Artes

MASP

O Museu de Arte de São Paulo, MASP, é considerado um dos mais importantes museus da América do Sul e está na lista das atrações turísticas mais visitadas na cidade de São Paulo. Sua arquitetura simples, mas inovadora, transformou-o em um dos principais cartões-postais da cidade.

História

Em 1946, o empresário e jornalista Assis Chateaubriand e o jornalista e crítico de arte italiano Pietro Maria Bardi idealizaram o MASP e, em 1947, ele foi inaugurado e instalado no prédio dos Diários associados, de propriedade de Assis Chateaubriand.

Em 1968, foi inaugurada a nova sede do museu, no coração da Avenida Paulista, projetada pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi, esposa de Pietro Maria Bardi. A inauguração do novo prédio contou com a presença da rainha Elizabeth da Inglaterra, de figuras ilustres da época e de um grande público em frente ao prédio. O tempo entre o projeto e a construção foi de 12 anos. O resultado foi compensador, pois surgia um edifício inovador e único no mundo.

Arquitetura

A arquitetura moderna desse museu atrai muitos visitantes, por se diferenciar dos prédios convencionais. Sua construção foi inspirada em um contêiner com o objetivo de armazenar arte. O corpo principal do museu pousa sobre quatro pilares laterais que formam um vão livre de 74 metros de extensão, conhecido como vão livre do MASP. Foi e ainda é palco para eventos diversos.

Contribuem para a beleza da construção as janelas de vidro escuro, que se contrapõem com as colunas vermelhas que sustentam o prédio e proporcionam ao visitante uma linda vista do centro da cidade e da Serra da Cantareira. O doador do terreno, a Prefeitura de São Paulo, impôs que a vista deveria ser preservada.

Além da arquitetura inovadora, Lina criou um projeto museográfico ousado na história: as pinturas eram instaladas em cavaletes de vidro e pareciam estar flutuando dentro de uma grande caixa transparente. Esse sistema permitia que o visitante encontrasse as obras de maneira mais livre, sem se preocupar com o percurso.

Com a morte de Lina, em 1992, e o afastamento de Pietro Maria Bardi, em 1996, o museu vem passando por mudanças e sérias crises financeiras. Os cavaletes foram substituídos por painéis convencionais e pequenas reformas descaracterizaram alguns elementos da construção original.

Foto da parte externa do MASP.
O MASP, no coração da capital paulista, ostenta um arquitetura única no mundo.

O acervo e outras opções do museu

Desde 1969, seu acervo, com cerca de 8 mil obras, foi tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), com obras de pintores nacionais e internacionais. Além desse acervo, o visitante ainda tem oportunidade de ver as exposições temporárias que acontecem durante o ano.

Além de museu, o MASP também é um importante centro cultural e conta com escola de arte, biblioteca, pinacoteca e outros, além de oferecer serviços educativos. O calendário é repleto de programações durante o ano todo.

O prédio conta ainda com cafeteria, lojas e um restaurante. Oferece acessibilidade às pessoas com necessidades especiais e espaços para crianças. Por oferecer tantas atrações, o MASP tornou-se um dos locais mais frequentados, visitados e serve como referência cultural no coração da cidade de São Paulo.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: