Home » Pedagogia » Ensinamentos de Comenius

Ensinamentos de Comenius

OS ENSINAMENTOS DE COMENIUS 

"As Sagradas Escrituras nos ensinam primordialmente que não há caminho mais eficaz para corrigir a corrupção humana que a correta educação da juventude". (Comenius, 1997:27) 

"Se for preciso curar a corrupção do gênero humano, é preciso fazê-lo, sobretudo por meio de uma atenta e prudente educação da juventude". (Op. Cit., 29) 

"Educar os jovens com sabedoria significa, ademais, prover a que sua alma seja preservada da corrupção do mundo; favorecer para que germinem com grande eficácia - as sementes de honestidade que neles se encontram, por meio de ensinamentos e exemplos castos e assíduos". (Op. Cit., 30) 

"Grande parte da juventude cresce sem a devida educação, como uma selva que ninguém cuida de plantar, irrigar, podar e fazer crescer bem. Por esse motivo, hábitos e costumes selvagens e indômitos acabaram prevalecendo em todo o mundo".(Op. Cit., 32) 

"O que somos, fazemos, pensamos, dizemos, inventamos, conhecemos, possuímos é como uma escada com a qual, subindo sempre mais, alcançamos degraus mais altos, mas nunca chegamos ao topo". (Op. Cit., 44) 

"Quem ama o poder e a riqueza não encontrará onde saciar sua fome, mesmo que possua todo o universo. Quem almeja demasiadas honras não ficará satisfeito nem que seja adorado por todo o universo. Quem se entrega aos prazeres, por mais que os sentidos se engolfem em rios de delícias, tudo acaba se consumindo, e o desejo se volta de um objeto para outro. Quem aplica o espírito no estudo da sabedoria nunca encontrará o fim: quanto mais souber, tato mais compreenderá que falta muito por saber". (Op. Cit., 45) 

"Três são as espécies de vida para cada um de nós a três as moradas:O útero materno, a Terra e o céu. Da primeira se entra na Segunda pelo nascimento; da segunda, na terceira pela morte e pela ressurreição; da terceira nunca se sai, por  toda a eternidade. Na primeira recebemos apenas a vida, com movimentos e sentidos incipientes; na segunda, a vida, o movimento, os sentidos, com os primórdios do intelecto; na terceira, a plenitude absoluta de tudo". (Op. Cit., 46-47) 

"Entendo por INSTRUÇÃO todo conhecimento das ciosas, das artes e das línguas; por COSTUMES, não só a correção do comportamento externo,  mas o equilíbrio interno e externo dos movimentos da alma; por RELIGIÃO, a interna veneração com que o espírito humano se liga e se vincula à divindade suprema".

(Op. Cit., 55) 

"Quem prefere as coisas agradáveis às saudáveis é tolo. E ainda mais tolo quem, desejando ser homem, cuide mais dos ornamentos do homem que se essência". (Op. Cit., 56) 

"Todo homem nasceu com a capacidade de adquirir a ciência das ciosas, antes de mais nada porque é imagem de Deus". (Op. Cit., 58) 

"O homem nada recebe do exterior, mas só precisa expandir e desenvolver as que já traz implícitas em si, mostrando a natureza de cada uma". (Op. Cit., 59) 

"No homem é inerente o desejo de saber e também de enfrentar (e não apenas de suportar) os esforços que isso implica. Tal já acontece na primeira infância e nos acompanha por toda vida".(Op. Cit., 60) 

"Os exemplos dos autodidatas mostram com muita clareza que o homem, com a orientação da natureza tudo pode alcançar".(Op. Cit., 61) 

"Nosso cérebro, forja de pensamentos, é com justiça comparado à cera, sobre a qual são impressos os selos ou com a qual se moldam  estatuetas. De fato, assim como a cera que, adaptando-se a todas as formas, pode-se plasmada  e replasmada de todas as maneiras, também o cérebro, abrangendo as imagens de todas as coisas, recebe em si o que o universo contém". (Op. Cit., 62) 

"Ah, como somos cegos não reconhecemos que estão em nós as raízes de toda a harmonia". (Op. Cit., 65) 

"Nos movimentos da alma, a roda principal é a vontade; os pesos que a fazem mover-se são os desejos e os afetos que a fazem pender para um lado ou para outro. O escapo, que aumenta e diminui o movimento, é a razão que mede e determina o que deve acolher ou do que deve fugir, onde e em medida. Os outros movimentos da alma são como as rodas menores que seguem a principal. Se aos desejos e aos afetos não for atribuído um peso excessivamente grande, e se o escapo, que é a razão, aumentar  ou diminuir os movimentos discernimento, só poderá seguir-se harmonia e o acordo perfeito nas virtudes, ou seja, um equilíbrio conveniente entre as ações e paixões". (Op. Cit.,66) 

"É coisa torpe e nefanda, sinal evidente de ingratidão, insistir na degeneração e esquecer a regeneração!".(Op. Cit., 68) 

"A natureza dá as sementes da ciência, da honestidade, da religião, mas não dá a ciência, a virtude, a religião; estas estão adquiridas apenas com a prece, com o estudo, com o esforço pessoal". (Op. Cit., 71) 

"A educação é necessária para todos".(Op. Cit., 75) 

"O que são os ricos sem sabedoria, senão porcos engordados com farelo? Os pobres sem o conhecimento das coisas o que são, senão burros de carga? Um homem de bom aspecto mas ignorante o que é, senão um papagaio de bela plumagem? Ou então, como disse alguém(Diógenes Laércio), uma bainha de ouro com um punhal de chumbo? A quem um dia caberá comandar outros, como reis, príncipes, magistrados, pastores e doutores de igreja, a estes, mais que a ninguém, é necessária a educação profunda da sabedoria, assim como os guias precisam ter olhos treinados, e os intérpretes a língua, a trompa precisa ser capaz de tocar, e a espada de cortar. Do mesmo modo, os súditos precisam ser iluminados, para que saibam obedecer com prudência os que comandam com sabedoria: não por obrigações e com servil obséquio, mas de bom grado e por amor à ordem. Isso porque uma criatura racional deve ser guiada pela razão, e não por meio de gritos, cárcere, pancadas e aqueles que agem de modo diferente ofendem a Deus, que neles também opôs sua imagem e os assuntos humanos estarão cheios - como estão - de violência e descontentamento. Fique estabelecido, pois, que a todos os que nasceram homens a educação é necessária, para que sejam homens e não animais ferozes, não animais brutos, não paus inúteis. Segue-se que alguém só estará acima dos outros se for mais preparado que os outros". (Op. Cit., 75-76) 

"No homem é sólido e dourado apenas e o que foi absorvido na primeira idade". (Op. Cit., 80)

"Para orientar e guiar as crianças, são mais úteis os exemplos do que as regras: se algo é ensinado a uma criança, pouco fica gravado, mas se for mostrado o que os outros fazem, ela logo os imitará, sem precisar de ordens". (Op. Cit., 86) 

"Se quisermos servir a Deus , ao próximo e nós mesmos, devemos Ter piedade em relação ao próximo e ciência em relação a nós mesmos". (Op. Cit., 98) 

"A arte de ensinar não exige mais que uma disposição tecnicamente bem feita do tempo, das coisas e do método". (Op. Cit., 127) 

"Que tesouro de instrução conseguirás se a cada hora aprenderes nem que seja um único teorema de uma ciência, uma única regra de aplicação técnica, uma narrativa ou uma máxima elegante (coisa que, claramente, não requerem esforço?)". (Op. Cit., 143) 

"As coisas todas só atraem a juventude quando adequadas à sua idade e quando as explicações são muito claras e interclaras com algumas amenidades ou com assuntos menos sérios, mas sempre aprazíveis. É isso que significa unir o útil ao agradável".         (Op. Cit., 170) 

"Facilitará o estudo do aluno quem lhe mostrar como usar na vida cotidiana aquilo que está sendo ensinado". (Op. Cit., 180) 

"A escola tem a missão de ocupar os jovens só com coisas sérias". (Op. Cit., 185) 

"Por que vagar entre opiniões diferentes sobre as coisas quando se busca conhecer o que são as coisas realmente?". (Op. Cit., 190) 

"O homem instruído com fundamento é como uma árvore que se sustenta com as próprias raízes e a linfa; por isso, estará sempre vigoroso (aliás, fica mais robusto a cada dia que passa) verdejante, e produz flores e frutos". (Op. Cit., 192) 

"Tudo o que se ensina deve ser consolidado por razões que não permitam dúvidas nem esquecimentos". (Op. Cit., 196) 

"De tudo que se aprende, é preciso buscar logo a utilidade, para não aprender nada de útil". (Op. Cit., 198) 

"Instrução nunca chegará a ser realmente sólida se não se instituírem repetições e exercícios, freqüentes e bem feitos". (Op. Cit., 199) 

"É Ter no bolso uma moeda de ouro que cem de cem de chumbo".(Op. Cit., 221) 

"Devem ser bandidos das escolas todos os autores que ensinam só palavras, sem dar a conhecer nada de útil". (Op. Cit., 223) 

"O juízo correto acerca das coisas é o verdadeiro fundamento de todas as virtudes". (Op. Cit., 264) 

"O triste vício do egoísmo é estritamente relacionado com a natureza corrupta que faz desejar apenas o proveito próprio, sem atentar os outros". (Op. Cit., 267) 

"É preciso manter os filhos longe das más companhias para que não sejam por elas corrompidos". (Op. Cit., 269) 

“Deus quis que as coisas para o nosso uso fossem muito diferentes, para que muitas sejam as coisas em que nos empenhamos, exercitamos e instruímos”. (Op. Cit., 133) 

"Antes de mais nada, acredito que todos concordam que a disciplina deve ser exercida contra quem erra, mas não porque errou (o que foi feito, feito está), mas para que não erre mais. Portanto, deve ser exercida sem paixões, sem ira, sem ódio, mas com simplicidade e sinceridade, de tal modo que mesmo aquele a quem for aplicada perceba que é para seu bem e que é ditada pelo afeto paterno de quem tem a responsabilidade de guiá-lo; assim, poderá percebê-la com o mesmo espírito com que se toma um remédio amargo receitado pelo médico". (Op. Cit., 311-312) 

"Quem ignora o seu próprio mal dele não cuida; quem não sente a dor não geme; quem não percebe o perigo não estremece nem quando está sobre o abismo ou o precipício; assim, não se espanta que não se preocupe aquele que não nota as desordens que afligem o gênero humano". (Op. Cit., 25) 

"Nada é mais difícil do que perder os hábitos adquiridos (o hábito de fato é uma Segunda natureza, e tu podes expulsar a natureza à força, mas ela sempre retorna), é lógico que nada é mais difícil que reeducar um homem que recebeu educação ruim; depois que a árvore cresceu, seja ela alta ou baixa, com ramos esticados ou curvos, uma vez adulta assim permanece e não se deixa modificar". (Op. Cit., 29) 

"Se quisermos igrejas, estados e famílias bem organizados e florescentes, antes de mais nada ponhamos em ordem as escolas, fazendo-as florescer, para que se tornem realmente forjas de homens e viveiros de homens de igreja, estado e família; só assim alcançaremos nossos fins, e não de outro modo". (Op. Cit., 34) 

"Quem nos deu a vontade nos fará atingir o objetivo: é que devemos pedir à misericórdia divina e esperar com confiança". (Op. Cit., 39)  

"Todos os que tem a tarefa de formar homens devem educá-los de tal forma que vivam lembrados de sua dignidade e de sua excelência: que procurem, pois, orientar seus esforços para esse supremo fim". (Op. Cit., 42) 

"Tudo existe em função do homem, inclusive o tempo. Por isso, não será concedido ao mundo uma duração maior que a necessária para completar o número dos eleitos". (Op. Cit., 51) 

"Assim como é certo o tempo transcorrido no útero materno é uma preparação para a vida no corpo, também o tempo transcorrido no corpo é preparação para a vida que dará continuidade à vida presente e durará por toda a eternidade. Bem-aventurado aquele que sai do útero materno com os membros bem formados; mil vezes bem-aventurados aquele que deixar esta vida com a alma limpa". (Op. Cit., 52) 

"Se fosse concedido ao homem mil anos, durante os quais, adquirindo sempre novos conhecimentos, ele passasse de um conhecimento a outro, ainda assim teria novos objetos para conhecer, tal é a inexaurível capacidade da mente humana, que o conhecimento é como um abismo". (Op. Cit., 59) 

"Devemos admirar o espelho da sabedoria de Deus, que obrou de tal modo que a massa não muito grande do cérebro fosse suficiente para receber milhares e milhares de imagens". (Op. Cit., 63) 

"Abstenhamo-nos de limitar a graça de Deus, pois Ele está pronto a derrama-la sobre nós com prodigalidade". (Op. Cit., 69) 

"Ninguém cuide realmente de ser se não tiver aprendido a comportar-se como homem, ou seja, se não tiver sido formado nas coisas que fazem o homem". (Op. Cit., 71-72) 

"A educação deverá ser iniciada muito cedo, porque na vida não só se deve aprender, como também agir. Convém, pois, instruírmos-nos o mais depressa possível sobre o que deve fazer na vida para que não nos aconteça Ter de abandoná-la antes de termos aprendido a comportar-nos". (Op. Cit., 78) 

"O homem que por toda a vida tem infinitas coisas para conhecer, experimentar e fazer, deva abrir a tempo os seus sentidos à contemplação das coisas". (Op. Cit., 78) 

"Para que o homem possa ser formado para a humanidade, Deus lhe concedeu os anos da juventude, durante os quais é incapaz de fazer outras coisas, tendo condições apenas de se formar". (Op. Cit., 80) 

"É muito perigoso deixar de infundir no homem, desde o berço, regras salutares de vida". (Op. Cit., 81) 

"Em primeiro lugar, todo o homem nasceu para o mesmo fim principal, o de ser homem, ou seja, criatura racional senhora das outras criaturas, imagem manifesta de seu criador. Portanto, todos quando forem devidamente instruídos nas letras, nas virtudes e na religião devem tornar-se capazes de levar a vida presente de modo útil e de preparar-se dignamente para a vida futura". (Op. Cit., 89) 

"A essência da alma é composta por três faculdades(que correspondem à Trindade incriada): intelecto, vontade e memória. O intelecto aplica-se à observação da diversidade dos objetos (até as pequeníssimas minúcias). A vontade provê à opção, ou seja, à escolha das coisas profícuas e à rejeição das nocivas. A memória retém para uso futuro as coisas que antes ocuparam o intelecto e a vontade, recordando à alma a sua dependência de Deus e suas missões: sob esse aspecto, chama-se também consciência. Para que essas faculdades possam cumprir bem a sua tarefa, é necessário instruí-las nas coisas que iluminam o intelecto, dirigem a vontade, estimulam a consciência: para que o intelecto conheça com agudeza, a vontade escolha sem erros e a consciência anseie por consagrar tudo a Deus. Portanto, assim como essas faculdades (intelecto, vontade e consciência), por constituírem uma só alma, não podem ser separadas, também os três ornamentos da alma (instrução, virtude e piedade) não devem ser separados". (Op. Cit., 97) 

"Vãos desejos: os dias passados não voltarão. Nenhum de nós, já entrando em anos, voltará a ser jovem, para poder aprender a levar a vida de modo mais idôneo: só nos resta uma só coisa somos capazes, que é ajudar nossos pósteros na medida do possível: assim, demonstrando os erros em que nossos preceptores nos lançaram, mostraremos o caminho para evitá-los". (Op. Cit., 108) 

"Não se faz um mercúrio com qualquer madeira, dizem alguns; eu respondo que de qualquer homem se faz um homem, desde que não haja corrupção". (Op. Cit., 113) 

"Deus quis conceder-nos apenas o tempo que considerou suficiente à preparação de uma vida melhor. Para este fim, a vida é suficientemente longa, se soubermos bom uso". (Op. Cit., 133) 

"Quem trabalha com destreza e paixão, sabendo o que, onde, quando e como é necessário fazer e deixar de fazer, não terá desenganos. No entanto, é verdade que às vezes até os mais experientes não obtêm resultados (pois para o homem é quase impossível realizar tudo com tal precisão que não lhe escape algum erro de um modo ou de outro), mas aqui não ocupamos da perícia ou do acaso, porém da arte, ou seja, do modo como é possível prevenir os acidentes". (Op. Cit., 146) 

"A criança não pode ser instruída enquanto é pequena demais, porque a raiz da inteligência ainda está escondida. Instruir o homem na velhice é tardio demais, pois a inteligência e a memória começam a arrefecer; na idade madura isso é difícil porque é trabalhoso reunir as forças da mente, que estão dispersas nas várias ocupações. Portanto, isso deve ser feito na juventude, quando o vigor da vida e da mente está em ascensão: nesse momento, todas as faculdades estão crescendo e lançando raízes profundas". (Op. Cit., 148)    

“Quem trabalha com destreza e paixão, sabendo o que, onde quando e como é necessário fazer e deixar de fazer, não terá desengano. No entanto, é verdade que as vezes até os mais experientes não obtém resultados (pois para o homem é impossível realizar tudo com tal precisão que não lhe escape algum erro de um modo ou de outro), mas aqui não nos ocupamos da perícia ou do acaso, porém da arte, ou seja, do modo como é possível prevenir os acidentes”. (Op. Cit., 146)


Comente:



Receba atualizações do site:

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados: Proibida a reprodução sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98)

O Cola da Web auxilia sua vida escolar e acadêmica ajudando-o em suas pesquisas e trabalhos. O Cola da Web NÃO faz a venda de monografia e É TOTALMENTE CONTRA a compra de trabalhos prontos, assim como, NÃO APOIA e NÃO APROVA quem deseja comprar Trabalhos Prontos, por isso nós incentivamos o usuário a desenvolver por conta própria o seu trabalho escolar, TCC ou monografia.
R7 Educa‹o