Home > Artes > Barroco no Brasil

Barroco no Brasil

O Barroco não surgiu de repente (1580 à 1756 em Portugal e 1601 á 1768 no Brasil), foi uma manifestação cultural que aos poucos se transformou em um Estilo de Época, aqui tentaremos passar o que nós aprendemos sobre o barroco.

O Brasil ainda se estruturava sócio economicamente como país colônia de base açucareiro. Somente a Bahia e Pernambuco produziam alguma atividade cultural. O Barroco no Brasil é marcado também pela expulsão definitiva dos franceses (1615) e pelas invasões holandesas, na Bahia (1624) e em Pernambuco (1630). O Nordeste passa por rápidas mudanças econômicas, por meio do contato com os holandeses, até sua expulsão, em 1654. Com o declínio da cana-de-açúcar, a hegemonia econômica transfere-se para Minas Gerais, onde há extração de minérios outra fonte de riqueza, que contribui para o desenvolvimento econômico.

O Barroco no Brasil foi o movimento artístico mais importante do per colonial, colocando em ascensão o catolicismo e a fé. Nasceu da crise de valores renascentistas, ocasionada pelas lutas religiosas e pela crise econômica vivida em consequência da falência do comércio com o Oriente. Inicia-se no Brasil em 1601, com a publicação do poema épico Prosopopeia, de Bento Teixeira. Estende-se por todo o século XVII e início do XVIII. Seu rebuscamento reflete o conflito entre o terreno e o celestial, o homem e Deus (antropocentrismo x teocentrismo), o pecado e o perdão, a religiosidade medieval e o paganismo renascentista, o material e o espiritual, que tanto atormenta o homem do século XVII. Surge uma tendência sensualista, caracterizada pela busca do detalhe num exagerado rebuscamento formal.

Podem ser notados dois estilos no Barroco literário:

Cultismo – caracterizado pela linguagem rebuscada, culta, extravagante; a valorização do detalhe mediante jogo de palavras. Tem forte influência do espanhol Luís de Gôngora; no Brasil podem ser citados: Gregório de Matos Guerra e Bento Teixeira.

Conceptismo – marcada pelo jogo de ideias, de conceitos, seguindo um raciocínio lógico, racionalista, usando uma retórica aprimorada. O espanhol Quevedo foi um dos principais nomes desse estilo; no Brasil, tem-se como exemplo o Padre Antônio Vieira.

O Barroco é também chamado de Seiscentismo por ser a estética (isto é, todas as manifestações artísticas da época: música, escultura, pintura, arquitetura e literatura) dominante do século XVII (1600 a 1700 d.C).

A origem da palavra Barroco ainda é muito controvertida. Barroco é sinônimo de bizarro. Para os artistas plásticos isto significa mau gosto e até mesmo coisa absurda. Alguns especialistas afirmam que etimologicamente a palavra está ligada a um processo mnemônico (relativo à memória) que designava uma sofisma (silogismo aristotélico com conclusão falsa). Outros dizem que designa a um tipo de pérola de forma irregular, ou até mesmo um terreno desigual, assimétrico.

O estilo Barroco também é conhecido por outros nomes. Recebeu denominações particulares em alguns países:

  • Gongorismo: Espanha, pela influência do poeta Luís de Gôngora y Argote (1561-1607).
  • Marinismo : Itália, pela influência exercida por Gianbattista Marini (1569-1625).
  • Eufuísmo : Inglaterra, devido ao título do romance Euphes, or the anatomy of wit, do escritor John Lyly (1554-1606).
  • Silesianismo : Alemanha, por ter caracterizado os escritores da região da Silésia , que originou a Escola Silesiana.
  • Preciosismo: França, passou a chamar preciosismo o culto à forma rebuscada na corte de Luís XIV, o Rei- Sol.

O Barroco caracterizou-se por ser o primeiro estilo de época da literatura no Brasil. E Gregório de Matos Guerra, por representar o primeiro poeta efetivamente brasileiro.

É sob luzes e sombras que a arte barroca aparece, influenciada intensamente pelas tensões de sua época.

Autores de obras literárias do Movimento Barroco no Brasil:

  • Padre Antônio Vieira
  • Gregório de Matos
  • Bento Teixeira
  • Botelho de Oliveira

Autoria: Daniela Midei

Veja também:

Veja também

Tempos Modernos – Chaplin

Chaplin e o cinema mundial A história da mais nova das artes começa no dia ...