Português

Gerundismo

Na oralidade, é comum ouvirmos frases como “Vou estar passando as informações para você estar falando com ele”. Esse uso exagerado e inadequado do gerúndio, considerado um vício de linguagem, é o fenômeno chamado gerundismo.

As formas nominais

Na Língua Portuguesa, temos três formas nominais do verbo: o infinitivo, que apresenta o verbo em potência, exprime a ideia de ação (andar, escrever, sorrir); o particípio, cujo valor equivale ao de um adjetivo (Ele não tem aceitado conselhos); e o gerúndio, que apresenta o processo verbal em ação e desempenha a função de advérbio ou de adjetivo (Encontrei-o chorando).

Quando é empregado incorretamente

Muito comum na área do telemarketing, o gerundismo é utilizado em estruturas como “Senhor, aguarde um instante que eu vou estar verificando as informações”.

No caso acima, o gerúndio foi empregado de modo inadequado. A atendente poderia simplesmente dizer: “Senhor, aguarde um instante enquanto eu verifico as informações”.

Imagem de uma lousa com o texto: Aguarde um minuto que eu vou estar verificando as informações.
Exemplo de gerundismo.

Nota-se que a estrutura inadequada é formada por “ir + estar + verbo no gerúndio” como em “Vou estar passando a informação a ele”, “Ele vai estar analisando o seu caso” e “Ela vai estar procurando esse documento”.

Quando é empregado corretamente

Não se pode, porém, dizer que toda construção formada por essa estrutura consiste em utilização inadequada do gerúndio.

Quando a ideia expressa uma ação que ocorre no momento de outra, a locução verbal é adequada, como no seguinte caso: “Na hora do jogo, eu vou estar trabalhando”.

Quando o verbo indica ação duradoura ou contínua, a construção com o uso do gerúndio também é adequada:

  • Amanhã vai estar ventando.
  • Semana que vem, vou estar trabalhando todos os dias no Rio de Janeiro.

O gerundismo e o descompromisso

O gerundismo aparenta uma linguagem mais formal, mas, na prática, trata-se do uso inadequado do gerúndio. Em relações comerciais, verifica-se que não expressa compromisso, responsabilidade por parte do locutor.

Compare as orações abaixo:

Farei a transferência do valor para sua conta bancária. 
Um compromisso é firmado com o interlocutor, a transação vai ser feita no futuro.

Vou estar fazendo a transferência do valor para sua conta bancária. 
Não há certeza de que a transferência será feita, o compromisso com o interlocutor é pouco.

Com o gerundismo, o foco deixa de ser o fato de a pessoa fazer a transferência do dinheiro; nesses casos, a ênfase está na tentativa de realizar a transação, não no compromisso de cumprir com o que foi combinado, fato que não gera garantias ao interlocutor.

Por que o gerundismo deve ser evitado?

Como foi visto, o gerúndio apresenta o processo verbal em ação, indica ação duradoura ou contínua. Considera-se inadequado (portanto deve-se evitá-lo) seu uso em contextos em que a ideia de continuidade da ação verbal não existe.

Em “Vou pegar uma senha”, a ação é imediata, não terá continuidade como em “Vou estar trabalhando todos os dias de dezembro”. Por essa razão, seria inapropriado dizer “Vou estar pegando uma senha”, já que não há a noção de continuidade da ação nesse contexto.

Notou como muitas vezes é possível ser mais direto e transmitir as informações sem o uso do gerundismo? A partir de agora, fique atento a sua fala e aos textos produzidos para não cometer desvios em relação ao uso das formas nominais.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: