Corpo Humano

Formação da Urina

A urina humana é um líquido formado e eliminado pelo sistema urinário. É composta de água, ureia e outras substâncias dispensáveis ao organismo, como fosfatos, sulfatos, amônia e ácido úrico.

A quantidade de urina eliminada por dia depende de diversos fatores, como a quantidade de líquidos ingerida, a atuação hormonal, o uso de antidiuréticos etc. Em média, uma pessoa adulta saudável produz de 1 L a 1,5 L de urina por dia.

A urina se forma no interior dos néfrons, estruturas presentes nos rins, em três processos consecutivos: filtração glomerular, reabsorção tubular e secreção tubular.

1ª etapa: filtração glomerular

O sangue a ser filtrado, proveniente das artérias renais, chega ao néfron pelas arteríolas aferentes. Ao passar sob alta pressão pelos capilares do glomérulo, perde para a cápsula renal água e pequenas moléculas dissolvidas no plasma (como ureia, sais e moléculas orgânicas simples).

As proteínas presentes no plasma e os elementos figurados do sangue, por serem moléculas muito grandes, não atravessam a parede dos capilares do glomérulo. No restante, todas as substâncias presentes no plasma são encontradas no fluido filtrado que se formou, conhecido como filtrado glomerular ou urina inicial, que se concentra no interior da cápsula renal. Moléculas de pequeno tamanho dissolvidas em água, tais como glicose, sais, aminoácidos e ureia, constituem o fluido envolvido no processo de filtração glomerular.

2ª etapa: reabsorção

O filtrado glomerular tem composição química muito semelhante à do plasma sanguíneo. Até se transformar em urina, o filtrado glomerular passa por modificações durante sua passagem pelos túbulos renais, processo que envolve o túbulo contorcido proximal, a alça néfrica, o túbulo contorcido distal e o ducto coletor.

Em 24 horas, cerca de 180 litros de filtrado glomerular e apenas 1 L a 1,5 L de urina são produzidos. Aproximadamente 99% do líquido filtrado é reabsorvido, à medida que ele segue pelos túbulos renais. Água, sais, glicose, aminoácidos e outras substâncias reabsorvidas voltam à circulação.

Esse é um processo ativo pelo qual a rede de capilares recolhe partículas do líquido filtrado e as devolve à corrente sanguínea. Há reabsorção quase total de certos solutos, como glicose, aminoácidos e outras substâncias úteis para o organismo, principalmente no túbulo contorcido proximal. Com a reabsorção dessas substâncias, o sangue fica mais concentrado. Torna-se necessária, assim, a reabsorção de água para regular sua osmolaridade. A água é reabsorvida principalmente na alça néfrica e no ducto coletor – por osmose, um processo passivo de reabsorção tubular.

3ª etapa: secreção

Podemos entender a etapa de secreção como complementar à da formação de urina. Nesse processo, as células da parede do túbulo contorcido distal secretam as substâncias indesejáveis, como ácido úrico e amônia, etapa considerada inversa à da reabsorção tubular.

Após passar pelo túbulo do néfron, o filtrado glomerular transforma-se em urina – líquido de cor amarelada que contém, principalmente, ureia, creatinina e pequenas quantidades de amônia, ácido úrico e sais.

Creatinina é uma substância derivada da degradação da creatina fosforilada (produzida por fígado, rins e pâncreas e transportada aos músculos).Tal processo ocorre durante a atividade de contração muscular. Filtrada livremente nos rins, a creatinina não sofre reabsorção renal.

A urina é a soma do conteúdo filtrado nos glomérulos e o conteúdo secretado pelos túbulos, menos o conteúdo reabsorvido.

Etapas de formação da urina.
Corte longitudinal de rim humano, destacando-se a localização e a estrutura geral do néfron.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: