Como Fazer

Como Fazer Anotações

As anotações são tomadas a partir de uma exposição oral. Seu objetivo é registrar e conservar a informação fundamental proporcionada pela pessoa que faz a exposição: o professor em aula, um palestrante etc.

Fazer anotações implica selecionar e anotar a informação à medida que a recebe. Isso exige um considerável esforço de atenção e de capacidade de discriminar e resumir de forma rápida a informação relevante.

De forma geral, as anotações são tomadas com o propósito de serem estudadas. Para que esse objetivo seja alcançado, as anotações devem ser concisas e claras, resultando em uma leitura posterior compreensível.

Mulher fazendo anotações em um caderno.

Como fazer anotações de modo eficaz

A tomada de notas é realizada ao mesmo tempo que se transmite a informação e, geralmente, não é possível voltar e escutar tudo de novo.

Para tomar notas de forma eficaz, é necessário estar atento a algumas observações gerais:

  • Anotar unicamente o fundamental, de forma clara e sucinta. Não se deve tentar registrar na íntegra o que se diz, e sim selecionar a informação e reformulá-la com as próprias palavras. Tampouco é necessário empregar enunciados em forma de oração; às vezes, é mais útil e rápido condensar a informação por meio de termos (verbos e substantivos) suficientemente expressivos.

Suponha-se, por exemplo, que se receba a seguinte informação oral:

Assim que nasce, o bebê é submetido ao teste de Apgar, em que se avaliam cinco categorias: calor, frequência cardíaca, reflexos, musculatura e esforço respiratório.

Essa informação poderia ser anotada assim:

Teste de Apgar avaliação de calor, frequência cardíaca, reflexos, musculatura e esforço respiratório.

  • Organizar e hierarquizar a informação. Podem-se empregar diversos marcadores: títulos e subtítulos, diferenciação de margens para enfatizar as relações de dependência, esquematizações mediante números, letras, asteriscos (*), traços (-) etc.

Dicas para fazer as anotações

A seguir são apresentados alguns conselhos práticos para a tomada de anotações:

  • Anotar na parte superior da folha a data, a matéria e o título correspondente ao conteúdo que será exposto (por exemplo, “As classes de palavras”, “Os estados do Brasil”, “Os poliedros”),
  • Deixar margens amplas que permitam adicionar posteriormente anotações ou comentários.
  • Procurar distinguir os diferentes tópicos da exposição e empregar subtítulos específicos para cada um. Assim se conseguirá estruturar as anotações e facilitar seu estudo,
  • Caso se perca parte da exposição, é conveniente deixar um espaço em branco e continuar. Mais adiante, o trabalho será finalizado com a consulta das anotações dos demais companheiros e com perguntas ao professor ou palestrante.
  • Anotar da forma mais exata possível as definições, as fórmulas e os dados específicos, como datas e nomes de pessoas ou lugares.
  • Empregar abreviaturas para anotar palavras de uso. Por exemplo:
x: por tb: também s: século
q: que =: igual ppal: principal
sg: segundo ≠: distinto ex: exemplo
+q: mais do que -q: menos do que pq: porque
qq: qualquer tpo: tempo ha: história
Obs: observação tp: tampouco a/t: através

Ao fazer anotações, a tarefa fundamental é selecionar e hierarquizar a informação. A seguir, há um exemplo em que a informação está organizada hierarquicamente:

Exemplo de anotação

Geografia e História
25/10/2002

Os processos de urbanização

Diversidade dos processos urbanos:

  • Países desenvolvidos:
    – Urbanização precoce (<-Revolução Industrial): proliferação das indústrias + êxodo rural + explosão demográfica -> grande expansão da cidade.
    – Atualmente: expansão limitada (ritmo natural de crescimento).
  • Países em desenvolvimento:
    – Urbanização tardia e brusca.
    – Atualmente: crescimento das cidades devido à migração de grandes massas de população camponesa.

Como detectar a informação relevante

A pessoa que faz uma exposição oral costuma oferecer uma série de “pistas” ou j indicações sobre aqueles elementos da exposição que têm uma importância maior e aos | quais, portanto, se deve prestar mais atenção.

  • Quem expõe pode indicar de forma explícita a relevância que concede a um determinado elemento: “O que vou dizer agora é importante”. Um tom de voz enfático ou uma dicção pausada também podem ser indícios de que a informação a ser exposta é importante.
  • As mudanças de tema costumam ser marcadas de forma nítida, com a intenção de que o receptor perceba a estrutura da exposição. Por exemplo: “Agora vamos falar das propriedades dos metais”. Convém estar atento a essas mudanças e marcá-las nas anotações, abrindo uma nova seção.
  • Com frequência, o professor escreve no quadro aqueles conteúdos que devem ser registrados de forma literal: definições, fórmulas, esquemas. Devem-se copiar esses elementos, assegurando-se de não cometer nenhum erro.

Reorganizar as anotações

O trabalho com as anotações não acaba assim que elas são tomadas. As anotações, tal como ficam ao terminar a exposição oral, devem ser consideradas uma primeira versão ou esboço que exige uma posterior reorganização. É conveniente que se leiam as anotações, quando ainda se tem na memória o conteúdo da exposição.

Nessa leitura, podem-se detectar as possíveis lacunas e os pontos que não ficaram claros. Deve-se prestar atenção especialmente à estrutura dada às anotações e adicionar aquelas indicações que contribuam para melhorar a organização.

Em um momento posterior, será necessário verificar, examinar e completar a informação coletada. Quando houver dúvidas, será necessário comprovar a exatidão das anotações tomadas, consultar o professor ou pesquisar materiais impressos, como enciclopédias e monografias. Em qualquer caso, será sempre útil contrastar as anotações com as de outras pessoas, para completar e aperfeiçoar o trabalho.

“Passar a limpo” as anotações

É conveniente passar a limpo as anotações, o que implica transcrevê-las cuidadosamente, prestando atenção a questões como a pontuação e a ortografia. Será o momento oportuno para consolidar a estrutura do que foi anotado (divisão em tópicos e parágrafos).

Um computador facilitará em grande parte essa tarefa, visto que qualquer processador de textos permite introduzir adições ou modificações com facilidade.

Uma vez passadas a limpo, as anotações devem constituir um resumo ordenado e claro da exposição oral, já consolidado para estudo.

Por: Paulo Magno Torres

Veja também: