Sermão da Sexagésima – Pe. Antônio Vieira

,Sermão da Sexagésima, obra do Padre Antônio Vieira, possui diversos recursos de persuasão e faz críticas ao modo de pregar dos padres.

O Pe. Antônio Vieira (1608-1697) é o melhor representante do estilo literário Barroco no Brasil. O religioso escreveu diversas obras e sermões, entre eles o mais famoso é o da Sexagésima, que foi proferido na Capela real de Lisboa em 1655. Grande orador, este é considerado o seu sermão mais importante. Ele tentava colocar em seus textos a estética Barroca em sua expressão máxima, além de sua ideologia sobre a Contra-Reforma e temas cristãos.

No total o Sermão da Sexagésima é formado por 10 pequenos capítulos, onde ele faz uma crítica ao estilo Barroco e ao Cultismo. Devido a sua posição na igreja e o local onde leu este sermão, acredita-se que sua platéia era composta pela nobreza católica de Portugal da época. Vieira é reconhecido por sua ótima oratória, e chamava atenção do público, fazendo perguntas em que ele mesmo respondia.

Entendendo o Sermão da Sexagésima

Livro Sermão da SexagésimaDurante o Sermão da Sexagésima o tema é tratado fazendo alusões à “Parábola do semeador”, tirada do Evangelho de Lucas: Semen est verbum Dei (A semente é a palavra de Deus). Ele discursa que pregar é o mesmo que semear. Esta é uma parábola que diz que um semeador semeou suas sementes em locais diferentes, as primeiras entre as pedras, outras nos espinhos, outras pelo caminho e as últimas foram semeadas em uma terra boa. As que caíram entre os espinhos e pedras não vingaram, as do caminho não frutificou, apenas as que foram semeadas em terra boa vingaram e deram bons frutos.

Vieira junto a esta parábola faz uma crítica ao estilo de outros religiosos que, segundo ele, não sabiam pregar: falavam de vários assuntos, sendo alguns ao mesmo tempo, eram ineficazes em suas palavras e tentavam agradar as vontades dos homens e não a de Deus. Ele coloca a culpa nos pregadores e analisa a sua própria pregação. Analisa qual o motivo da pregação católica não estar surtindo efeito, já que a palavra de Deus é muito poderosa. Depois de muita reflexão ele conclui que a culpa é dos próprios padres.

O livro faz uma feroz crítica a todos aqueles que usam a palavra de Deus para defender interesses mundanos. Vieira também critica outra facção do barroco e usa sempre de grandes argumentos de persuasão em seu discurso. Pregando com diversos recursos, entre eles a retórica, seu Sermão ainda é considerado como um pensamento válido para os dias de hoje.

,