Home Física > Óptica > Cor da Luz

Cor da Luz

A cor sempre inspirou poetas, pintores, físicos e amantes da natureza. Os físicos, por sua vez, não se contentavam em somente apreciar os belos fenômenos coloridos, eles queriam entendê-los.

Publicidade

Por volta de 1665, enquanto estudava a formação de imagem por lentes, Newton percebeu que havia sempre manchas coloridas nas bordas das imagens. Para entender melhor o fenômeno, ele escureceu a sala, deixando passar um pequeno feixe de luz por um buraco na janela.

Então, colocou um prisma triangular no caminho da luz e observou que a luz aproximadamente branca do Sol separava-se nas cores do arco-íris. Esse fenômeno ficou conhecido como dispersão luminosa. Colocando outro prisma, ele descobriu que as cores poderiam ser recombinadas, para formar novamente a cor branca.

Cores da luz.
Dispersão da luz branca.

Como Newton era adepto da teoria corpuscular, ele explicou que cada cor era composta de partículas de tamanhos diferentes e que todas as partículas, viajando juntas, formariam a cor branca. Ao passarem do ar para o vidro, as partículas, por terem tamanhos diferentes, sofreriam desvios diferentes, decompondo assim as cores.

Publicidade
Newton estudou a cor da luz.
Newton estudando a luz

Na teoria ondulatória da luz, as cores são justificadas pela frequência de oscilação das ondas, em que cada cor possui uma frequência específica, o vermelho (menor frequência) e o violeta (maior frequência). No vácuo, todas têm a mesma velocidade, porém, nos meios materiais, suas velocidades diminuem de maneira desigual, causando o desvio e, consequentemente, a dispersão.

As cores também podem ser explicadas utilizando-se o conceito de fóton da mecânica quântica, em que cada cor é representada por um fóton com energias diferentes, o vermelho (menor energia) e o violeta (maior energia).

Observação importante:

Na parte de óptica, daremos ênfase ao estudo da luz visível, porém existem diversas frequências de luz que não podemos ver, acima do violeta (mais energia), existe o ultravioleta e, abaixo do vermelho, existe o infravermelho (menos energia), também conhecido como calor.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: