Geografia do Brasil

Os Quatro Brasis de Milton Santos

A divisão regional do território brasileiro em “quatro Brasis” foi proposta pelo professor Milton Santos e pela professora Maria Laura Silveira, em 2001.

O principal critério utilizado nessa regionalização é o “meio técnico-científico-informacional”. Como a informação e as finanças são diferentemente irradiadas pelo território brasileiro, formam “quatro brasis”, representados pela Região Amazônica, Região Nordeste, Região Centro-Oeste e Região Concentrada.

Quem foi Milton Santos

Graduado em direito, destacou-se por seus trabalhos na Geografia com ênfase nos estudos de urbanização no terceiro mundo. É considerado um dos grandes nomes da geografia crítica brasileira, e conhecido mundialmente conhecido por seus trabalhos sobre o fenômeno da globalização, publicados na década de 1990.

Foi exilado político na França durante o regime militar brasileiro; em função disso suas obras possuem fortes referenciais das escolas francesas e apresentam posicionamento crítico ao sistema capitalista e aos pressupostos teóricos dominantes na geografia de seu tempo.

A divisão em quatro brasis

Mapa dos quatro brasis.

A Região Amazônica abrange os estados do Norte do país, sem o Tocantins, e apresenta baixa densidade demográfica. Possui sistemas de movimentos rápidos – como aviões – e lentos – como transportes por rios – muito eficientes. Outras características dessa região são uma reduzida concentração tecnológica e urbana, quando comparada às outras regiões, e a presença marcante de atividades tradicionais, o que representa um paradoxo, pois no nosso território são utilizadas complexas técnicas de informação, como a rede de internet.

A Região Nordeste dos “quatro Brasis” coincide com a delimitação oficial atual, compreendendo todos os estados da Região Nordeste. É uma área de povoamento antigo, onde o meio mecanizado surgiu de forma pontual e pouco densa, tendo uma instalação de infraestruturas e redes informacionais descontínua pelo território.

A Região Concentrada é formada pelos estados do Sudeste e do Sul e, além de possuir a maior densidade demográfica do país, é onde o desenvolvimento da ciência e da tecnologia se apresenta de forma mais contínua pelo território, sendo a expressão mais intensa do meio técnico-científico-informacional. Tem como polo as metrópoles de São Paulo e do Rio de Janeiro, cidades que concentram a maior parcela das informações sobre economia nacional. A modernização generalizada nessa região e a intensa circulação interna, bem como com outras regiões e países, destacam uma divisão territorial do trabalho. Além disso, essa área também concentra níveis elevados de sistemas de saúde, educação, lazer e serviços modernos, como a publicidade, cujas demandas são garantidas pelo consumo dessa grande concentração produtiva e populacional.

A Região Centro-Oeste compreende, além dos estados do Centro-Oeste, delimitados pelo IBGE, o estado de Tocantins. Essa região surge como uma área de ocupação periférica do país, com um sistema urbano formado por poucos núcleos distantes entre si. Caracteriza-se também por se basear em uma agropecuária modernizada, mas que responde a sedes localizadas na Região Concentrada.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: