Home Biologia > Corpo Humano > Como funciona o impulso nervoso

Como funciona o impulso nervoso

Os animais são capazes de obter estímulos do ambiente através de estruturas especiais, os receptores, com terminações nervosas (dendritos) que disparam o impulso nervoso.

Para cada forma de energia, há um receptor adequado. Por exemplo, os olhos captam apenas luz; os ouvidos (ou orelhas) reagem apenas às ondas sonoras. Os estímulos promovem a entrada de íons sódio no neurônio, o que provoca a inversão da carga elétrica da membrana (positiva por fora e negativa por dentro).

Essa alteração, chamada de despolarização, propaga-se pelo neurônio e constitui o impulso nervoso. Após a entrada de sódio, o íon potássio sai do neurônio, restabelece-se a polaridade da membrana (repolarização) e o neurônio fica pronto para conduzir um novo impulso (figura abaixo). Depois de muitos impulsos, a situação dos íons dentro e fora da célula (muito sódio fora e muito potássio dentro) é restabelecida.

Impulso nervoso.
A despolarização e a repolarização ao longo do axônio do neurônio.

Nos axônios com células de Schwann, a troca de cargas elétricas ocorre apenas nos nódulos de Ranvier (condução saltatória), o que aumenta a velocidade do impulso nervoso, que pode atingir 100 m/s ou mais. Só estímulos com uma intensidade mínima – denominada limiar excitatório – podem provocar impulsos.

Se o estímulo for muito fraco (intensidade menor que o limiar excitatório), não haverá impulso nervoso. Passado o limiar, o potencial de ação do neurônio será sempre o mesmo, qualquer que seja a intensidade do estímulo. Portanto, o neurônio obedece à lei ou princípio do tudo-ou-nada.

Impulso nervoso.
Esquema da condução saltatória do impulso nervoso num axônio.

Na sinapse, região de contato entre dois neurônios, há uma pequena distância entre eles e a passagem do impulso nervoso é feita por substâncias químicas, os neuro-hormônios, neurotransmissores ou mediadores químicos.

Entre as centenas de neurotransmissores conhecidos estão a acetilcolina, a noradrenalina, a dopamina e a serotonina. Como esses mediadores estão acumulados apenas no fim do axônio, a transmissão do impulso ocorre sempre do axônio de um neurônio para o dendrito ou o corpo celular do neurônio seguinte.

Eles ligam-se a proteínas da membrana do outro neurônio e tornam-na mais permeável ao sódio, deflagrando, assim, a entrada de sódio e a inversão de cargas do impulso nervoso. Cerca de 2 ms a 3 ms depois, essas substâncias são destruídas por enzimas e o estímulo cessa.

Por: Renan Bardine

Veja também: