Home Resumos de Livros > A Casa da Madrinha – Lygia Bojunga Nunes

A Casa da Madrinha – Lygia Bojunga Nunes

Resumo do livro A Casa da Madrinha de Lygia Bojunga Nunes, obra que faz crítica ao sistema educacional tradicional.

A escritora Lygia Bojunga Nunes em sua obra “A Casa da Madrinha” conta a história de Alexandre, um menino pobre que mora na favela e que sai em uma viagem repleta de aventuras para o interior em busca de uma casa mágica que pertence a sua madrinha.

Publicidade

Este livro é narrado em 3º pessoa e foi publicado em 1978. A autora mistura o tom melancólico, critico e sonhador, mistura fantasia com realidade e respeita seu publico alvo infantil e infanto-juvenil. Mesmo tendo seu público alvo ela deixa clara suas criticas como, por exemplo, em relação ao sistema escolar tradicional. Lygia Bojunga Nunes dá continuidade ao legado de Monteiro Lobato, porém suas obras são mais discretas e líricas.

Resumo:

Em “A Casa da Madrinha” se conta a história do menino Alexandre, pobre que mora na favela e precisa trabalhar para ajudar sua família. Sua única válvula de escape da sua realidade cruel é a escola, onde conhece uma professora que possui uma maleta com várias surpresas, e a quem Alexandre tem enorme admiração. Devido ao método nada tradicional de lecionar da professora ela é mandada embora, onde a autora apresenta sua primeira critica ao sistema educacional.

O irmão de Alexandre, Augusto, pede para o irmão começar a ajudar mais em casa já que ele irá se casar em breve e Alexandre abandona os estudos. Certa noite Augusto começa a contar para Alexandre uma história sobre a casa da Madrinha, um lugar que fica bem no interior do Brasil com vista para o mar. A casa fica no alto de um morro repleto de flores, ela é toda branca com quatro janelas, e com uma porta azul com uma flor ao centro. Nesta flor fica a chave da casa, que apenas a Madrinha, Augusto e agora Alexandre sabem, sendo este um segredo que ele precisava guardar.

Publicidade

Livro A Casa da MadrinhaAugusto contou que a casa possuía uma cadeira que tinha vontades próprias e apenas deixava sentar quem era educado e não fala palavrão, um armário que servia todos os tipos de comida, um guarda roupa repleto de roupas, entre outras coisas mágicas. Alexandre se empolga e quer conhecer a casa, Augusto promete que no verão quando retornar para casa levará o irmão. Augusto se casou e nunca mais retornou, e Alexandre decide procurar sozinho pela casa.

No caminho encontra quem seria seu futuro companheiro, o pavão. A ave já havia tido cinco donos e todos queriam se aproveitar do pavão. A ave era muito inteligente e não queria se submeter a ordens, por isso foi enviado para uma escola onde depois ficou com o “pensamento pingado”, ou seja, mais devagar. Outra critica ao sistema educacional.

Alexandre e o Pavão começam a fazer shows pelas ruas para conseguir dinheiro e aos poucos iam seguindo viagem. Certo dia conhecem Vera, uma menina que se encanta com Alexandre e dá abrigo a ambos.

Os pais de Vera pressionam a menina para expulsá-lo, e falam que não existe madrinha e que Alexandre vive à toa. Alexandre decide ir embora e junto com Vera criam o cavalo de nome “Ah”, de rabo amarelo que leva as duas crianças e o pavão em direção a Casa da Madrinha, local que finalmente encontram.