda é um contrato de trabalho

4) Ser consensual = (só se aperfeiçoar com o consentimento das partes);

5) Bilateral = envolve 2 pessoas, empregado e empregador;

6) Sinalagmático = reciprocidade de Direitos e Obrigações. Ex.: Empregado recebe salário, e empregador o serviço realizado;

7) Oneroso =  p/ uma prestação de serviço haverá uma contra-prestação que é o salário;

8) Sucessivo = Trato sucessivo, continuidade da prestação de serviços;

9) Principal = não depende de qualquer outro contrato acessório;

10) Instituto Personal = apenas uma pessoa física deve realizar o trabalho;

10) Boa fé.

Definição de C.L.T sobre o contrato de trabalho: ART. 442 - Contrato Individual de trabalho é o acordo tácito ou expresso, corresponde à relação de empregado.


Veja também:



Comente:



Receba atualizações do site:

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados: Proibida a reprodução sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98)

O Cola da Web auxilia sua vida escolar e acadêmica ajudando-o em suas pesquisas e trabalhos. O Cola da Web NÃO faz a venda de monografia e É TOTALMENTE CONTRA a compra de trabalhos prontos, assim como, NÃO APOIA e NÃO APROVA quem deseja comprar Trabalhos Prontos, por isso nós incentivamos o usuário a desenvolver por conta própria o seu trabalho escolar, TCC ou monografia.
R7 Educa‹o