Home História > Peste Negra

Peste Negra

A chamada Grande Fome começou em 1314 em razão de problemas climáticos que provocaram péssimas colheitas. Essa situação repetiu-se até 1317. Nesse período, milhares de pessoas morreram e outra grande parcela da população ficou enfraquecida e mais vulnerável a doenças.

Publicidade

Essa situação de desnutrição foi a origem para a pior das catástrofes conhecidas pelos europeus até então: a peste bubônica, comumente chamada de peste negra, já que suas vítimas ficavam com a pele enegrecida por manchas escuras após serem acometidas pela doença.

No período de 1347 a 1350, a peste negra matou cerca de um terço da população europeia, algo em torno de vinte milhões de pessoas. A doença é transmitida por um tipo de pulga encontrada em alguns roedores e acredita-se que ela tenha sido trazida da Ásia em navios mercantes italianos, pois os porões desses barcos eram infestados de ratos.

Na Europa, a falta de condições mínimas de higiene contribuiu em muito para a rápida propagação da epidemia.

Qualquer que seja a explicação científica para a disseminação tão rápida e devastadora da doença, o fato é que ela afetou profundamente as relações sociais e econômicas da Europa, além de acentuar os problemas da França e da Inglaterra, que estavam vivendo os anos iniciais da Guerra dos Cem Anos.

A peste negra afetou o imaginário dos europeus, fazendo a ideia da morte ficar ainda mais presente em seu cotidiano. Havia a crença de que a epidemia era um castigo divino, pensamento que era reforçado pelos castigos que a Igreja Católica pregava aos pecadores, desde a Alta Idade Média.

Quadro que retrata o enterro de vítimas com a peste negra.
O enterro das vítimas da praga em Tournai, detalhe de miniatura do século XIV. A peste negra teve como foco as cidades e estava associada à falta de hábitos de higiene, à proliferação de ratos e pulgas, que eram os vetores iniciais da doença.

A bem da verdade, a doença se propagou devido à grande quantidade populacional na Europa, somada às péssimas condições de higiene, incluindo a falta de saneamento básico.

À medida que as estruturas do sistema feudal ruíam, mais as classes populares sofriam as consequências. Os senhores intensificavam a exploração sobre a massa de camponeses e aumentavam os impostos na tentativa de resolver seus problemas.

Com a dizimação de um terço da população europeia pela peste negra, os senhores de terras presenciaram uma diminuição considerável da mão de obra disponível, o que os fez aumentar a exploração sobre o trabalho existente.

Os servos perceberam que era hora de reivindicar melhores condições de vida, provocando sérias revoltas camponesas. Enquanto isso, a burguesia revoltava-se também contra a opressão exercida pelos senhores sobre as cidades.

Era o fim da Idade Média.

Veja também: