Home Resumos de Livros > O Navio Negreiro – Castro Alves

O Navio Negreiro – Castro Alves

O Navio Negreiro foi escrito por Castro Alves em 1868, é um dos seus poemas mais prestigiados. O poema tem como subtítulo “Tragédia no Mar“, possui seis cantos que narram a trajetória marítima de uma embarcação que transporta escravos, apresentando a maneira brutal com que eles são tratados, assim como a privação de direitos e de liberdade que os mesmos sofrem.

Essa questão foi constantemente abordada pelos românticos brasileiros (Romantismo), pois ao buscar a identidade nacional (se desvencilhando de Portugal) ganhavam autonomia para escrever. Assim, O Navio Negreiro possui uma estrutura diferente da seguida pelos árcades (sonetos com versos decassílabos; tradição épica) quando apresenta uma liberdade formal.

Castro Alves é conhecido como o “poeta dos escravos” devido aos seus poemas sociais em que denunciava a escravidão com indignação e expressividade. Quando O Navio Negreiro foi escrito o tráfico de escravos já havia sido proibido no Brasil (Lei Eusébio de Queirós – 1831), porém ainda persistiam as consequências disso. Há uma forte denúncia da condição miserável e desumana e das dificuldades dos negros durante a travessia da África para o Brasil.

Capa do livro O Navio Negreiro

Resumo

O poema é dividido em seis partes. Na primeira parte é descrita a atmosfera tranquila. Na segunda, são descritos os marinheiros de distintas nacionalidades, que são nobres e corajosos. Na terceira, é apresentada a denúncia ao tráfico negreiro.

Na quarta, são descritos os castigos e crueldades de um navio negreiro. Na quinta, o eu lírico invoca a natureza para que destrua o navio e acabe com os horrores vividos naquele navio negreiro; ele argumenta com a liberdade que os negros tinham na África e a escravidão que agora estão expostos no navio.

Na sexta e última parte, o eu lírico revela sua nacionalidade (brasileira) e invoca os heróis do Novo Mundo para que eles acabem com a escravidão.

Assim como está no título, o poema se trata de uma tragédia, pois se caracteriza pelo inconformismo e conflito entre a escravidão e a lei vigente no país naquela época.

Conclusão

No poema O Navio Negreiro há a presença de características românticas (busca pela identidade nacional, subjetividade, idealização de um herói romântico – no caso o escravo, e idealização da natureza) e características pré-realistas (a crítica e a crença na ciência). Isso é reflexo do engajamento dos poetas românticos com as questões sociais que logo mais viriam a ser tratadas com fervor no Realismo.

Por: Miriã Lira