Home Exercícios Resolvidos > Exercícios de Geografia > Comércio Externo – Exercícios

Comércio Externo – Exercícios

01. (CESGRANRIO) No 1º aniversário do Plano Real, festejou-se a queda das taxas de inflação de 50% para 2% ao mês. Para muitos analistas, no entanto, o desempenho do Real, no início de 1995, esteve ameaçado, tendo em vista repercussões das dificuldades experimentadas pelos planos da estabilização econômica dos governos do México e da Argentina, que rediriam na manutenção prolongada de políticas de:

Publicidade

a) substituição de importações por similares nacionais.
b) transferência de tecnologias avançadas dos países desenvolvidos.
c) criação de empresas estatais em setores estratégicos.
d) sobrevalorização da moeda nacional frente ao dólar norte-americano.
e) atração de investimentos estrangeiros de longo prazo.

02. (FEMM/FIO/VEST) As exportações de manufaturas destacam-se no corredor de exportação de:

a) São Paulo
b) Minas Gerais – Espírito Santo
c) Rio de Janeiro
d) Paraná
e) n.d.a.

03. (UNIFENAS) Sobre o comércio exterior brasileiro seria errado afirmar que:

a) Houve grande aumento das exportações de manufaturados e semi-industrializados superando exportações de produtos primários.

b) Menor dependência em relação ao mercado norte-americano.

c) Grande diversificação quanto aos tipos de produtos exportados e quanto aos parceiros comerciais.

d) Apresenta diminuição gradativa do volume de mercadorias exportadas e do valor de exportações.

e) A balança comercial apresenta um superávit, desde 82, apesar de não poder ser considerado como lucro.

04. (UFPA) As regiões brasileiras exercem diferentes papéis no que diz respeito a “divisão inter-regional do trabalho”  ressaltando-se que:

a) a Região Sudeste coordenando o mercado nacional, caracteriza-se por ser exportadora unicamente de produtos provenientes do setor primário.

b) A Região Sul desempenha um papel eminentemente industrial, como fornecedora de produtos do setor secundário.

c) A Região Norte, caracteriza-se pela exportação de matéria-prima de origem diversa, com destaque para os minérios.

d) A Região Nordeste, mesmo com seus problemas endêmicos consegue ser fornecedora de alimentos para a força de trabalho de outras regiões.

e) A Região Centro-Oeste caracteriza-se principalmente pela exportação de produtos agrícolas com destaque para o cacau e o fumo.

05. (UNIFENAS) São características do comércio exterior brasileiro na década de 80, exceto:

a) Aumento das exportações e diminuição das importações.
b) Grande aumento nas exportações de produtos industrializados.
c) Saldos comerciais positivos a partir de 83.
d) Diversificação dos mercados compradores.
e) Diminuição significativa do comércio com a Argentina.

06. (UFMG) Com a abertura das fronteiras brasileiras aos produtos manufaturados estrangeiros, evidenciou-se a fraca competitividade da maioria dos setores industriais do país. Sobre esse aspecto da nossa indústria, todas as alternativas estão corretas, exceto:

a) A competitividade da indústria está comprometida pelas recentes e generalizadas restrições à entrada de tecnologia estrangeira a à penetração de bens de capital.

b) A falta de competitividade da indústria brasileira resulta da fraca produtividade de determinados setores e da baixa qualidade dos produtos colocados no mercado.

c) A indústria brasileira adotou, até bem recentemente, a estratégia de aumentar receitas por meio de aplicações financeiras em detrimento de investimentos produtivos na modernização do setor.

d) A maior parte dos setores dessa atividade é voltada apenas para o mercado interno que, embora se situe entre os maiores do mundo, é pouco exigente e não estimula a competitividade.

e) N. d. a.

Publicidade

07. (BRAGANÇA PAULISTA) Para facilitar o aumento da produção brasileira destinada à exportação, o governo federal criou os “corredores de exportação”, que podem ser assim definidos:

a) sistema de conjugação de transportes, portos, silos e frigoríficos para receber, conservar e exportar os produtos para o mercado externo;

b) conjunto de rodovias que alcançam os mais distantes e interiorizados centros de produção para conectá-los com os grandes eixos viários;

c) tratamento preferencial que, enfatiza os principais produtos locais, como a soja em Paranaguá, o café em Santos, o minério de ferro em Vitória e outros;

d) conjunto de normas e processos fiscais e financeiros que desburocratizaram e agilizaram as exportações;

e) sistema de empresas de produção, transporte e armazenamento – as trading companies – para escoamento e exportação de produção.

08. O acordo com os europeus

“O acordo de cooperação entre a União Européia e o Mercosul, assinado nos dias 15 e 20 de dezembro de 1995, prevê o fomento do intercâmbio em diversos setores. Por este acordo, ficou acertado que os Estados-partes da União Européia e os países-membros do Mercosul envidarão esforços a fim de promover a cooperação empresarial com o propósito de criar um marco favorável de desenvolvimento econômico que tenha em conta seus interesses mútuos. Para reafirmar as bases de tal acordo, particularmente o presidente francês Chirac empenhou-se em convencer o Brasil das vantagens de atrelar os negócios nacionais preferencialmente à Europa em lugar de fazê-lo com os Estados Unidos. Chirac ofereceu a França como porta de entrada para ampliar o comércio brasileiro com a União Européia.”
(adaptado da Revista Mercosul, maio de 1996 e Revista Veja, março de 1997)

De acordo com o conteúdo do texto podemos afirmar que, exceto:

a) Os EUA vêem com maus olhos a concorrência que o Mercosul faz à ALCA (Área de Livre Comércio das Américas.

b) O texto não corresponde à realidade, não há grande interesse em integrar o Mercosul à U.E. (União Européia).

c) O esforço de ampliar os contatos com as economias emergentes, entre outros o Brasil, e a preferência de negociações entre blocos.

d) Dentro da Nova Ordem Mundial a idéia é ampliar cada vez mais os blocos econômicos.

e) O Mercosul já mantém relações amplas com a U.E.

09. (USP) Com base nas informações do gráfico abaixo, podemos afirmar que, no período de 1966 e 1975:

a) o valor das exportações brasileiras foi sempre inferior ao valor das importações;
b) o valor das exportações brasileiras atingiu seu ponto mais baixo no ano de 1966;
c) o valor das importações brasileiras atingiu seu ponto mais alto no ano de 1975;
d) sempre houve equilíbrio entre o valor das exportações e o valor das importações brasileiras;
e) a maior diferença entre o valor das exportações e o valor das importações brasileiras ocorreu em 1974.

Leia o artigo: Abordagem Histórica da Economia

 

Respostas:

01. D02. A03. D04. C
05. E06. A07. A08. B
09. E