Sociologia

Senso Comum

O que é senso comum

Senso comum é a primeira forma de conhecimento praticada pelo homem, desde o instante em que passou a viver em grupos. Trata-se de característica comum às sociedades humanas e apenas a essa espécie, que não depende apenas de seu instinto para sobreviver.

Esse conhecimento se manifesta através de nossa experiência pessoal e coletiva e das crenças que nascem dessa convivência coletiva; por meio de nosso cotidiano, vamos firmando certas percepções que aparentam ser verdadeiras e passamos a incorporá-las como se fossem verdades absolutas.

A importância do senso comum

O senso comum se forma mediante repetição das tarefas no dia a dia. As repetições acabam por transformar-se em rotinas, que fazem o indivíduo se sentir seguro por saber como se comportar e agir no mesmo ambiente.

A rotina, primeiro passo para interiorizar uma informação sobre o mundo, é essencial para o ser atravessar o dia, permitindo-lhe realizar grande quantidade de tarefas sem gastar tempo considerável, até porque elas se tornam tão naturais que lhe parece ter sempre sabido realizá-las. Essa sensação confere certa naturalidade às tarefas do cotidiano, como se elas fossem parte do indivíduo desde o nascimento.

Esse tipo de conhecimento também garante a sobrevivência dos homens, visto possibilitar a transmissão dos conhecimentos de geração a geração, por meio da fala e, mais tarde, da escrita.

Os perigos do senso comum

É importante também compreender que essa forma de conhecimento rotineiro não é precisa e guarda grande quantidade de perigos. Afinal, a repetição do cotidiano pode causar a equivocada sensação de que mudanças não existem e que a realidade imediata em que se vive seja a única possível.

A crença de que essa realidade acabada seja única pode gerar obstáculos de convivência. É o caso do estereótipo, ou seja, a visão simplista que se faz de outros seres sociais e acontecimentos, que pode gerar preconceito e exclusão.

Charge sobre o senso comum.
O senso comum auxilia nas tarefas cotidianas, como o ato de vestir-se, ao mesmo tempo que providencia uma visão de mundo pronta e simplificada.

Senso comum e a ciência

O senso comum corresponde à primeira forma de compreensão que o homem possui do mundo e da realidade ao seu redor, no entanto, por ser uma forma de conhecimento desorganizado, inexato e ancorado em tradições sociais, não tende a buscar uma verdade que seja comprovada cientificamente, motivo pelo qual a Sociologia deve se dedicar a superá-lo em busca da visão científica da realidade social.

Para tanto, é preciso alterar nosso comportamento diante da realidade que nos cerca, adotando uma nova perspectiva, mais crítica e desmistificadora desta realidade, o que corresponde ao que os sociólogos chamam de estranhamento, ou seja, procurar uma solução que não resulte de nossas primeiras impressões, mas de uma investigação científica e racional dos acontecimentos em questão.

Nesse sentido, é importante que o discurso científico procure desmascarar outras formas de conhecimento incorporadas ao cotidiano social. A validação do discurso científico passa pela identificação e pelo desmascaramento do conhecimento proveniente do senso comum, de nosso cotidiano, desprovido do rigor científico que confirmaria a veracidade das conclusões dele provenientes.

Referência:

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma ciência pós-moderna. Porto: Afrontamento, 1989.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: