Psicologia

Inteligência

No senso comum a inteligência é a qualidade que as pessoas possuem para resolver um problema de forma correta, adaptar-se a novas situações e aprender coisas com facilidade.

As concepções científicas de inteligência variam. Algumas consideram inteligentes os indivíduos capazes de um pensamento abstrato, capacidade de adaptação ao ambiente, adaptação a situações relativamente novas e capacidade de aquisição de novos conhecimentos. Algumas teorias postulam a existência de uma inteligência geral, outras postulam a existência de faculdades diferenciadas e, outras ainda, de múltiplas aptidões independentes.

Algumas abordagens da psicologia, entendem a inteligência como a capacidade de verbalizar ideias, compreender instruções, perceber a organização de um desenho, resolver problemas, adaptar-se a novas situações e ter comportamentos criativos. O nível de inteligência, nestas abordagens, é medido por testes psicológicos de inteligência. Estes testes medem o quociente intelectual (Q. I.), que é obtido através da relação da idade e o desempenho no teste proposto, verificando se o desempenho está de acordo com a idade.

Acredita-se que se o desenvolvimento do indivíduo for estável, o Q. I. tende a se manter estável, e que se as condições de desenvolvimento forem alteradas para melhor ou pior, isto interferirá no Q. I. Outras abordagens questionam o termo inteligência porque acreditam no organismo na sua totalidade e este termo passa a ser um adjetivo.

Inteligência

Este último grupo não acredita que os testes podem medir a inteligência e no máximo consideram que podem medir a eficiência intelectual do indivíduo. Para estas teorias, os testes tornam-se dispensáveis na maioria das vezes, e o rebaixamento intelectual deve ser considerado como consequência do que o indivíduo vive no momento e, portanto, depende da história de vida do sujeito. O exemplo que estas teorias utilizam é dispersão que nos acontece quando temos uma preocupação, um conflito ou um problema e ficamos dispersos, pensando nele, o que nos faz ter dificuldade de aprender.

Autoria: Maria das Dores R. Vianna

Veja também: