Home » História » Colonização Inglesa

Colonização Inglesa

A colonização inglesa

Depois das tentativas frustradas dos Caboto realizando as primeiras viagens para a América na época dos primeiros reis Tudor, Valter Raleigh fundou, em 1585, a colônia da Virgínia, no litoral atlântico dos Estados Unidos, uma área que os ingleses já defendiam como sua possessão. Essa colônia, cuja denominação é uma homenagem a Elizabeth I, chamada de Rainha Virgem, foi o primeiro estabelecimento colonial inglês na América e resultou em fracasso.

No século XVII, durante o reinado dos Stuart, foram criadas as companhias de comércio, que teriam o monopólio do comércio e colonização do Novo Mundo, além de propriedades concedidas pelos reis. Em 1606, a London Company procurou reocupar a Virgínia. Na mesma época a Plymouth Company, cuja concessão abrangia o Norte dos Estados Unidos, deu início à ocupação da Nova Inglaterra; em 1620, o navio Mayflower desembarcou um pequeno grupo de colonos puritanos, que fugiam das perseguições políticas e religiosas na Inglaterra. Esse núcleo daria origem à colônia de Massachussets.

As Treze Colônias

A partir da colônia de Massachussets, núcleo da Nova Inglaterra, formaram-se as colônias de Rhode Island (1644), Connecticut (1662) e New Hampshire, reconhecida em 1679. Ao mesmo tempo, tinha início a ocupação do Sul: em 1632, Lord Baltimore fundou a colônia de Maryland — refúgio para os católicos perseguidos na Inglaterra; em 1663, surgia a Carolina, que no século XVIII seria dividida em duas colônias (Carolina do Sul e Carolina do Norte).

A Geórgia, no extremo Sul da ocupação inglesa, só foi povoada em 1729 por presos por dívidas que para lá eram enviados. As colônias do centro, Nova York, New Jersey, Delaware e Pensilvânia, surgiriam um pouco depois, uma vez que a coroa inglesa transformou essa faixa do território em terra de ninguém, visando evitar conflitos entre nortistas e sulistas. No processo de estabelecimento das colônias centrais, destacou-se a figura de Wlliam Penn, fundador da Pensilvânia e de Delaware.

Desde cedo, a colonização da faixa atlântica dos EUA apresentou diferenças essenciais: no Norte e no Centro desenvolveram-se as colônias de povoamento, enquanto Sul, as colônias de exploração.

A Administração Inglesa

As treze colônias da América do Norte organizaram-se com base no self government — autogoverno — constante na legislação liberal inglesa, que reconhecia os direis fundamentais dos homens livres. Por essa razão, os colonos ingleses desfrutavam de grande autonomia política e administrativa, no âmbito de suas colônias.

Os governadores de cada colônia eram nomeados pela coroa inglesa; mesmo assim, na maioria das vezes, eram homens das próprias elites locais. Seus poderes eram limitados pelas Assembléias (Conselhos) locais e seus salários pagos pelos colonos.

No plano econômico, cabia à Metrópole o monopólio comercial, a criação de moedas e leis que afetassem a indústria e a navegação, o que não impediu o desenvolvimento dos triângulos comerciais pelos colonos da Nova Inglaterra.

Veja mais:



Comente:



Receba atualizações do site:

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados: Proibida a reprodução sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98)

O Cola da Web auxilia sua vida escolar e acadêmica ajudando-o em suas pesquisas e trabalhos. O Cola da Web NÃO faz a venda de monografia e É TOTALMENTE CONTRA a compra de trabalhos prontos, assim como, NÃO APOIA e NÃO APROVA quem deseja comprar Trabalhos Prontos, por isso nós incentivamos o usuário a desenvolver por conta própria o seu trabalho escolar, TCC ou monografia.
R7 Educa‹o