Português

Formas Nominais do Verbo

As três formas nominais do verbo – gerúndio, particípio e infinitivo – caracterizam-se por seu valor modal e temporal dependente do contexto em que ocorrem.

O gerúndio, invariável, possui formas simples e compostas.

O particípio, que se flexiona em gênero e número, mas não em pessoa, tem apenas formas simples.

O infinitivo, variável em número e pessoa, tem formas simples e compostas. Vale lembrar, no entanto, que o infinitivo impessoal é invariável.

1. Gerúndio

  • Apresenta o processo verbal em andamento, incompleto, prolongado:

Foi daqui que vimos os meninos correndo.
Saiu daqui correndo.

Estou estudando mais ultimamente. (locução verbal)

  • Exprimindo processo já concluído, a forma composta do gerúndio tem valor de pretérito perfeito:

Sabíamos que, havendo estado lá, não mais se adaptaria a nós.

  • Conforme o verbo auxiliar que se lhe anteponha, denota diferentes aspectos da ação verbal:

Estamos revendo o caso. (aspecto durativo)

2. Particípio

  • Variável em gênero e número, apresenta o resultado de um processo verbal concluído no pretérito, presente ou futuro:

Feitas as apresentações, estávamos tranquilos.
Feitas as apresentações, estamos tranquilos.
Feitas as apresentações, estaremos tranquilos.

  • Com os auxiliares ter e haver, forma os tempos compostos ativos:

Tínhamos realizado a viagem.

  • Forma locuções verbais passivas com os verbos auxiliares ser, estar e ficar:

Aquela agência bancária foi assaltada novamente.

  • Sem auxiliar, participa de orações reduzidas adjetivas ou adverbiais:

Recolheu as roupas deixadas no varal. (adjetiva)

3. Infinitivo

O infinitivo apresenta o processo potencial do verbo, a ideia intemporal da ação em si. Pode ser flexionado (pessoal) ou não flexionado (impessoal). Fundamentalmente, o primeiro evidencia o agente do processo e o segundo enfatiza o processo em si mesmo.

A) Infinitivo impessoal

O infinitivo não flexionado é empregado:

  • quando não alude a qualquer sujeito determinado:

Recordar é viver.

  • quando tem valor imperativo:

Pelotão, apresentar armas!

  • em locuções verbais:

Devemos sair agora.

  • como complemento nominal de adjetivo, com preposição de (oração completiva nominal):

Difícil de fazer e fácil de esquecer.

  • com verbos causativos (deixar, mandar, fazer) e sensitivos (ver, sentir, ouvir) desde que o sujeito seja pronome átono:

Deixaram-nos entrar.

B) Infinitivo pessoal

Flexiona-se o infinitivo em número e pessoa quando:

  • o sujeito expresso ou elíptico não coincide com o da oração principal:

Era necessário contarmos tudo.

  • o sujeito é indeterminado:

Por que você deixou fazerem isso com seu material?

  • é substantivado:

É pessoa de muitos quereres.

Observações

Com verbos causativos (deixar, mandar, fazer) e sensitivos (ver, ouvir, sentir), desde que o sujeito seja substantivo ou equivalente, pode-se flexionar ou não o infinitivo:

Mandei aquelas senhoras entrarem. (ou entrar)

Em locuções com o verbo parecer, admitem-se duas construções:

  • Verbo parecer flexionado + verbo principal no infinitivo impessoal.

Às vezes, eles parecem não ver as coisas com clareza.

  • Verbo parecer na 3ª pessoa do singular + verbo principal no infinitivo flexionado.

Às vezes, eles parece não verem as coisas com clareza.

O infinitivo pessoal e o impessoal ocorrem em subordinadas substantivas, adjetivas e adverbiais reduzidas. Aliás, as substantivas reduzem-se apenas com verbo no infinitivo:

  • Decidi ficar em casa. (subst. objetiva direta)
  • É música de inspirar sentimentos. (adjetiva)
  • Por ser menor, tinha certas regalias. (adv. causal)

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: