Tropicalismo

Em 1967 (final da década de 60), iniciou-se um movimento cultural, o movimento tropicalista.

O tropicalismo teve por base a tentativa de revelar as contradições próprias da realidade brasileira mostrando o moderno e o arcaico, o nacional e o estrangeiro, o urbano e o rural, o progresso e o atraso, em suma, o movimento não chegou a produzir uma síntese destes elementos, mas buscou traduzir a complexidade fragmentária da nossa cultura.

Buscando "mastigar" e "triturar" tudo, liderado por Gilberto Gil e Caetano Veloso, juntamente de outros como Torquato Neto, Gal costa, Tom Zé, o poeta José Carlos Capenam, o maestro Rogério Duprat, Nara Leão e mais, buscavam incorporar à MPB elementos da música pop, sem esquecer aqueles nomes que prestaram um importante papel no movimento evolutivo da nossa música.

Liberdade é a palavra fundamental do tropicalismo, que revolucionou a música popular brasileira, até então dominada pela Bossa Nova.

O antropofagismo é mais um ciclo dentro do segundo movimento modernista iniciado em 1928 por um grupo de intelectuais paulistas chefiados pó Oswald de Andrade , no movimento Pau Brasil, na semana modernista de 1922.

Visava captar "uma outra nação" de enlances profundos, de fazer uma renovação no Brasil e procurar alcançar uma síntese de consciência nacional.

Além disso, o tropicalismo não foi um movimento puramente musical, foi um comportamento adotado por todos os gêneros artísticos.

No teatro, surgiu "O rei da vela" de Oswald de Andrade, dirigido por José Celso Martinez Corrêa, além dos famosos, "Parangolés", do artista plástico Hélio Oiticica e "Roda Viva", de Chico Buarque, também dirigida pó José Celso Martinez Corrêa ; no cinema, o filme como "Macunaíma", de Joaquim Pedro de Andrade; na televisão, o programa do Chacrinha, misturando todas as classes sociais e culturais e, no jornal, através dos textos de Nelson Mota, Ruy Castro e Torquato Neto.

"Essa história de "ismos" é muito chata, reduz a coisa momentânea, e a Tropicália é uma coisa de repercussão enorme, além do prazo.

E eu queria dizer aqui é uma Tropicália, no sentido da música, foi uma radicalização tão grande quanto a poesia concreta também foi no sentido da poesia. Quer dizer, a gente mexeu exatamente com a forma da música brasileira. E eu acredito sinceramente que isso é coisa importante em qualquer processo cultural.

Ou você mexe com a forma ou não mexe com nada." (palavras de Torquato Neto)

Uma das fontes inspiradoras foi a exposição tropicália que o artista plástico Hélio Oiticica realizou em abril de 1967, tendo como objetivo principal "contribuir fortemente para essa objetivação de uma imagem brasileira total, para a derrubada do mito universalista da cultura brasileira, toda calcada na Europa e na América do norte"

Criar com a tropicália a mito da miscigenação (negros, índios, brancos).

Afirmava que a cultura brasileira não deveria receber influências européias.

"Para a criação de uma verdadeira cultura brasileira, característica e forte, expressiva ao menos, essa herança maldita européia e americana terá que ser absolvida, antropofagicamente, pela negra e índia da nossa terra, que na verdade são as únicas significativas, pois a maioria dos produtos da arte brasileira é híbrida, intelectualizada ao extremo, vazia de um significativo próprio." (Hélio Oiticica)

O deslanchar do tropicalismo foi no II Festival da Música Popular Brasileira, promovido em outubro de 1967 pela TV Record de São Paulo, com a apresentação de Domingo no parque, de Gil e Alegria, Alegria, de Caetano Veloso, este que dizia " a esquerda festiva encontrou no festival de 67 sua primeira oportunidade de expor seus recalques e preconceitos". Era algo de novo na ordem da música popular brasileira.

Sem muita definição o movimento ia mesmo assim, incorporando novos dados informativos: som universal, musica pop, musica popular moderna.

Disco Tropicália
O disco Tropicália ou Panis et Circensis (1968),

O disco Tropicália, manifesto do movimento, vai da estética brega do tango-dramalhão Coração Materno, de Vicente Celestino (1894-1968), à influência dos Beatle e do rock em Panis et Circensis, cantada por Os Mutantes.

Entre 1967 e 1970, o tropicalismo traz irreverência e informabilidade, mas com uma teoria de fundo: a possibilidade de incorporação de tudo que era e foi considerado de mau gosto (cultura brasileira comparada com a cultura européia), resgatando-o e transformando-o.

Gilberto Gil e Caetano revolucionaram o cenário musical ao criar uma corrente que misturava a canção nacional ao rock, com seus amplificadores e guitarras elétricas. Outros traços marcantes eram as letras de forte cunho político e plumas, entre outros materiais.

No ano de 1967, Gil e Caetano foram presos e mandados para um exílio pelo governo militar e o movimento se enfraqueceu, logo, chegando ao fim, mas , sua sementes continuaram germinando.

Tudo isso ocorria em um clima de repressão política severa em 1968.

Em 1997, quando comemorou-se 30 anos do tropicalismo, são lançados dois livros que contam a história do movimento:

Verdade Tropical de Caetano Veloso e Tropicália – A história de uma Revolução Musical do jornalista Carlos Calado

O Tropicalismo propunha:

  • Atualização da linguagem musical brasileira em relação ao que se vinha fazendo, especialmente na Europa (Beatles) e Estados Unidos (filosofia hippie) 
  • Crítica aos valores éticos, morais e estéticos da cultura brasileira 
  • Rejeição à tendência lírica da MPB através de uma linguagem mais realista e atual 
  • descompromisso total com os estilos, com os modismos, com as coisas feitas e esgotadas 
  • adoção de uma visão latino-americana inserida na realidade cotidiana.

Autoria: Daiany do Socorro Mendes



Comente!

Receba novidades

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados: Proibida a reprodução sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98)

O Cola da Web auxilia sua vida escolar e acadêmica ajudando-o em suas pesquisas e trabalhos. O Cola da Web NÃO faz a venda de monografia e É TOTALMENTE CONTRA a compra de trabalhos prontos, assim como, NÃO APOIA e NÃO APROVA quem deseja comprar Trabalhos Prontos, por isso nós incentivamos o usuário a desenvolver por conta própria o seu trabalho escolar, TCC ou monografia.
R7 Educa‹o