Camilo Castelo Branco

Apesar de ter escrito dezenas de obras em diversos gêneros, foi a novela passional que caracterizou Camilo Castelo Branco como grande ficcionista. Sua obra é a principal expressão do Ultrarromantismo português.

Biografia

Camilo Castelo Branco (1825-1890) é o maior representante da novela passional em língua portuguesa. Seus personagens são obsessivos, senhores de atos extremos, sempre movidos por grandes paixões.

Retrato de Camilo Castelo Branco
Camilo Castelo Branco (1825-1890).

Nascido em Lisboa em 1825 e falecido em São Miguel de Seide, em 1890, Camilo, órfão aos 10 anos, foi criado por uma tia, em Vila Real, e depois por uma irmã mais velha, em Vilarinho de Samardã.

Com apenas 16 anos casa-se com Joaquina Pereira, uma moça de 15, mas logo a abandona juntamente com a filha. De 1843 a 1846, tentou cursar medicina em Coimbra e no Porto, mas abandonou o curso sem concluí-lo.

Em 1846, de volta a Vila Real, Camilo foge com Patrícia Emilia para Coimbra. Como não havia se separado da primeira mulher, é acusado de bigamia e preso. Depois de dois anos de prisão, obtém a liberdade. Em liberdade, os dois continuam o relacionamento amoroso, do qual nasce uma filha. Algum tempo depois, Camilo abandona Patrícia e passa a viver amores passageiros até conhecer Ana Plácido, esposa de Pinheiro Alves, um comerciante.

Ele e Ana foram condenados por crime de adultério e presos. Ao ser absolvido, assume a família: Ana Plácido, dois filhos seus e um, supostamente, de Pinheiro Alves. Com a morte de Pinheiro Alves, Camilo passa a morar com Ana Plácido na casa que ela herdara do marido, em São Miguel de Seide.

Desgostoso, vive a última parte de sua vida com Ana, seus dois filhos – um desocupado e o outro com problemas mentais – e a ameaça de cegueira. Apesar de ser um escritor de prestígio, isso não foi suficiente para suportar o desgosto. Acabou suicidando-se em 1º de junho de 1890.

Foto de família de Camilo Castelo Branco
Ana Plácido, Camilo Castelo Branco e um filho do casal.

Obra

O relato dessa vida passional é importante porque explica, em parte, as características da obra de Camilo Castelo Branco, principal representante do Ultrarromantismo português. Muitos estudiosos de sua obra afirmam que as inúmeras situações dramáticas presentes nos romances são transfigurações de sua própria vida.

Apesar da vida atribulada, Camilo, com o passar dos anos, tornou-se escritor profissional: escrevia por encomenda e em ritmo acelerado. Foi o primeiro autor português que conseguiu viver exclusivamente de seu trabalho literário.

Escreveu mais de 260 obras, entre romances, novelas, poemas, ensaios, traduções, prefácios, textos jornalísticos e de historiografia, crítica literária, teatro, discursos. E toda essa produção foi realizada numa época em que tudo era escrito à pena, pois não havia nenhum recurso técnico para o ofício de escrever.

Seu maior êxito literário, no entanto, encontra-se nas 54 novelas que produziu. Entre elas, novelas de terror, satíricas, históricas e passionais, que eram as de maior sucesso entre o público leitor.

Sua mais importante obra foi Amor de Perdição.

Por: Paulo Magno Torres