Home Geografia > Países > Emirados Árabes Unidos

Emirados Árabes Unidos

Apesar da acentuada aridez, o território outrora conhecido como Costa dos Piratas, depois Omã da Trégua, Estados da Trégua e finalmente Emirados Árabes Unidos, alcançou uma das rendas per capita mais elevadas do mundo na segunda metade do século XX, graças à exploração do petróleo.

Publicidade

Os Emirados Árabes Unidos são uma federação independente formada por sete emirados: Abu Dhabi (que compreende mais da metade do território da união), Dubai, Sharja, Ajman, Umm al-Qaiwain, Ras al-Khaima e Fujaira, que se situam numa estreita faixa litorânea do nordeste da península arábica. O país limita-se a noroeste com Qatar, ao sul e a oeste com a Arábia Saudita, a leste com Omã, a nordeste com o golfo de Omã e ao norte com o golfo Pérsico. Ocupa uma superfície de 77.700km2, na qual se incluem 200 ilhas.

Geografia física

O território da federação é formado por grande extensão desértica, coberta por salinas e areais. Essa paisagem só é quebrada pela presença das últimas ramificações dos montes al-Hajar, que se estendem pelo território de Omã.

O clima é quente e seco, com temperaturas que oscilam entre 15 e 21º C, no inverno, e entre 32 e 46º C, no verão, na costa e no interior, respectivamente. A precipitação média se situa entre 75 e 100mm anuais. Devido à aridez da região, os rios são praticamente inexistentes, e a presença de água reduz-se a pequenos oásis, onde crescem palmeiras e tamareiras.

Emirados Arabes

População

Ao lado da população árabe convivem numerosos contingentes de iranianos, paquistaneses e indianos. A língua oficial é o árabe. O país, pouco povoado, apresentou um ritmo de crescimento demográfico muito elevado nas últimas décadas do século XX, devido sobretudo à política de estímulo à natalidade adotada pelo governo para compensar a enorme saída de imigrantes.

A população é eminentemente urbana e concentra-se nas cidades do litoral e em alguns oásis do interior. Os principais núcleos urbanos são a capital, Dubai e Sharja.

Economia

Dadas as condições inóspitas do meio ambiente, tanto a agricultura como a pecuária e a exploração florestal são bastante deficientes. Já o setor pesqueiro é particularmente rico.

Os principais recursos minerais são o petróleo e o gás natural, que permitiram o desenvolvimento de uma vigorosa indústria, principalmente siderúrgica e metalúrgica. A produção de petróleo e de gás natural, iniciada na década de 1960, concentra-se em Abu Dhabi (quatro quintos do total) e nos emirados de Dubai e Sharja. Outros recursos minerais são o mármore, extraído em Ajman, e vários materiais de construção, como areia e calcários. A abundância de petróleo permite uma considerável produção de energia em centrais termelétricas.

Publicidade

O crescimento da atividade comercial e financeira, relacionada com a exploração petrolífera, refletiu-se na multiplicação da rede bancária nacional e estrangeira. Além disso, como conseqüência direta da expansão econômica, verificou-se grande desenvolvimento no setor de transportes, tanto terrestre (rodovias), como aéreo (aeroporto de Dubai) e marítimo (portos de Abu Dhabi e Dubai).

História

A arqueologia assinalou a existência de importantes entrepostos comerciais nas costas do golfo Pérsico, já no tempo dos sumérios. A região manteve-se vinculada ao resto da Arábia até o século XVI, quando os portugueses desembarcaram no litoral. Cem anos depois, chegou a companhia inglesa das Índias Orientais, cujos funcionários foram continuamente hostilizados por piratas, donde a designação de Costa dos Piratas. Os ingleses reagiram, e em 1853 firmaram com os xeques um tratado que estabelecia uma trégua marítima. Assim, a região passou a denominar-se Omã da Trégua. O território esteve sob protetorado inglês de 1892 a 1960, quando se formou o governo dos Estados da Trégua. A situação se manteve assim até 1971, quando o Reino Unido retirou suas tropas do país. Em 2 de dezembro de 1971 nasceu a federação dos Emirados Árabes Unidos como nação independente. No início, só seis estados integravam esse grupo; depois, em 1972, Ras al-Khaima incorporou-se à federação, enquanto Bahrein e Qatar optaram por formar seus próprios estados.

Com a conquista da independência, promulgou-se, em dezembro de 1971, uma constituição provisória, reformada em 1976 e 1981, que concedeu a máxima autoridade a um conselho supremo composto pelos xeques de cada emirado. Além disso, instituiu-se uma série de organismos aos quais se outorgaram os poderes executivo e judiciário, embora de caráter federal, já que cada emirado mantinha sua autonomia em matéria legislativa, tributária, criminal etc.

Os Emirados Árabes Unidos fazem parte da Liga Árabe, da Organização de Países Exportadores de Petróleo, do Conselho de Cooperação do Golfo Pérsico, do Movimento de Países não-Alinhados e da Organização das Nações Unidas.

Sociedade e cultura

A situação social do país apresenta graves contrastes devido às diferenças existentes entre os emirados. Não obstante, a federação destina grande parte de seu orçamento à melhoria dos serviços sociais, tanto na saúde como na educação.

Os Emirados integram o mundo árabe, com cultura e religião islâmicas. Graças à prosperidade da indústria petrolífera, o país modernizou-se bastante, embora ainda subsistam formas tradicionais de vida e organizações tribais patriarcais.

Veja também: