Geografia

Xenofobia

A xenofobia é um dos fenômenos mais comuns na história da humanidade, podendo-se dizer que corresponde a um tipo de nacionalismo exagerado, que repele os que se apresentam diferentes, podendo assumir diversos tipos de aversão.

Nas últimas três décadas, principalmente, a questão da xenofobia ganha destaque em diversas áreas do espaço mundial.

Em um movimento aparentemente contrário ao que se poderia esperar, com o estágio cada vez mais avançado do processo de globalização (o que, ao menos em teoria, representaria uma possibilidade de maior conhecimento de outras culturas e, portanto, de maior tolerância com o “outro”), o que se percebe é o recrudescimento da aversão ao estrangeiro, potencializada pela relevante magnitude de movimentos migratórios em escala global.

Em vários países, principalmente na Europa, parcela significativa dos habitantes locais sentiu-se ameaçada pela concorrência da mão de obra abundante e barata oferecida pelos imigrantes, o que resultou na escalada de movimentos xenofóbicos.

Tal fato propiciou, em alguns países, o surgimento de grupos radicais, inclusive partidos políticos que defendem bandeiras que propõem a exclusão dos imigrantes em seus territórios e a instituição de leis mais rígidas para a entrada deles em seus países.

xenofobia

Infelizmente, casos de violência contra imigrantes não são tão raros. Em países como a Alemanha, grupos neonazistas (skinheads) evocam ideias ligadas à superioridade racial para justificar agressões e até mortes de imigrantes. No caso alemão, imigrantes de origem turca são os mais afetados pela xenofobia.

Podemos citar ainda questões xenofóbicas na Itália (afetando albaneses e africanos), França (africanos das ex-colônias), República Tcheca e Hungria (ciganos), entre muitos outros casos.

Embora a ideologia desses partidos seja bastante variável, em sua maioria eles pregam o combate sistemático à imigração, seja para evitá-la ou para retirar, por exemplo, benefícios sociais que sejam extensivos aos imigrantes.

Tais partidos vêm conseguindo aumentar sucessivamente seus resultados nas urnas. Em 2014, a Frente Nacional (França), o Partido da Independência (Reino Unido) e o Partido Popular (Dinamarca) foram os mais votados em seus países. Vale lembrar que todos os partidos citados elegeram representantes em seus países e para o Parlamento Europeu, mostrando que importante parcela da população identificase com as ideias associadas à xenofobia.