Home » Geografia » Países » Rússia

Rússia

Rússia, república que se estende pela Europa oriental e pelo norte da Ásia, formada por 21 repúblicas étnicas e um oblast (região) autônomo, além de outros dez okrugs autônomos (ou zonas nacionais). Oficialmente conhecida como Federação Russa, a República Socialista Soviética Federada da Rússia (RSFSR) era antes integrada à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

É o maior país do mundo, com 17.075.400 km2 de superfície. Moscou é a capital. É circundada ao norte por uma série de braços do oceano Glacial Ártico e ao leste limita-se com o estreito de Bering, o mar de Bering e os mares de Okhotsk e do Japão. O extremo sudeste da Rússia é demarcado pela Coréia do Norte. Ao sul limita-se com a China, Mongólia, Cazaquistão, Azerbaijão, Geórgia e o mar Negro; ao sul-sudoeste com a Ucrânia, a oeste com a Polônia, Belarus (Bielo-Rússia), Lituânia, Letônia, Estônia e Finlândia, e ao noroeste com a Noruega. No oceano Glacial Ártico encontram-se a Terra de Francisco José e o arquipélago de Novaya Zemlya. No oceano Pacífico estão as ilhas Kurilas e a grande ilha Sakhalin.

A Rússia pode ser dividida em três vastas regiões: a Rússia européia, a oeste dos montes Urais; a Sibéria, que se prolonga em direção ao leste a partir dos Urais; e a Rússia oriental, que engloba a parte mais sudoriental do país e a faixa costeira do Pacífico.


Territorio e resursos

A massa continental da república é uma enorme planície, localizada a oeste e a norte, guarnecida por um cinturão descontínuo de montanhas e planaltos a leste. A Rússia européia é uma planície ondulada com altitude média de 180 m, limitada a leste pelos montes Urais, série de cadeias montanhosas bastante desgastadas, com 600 m de elevação média. A leste dos Urais, a região das mesetas continua até as terras baixas da Sibéria ocidental. Esta enorme extensão, exageradamente plana, é mal drenada e muito pantanosa.

A leste do rio Ienissei começam as terras baixas da plataforma da Sibéria central; aqui as elevações oscilam entre os 500 e os 700 m; os rios erodiram a superfície e em alguns lugares formaram profundos cânions. A leste do rio Lena aparece uma série de montanhas e vales, como os montes Verkhoyansk, Cherski e Kolyma; em direção ao oceano Pacífico as montanhas são mais altas e escarpadas e há constante atividade vulcânica na península de Kamchatka e nas ilhas Kurilas. A fronteira meridional da Rússia européia compreende a cordilheira do Cáucaso, que alcança seu ponto mais alto no Elbrus (5.642 m), e a parte asiática tem uma série de cadeias montanhosas, como as cordilheiras de Altai, Sayan, Jablonovi e Stanovoi. Os rios mais extensos da Rússia encontram-se na Sibéria e na Rússia oriental. Os principais sistemas fluviais são o Obi-Irtysh e o Amur-Shilka-Onon. O maior rio em comprimento é o Lena (4.300 km); seguem-se o Irtysh e o Obi; o Volga é o rio mais comprido da Europa. 

O governo soviético desenvolveu um importante plano de construção de represas para gerar energia elétrica, implantar sistemas de irrigação, controlar as inundações e tornar os rios navegáveis, o que fez com que algumas das bacias desses rios tenham se transformado completamente. Há muitos lagos naturais na Rússia, sobretudo na parte noroeste, como o Ladoga e o Onega, de origem glacial. Os maiores, no entanto, estão ao sul, como o mar Cáspio, um lago salgado, e o lago Baikal. As condições climáticas da Rússia são rigorosas, com invernos longos e frios e verões curtos e frescos. As temperaturas são extremas: as mais baixas do inverno acontecem na Sibéria oriental.

As altas montanhas da fronteira meridional não permitem a entrada das massas de ar tropicais. A principal influência marinha procede do oceano Atlântico, especialmente durante o verão, quando o território recebe a maior quantidade de precipitações. As precipitações são muito escassas. Na meseta européia, a média anual de chuvas cai de algo mais de 800 mm, no oeste da Rússia, para menos de 400 mm ao longo da costa do mar Cáspio. Na Sibéria e na região mais oriental, oscila entre 500 e 800 mm; e nos vales interiores apenas supera os 300 mm anuais.

O território russo abarca distintas zonas climáticas que se estendem em sentido latitudinal. Na costa ártica prevalece o clima de tundra. Ao sul, um largo cinturão de clima subártico avança até a cidade de São Petersburgo e se alarga a leste dos Urais para envolver quase toda a Sibéria e a Rússia mais oriental. Quase toda a Rússia européia está sob a influência de um clima continental mais moderado. O largo cinturão de clima seco de estepe caracterizado por seus frios invernos começa no mar Negro e se estende em direção ao nordeste. As zonas de vegetação guardam relação com as diferentes zonas climáticas do país. Ao norte extende-se a tundra, com musgos, líquens e bétulas anãs, onde o solo é permanentemente gelado (permafrost). Ao sul da tundra, a zona florestal se divide no bosque boreal, ou taiga, nas zonas setentrionais, ocupada por coníferas e árvores de folhas pequenas e uma área muito menor ocupada pelo bosque misto, que se estende pela parte central da planície oriental européia. 

Ao sul, o bosque misto converte-se em uma franja estreita de estepe florestal, antes de passar à autêntica estepe, uma mescla de ervaçais com árvores pouco desenvolvidas, que se estende pela metade ocidental da planície caucásica norte, vale meridional do Volga, sul dos Urais e algumas zonas da Sibéria ocidental. Assim como a estepe florestal, é zona cultivável. A fauna é abundante e variada. Na tundra, ela compreende ursos polares, focas, leões marinhos, raposas polares, renas e a lebre branca. A avifauna é formada pela perdiz branca, o mocho branco, gaivotas e bobos. A taiga oferece importante hábitat ao alce, ao urso pardo, à rena e ao lince, entre outros. Os bosques caducifólios abrigam espécies como o javali, o cervo, o lobo e a raposa. Os bosques da Rússia oriental são conhecidos pela presença, entre outras espécies, dos famosos tigres siberianos do Ussuri, além de leopardos, raposas e cervos. Na estepe habitam roedores, o antílope da estepe, o furão e a raposa da Tartária, o grou, a águia e o gavião. A região do Cáucaso tem uma vida selvagem particularmente importante.


População e Governo

Com uma população (1993) de 148.673.000 habitantes, a Rússia é o sexto país mais povoado do mundo. A densidade é de 9 hab/km2; nas zonas rurais da Rússia européia é de 25 hab/km2 e pouco mais de um terço do território conta com menos de 1 hab/km2, em especial a parte setentrional da Rússia européia e grandes áreas da Sibéria. A Rússia é um dos maiores estados plurinacionais do mundo, ainda que os russos constituam a nacionalidade predominante. A população não russa é calculada em 18%; as minorias mais destacadas são os tártaros (3,8%) e os ucranianos (3%). O país conta com 32 divisões étnicas. Há treze cidades com mais de um milhão de habitantes. A maior cidade é Moscou (8.801.000 habitantes segundo estimativas para 1990); outras cidades importantes são São Petersburgo (4.468.000 habitantes), Nizni Novgorod (1.443.000 habitantes), Yekaterinburg (1.367.000 habitantes) e Samara (1.258.000 habitantes). Na Rússia falam-se mais de cem línguas; no entanto, a língua russa é a mais usada nos negócios, na administração e na educação. A maioria dos grupos étnicos é bilingüe. 

A prática da religião esteve sob controle do Partido Comunista da União Soviética (PCUS), sendo inclusive perseguida durante quase sete décadas; desde a dissolução da URSS apareceram numerosos credos, seitas e confissões religiosas e ressurgiram as religiões tradicionais: cristianismo ortodoxo (ver Igreja Ortodoxa) e outras formas de cristianismo, islamismo, budismo e judaísmo (ver Literatura russa). O governo da Rússia foi o último governo nacional estabelecido entre as repúblicas da antiga URSS. Somente nos últimos anos da URSS estabeleceram-se algumas instituições como o Soviet Supremo, o Partido Comunista e o KGB (Komitet Gosudarstvennoy Bezopasnosti, Comitê para a Segurança do Estado) específicas para a Rússia. Mas o poder real era exercido pelas autoridades centrais do Partido Comunista da União Soviética (PCUS), até a dissolução da URSS. Após prolongados enfrentamentos, o presidente Boris Yeltsin, apoiado pelas forças reformistas do executivo, solicitou a redação de nova Constituição, aprovada em referendo popular em 1993. No final da década de 1980 a cena política sofreu mudança radical: passou de Estado totalitário com partido único para um sistema democrático com numerosos grupos políticos fracionados. O PCUS foi substituído por centenas de grupos, facções, movimentos e partidos.


Economia

A economia viu-se afetada de forma bastante negativa pela dissolução da URSS. O declínio econômico começou nos últimos anos do período soviético. Alguns analistas estimam que a queda do produto nacional bruto (PNB) será de 40 a 50% para o período 1990-1994. O poder aquisitivo da moeda russa, o rublo, que ainda hoje continua sendo a moeda em muitas das antigas repúblicas soviéticas, caiu de forma alarmante e o Estado enfrenta o enorme déficit orçamentário herdado do período soviético. As reformas de mercado começaram em 1992, mas enfrentaram resistência generalizada. Em torno de um terço de todas as empresas municipais e estatais foram privatizadas no final de 1993; em algumas cidades, como Nizni Novgorod, São Petersburgo ou Iaroslavl, este processo aconteceu muito mais rapidamente do que no resto do país. 

Além disso, o esquema legal para levar adiante a privatização estava incompleto. A produção agrária experimentou no início de 1990 agudo declínio; embora a produção de carne tenha permanecido praticamente estável, os rebanhos também diminuíram de forma acentuada. A privatização ocorreu de modo bastante lento; quase toda a terra cultivável (96% em 1993) permanece sob controle das antigas granjas coletivas e estatais, muitas delas reorganizadas como cooperativas ou companhias associadas, e somente 4% converteram-se em granjas privadas. A Rússia é um país eminentemente cerealeiro. Outras culturas importantes são as de sementes de girassol, beterraba açucareira, soja, batatas e hortaliças. A principal ocupação da população do norte é a criação de rena. A maior parte das terras cultiváveis se estende pelo chamado triângulo da fertilidade, que se prolonga do Báltico até o mar Negro, para estreitar-se ao sul dos Urais. Durante o regime soviético construíram-se sistemas de irrigação em bacias hidrográficas da Rússia européia; apesar disso, os principais projetos de irrigação estão localizados nas repúblicas da Ásia central.

A Rússia conta com 20% dos bosques da terra e em torno de um terço dos bosques de coníferas, razão pela qual é, em todo o mundo, um dos principais produtores de madeira e produtos derivados, principalmente madeiras brancas. A indústria pesqueira russa é uma das maiores do mundo. Entre as espécies mais comerciais das águas continentais, cabe destacar o esturjão do Cáspio, que é a principal fonte de caviar do mundo. O mar de Okhotsk é um dos bancos pesqueiros mais ricos do planeta. A Rússia detém as maiores reservas minerais do mundo e é especialmente rica em combustíveis fósseis. A mineração é o setor econômico mais importante, já que proporciona as maiores exportações do país, alicerçadas em ferro bruto, cobre e níquel, procedentes principalmente dos Urais. É, além disso, um dos mais importantes produtores de ouro.

Também se extrai bauxita, estanho, chumbo e zinco e produz-se manganês. Do ponto de vista soviético, a indústria pesada deveria ter prioridade sobre os demais setores, com concentração especial na construção de maquinário e no setor metalúrgico. A indústria de armamentos goza de prioridade absoluta dentro dos programas de produção nacional e evidencia o progresso tecnológico do setor. Inicialmente, as empresas manufatureiras estavam concentradas em Moscou e São Petersburgo; ao mesmo tempo, foram iniciados trabalhos de eletrificação na região dos Urais e em algumas regiões da Sibéria; com o tempo, aumentou-se a produção nas regiões orientais. Além da produção de equipamentos de transporte, da construção naval, de motores para veículos e de maquinário agrícola, a Rússia é também importante produtor de artigos têxteis. Também a indústria alimentícia tem lugar destacado. A unidade monetária é o rublo. Ainda hoje continua sendo a única moeda em muitas das antigas repúblicas soviéticas. O turismo constituía-se no maior produtor de divisas na antiga URSS e continua sendo importante fonte de recursos; Moscou, São Petersburgo e arredores, assim como o litoral do mar Negro, constituem os pontos mais freqüentados por turistas em férias.


Veja também:



Comente!

Receba novidades

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados: Proibida a reprodução sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98)

O Cola da Web auxilia sua vida escolar e acadêmica ajudando-o em suas pesquisas e trabalhos. O Cola da Web NÃO faz a venda de monografia e É TOTALMENTE CONTRA a compra de trabalhos prontos, assim como, NÃO APOIA e NÃO APROVA quem deseja comprar Trabalhos Prontos, por isso nós incentivamos o usuário a desenvolver por conta própria o seu trabalho escolar, TCC ou monografia.
R7 Educa‹o