Home Biologia > Reinos > Cordados

Cordados

Os animais do filo Chordata (do grego khordê, corda; pelo latim científico chorda) caracterizam-se pelas semelhanças no desenvolvimento embrionário, nem sempre evidente entre os organismos adultos. O grupo dos seres humanos, o dos vertebrados, está incluído no filo dos cordados.

Publicidade

Acredita-se que os primeiros cordados tenham surgido há cerca de 630 milhões de anos.

Características dos cordados

Os cordados são animais que apresentam as seguintes características:

  • Têm uma notocorda, que é uma espécie de bastão flexível que percorre longitudinalmente o dorso do animal, Nos vertebrados, é substituída pela coluna vertebral.
  • Têm um cordão nervoso em posição dorsal, Na parte anterior, esse cordão se alarga e forma o cérebro.
  • Têm fendas na faringe; junto delas situam-se as brânquias dos peixes, Nos tetrápodes só se encontram nas primeiras fases embrionárias.
  • Possui cauda pós-anal, região do corpo do embrião que se prolonga além do ânus. A função da cauda pode ser de apoiar o corpo, de dar equilíbrio, de ataque ou defesa, de natação etc.
Estrutura dos cordados.
Organização de cordado hipotético.

Os cordados são animais triblásticos, celomados, deuterostômios, com simetria bilateral e segmentação evidente no período embrionário, o que não se percebe claramente no adulto. São animais com representantes em praticamente todos os ecossistemas do planeta.

No processo evolutivo, houve mudanças morfológicas, anatômicas e fisiológicas que possibilitaram a vida no ambiente terrestre, a partir de ancestrais que estavam adaptados ao ambiente aquático.

Classificação

Dentro do filo dos cordados, há três subfilos: Urochordata (urocordados), Cephalochordata (cefalocordados) e Craniata (craniados; são os animais que têm crânio). Os dois primeiros são conhecidos como protocordados, todos marinhos. Os craniados formam o maior e mais diversificado grupo de cordados e incluem feiticeiras e vertebrados.

Os tunicados ou urocordados

Dentro deste grupo estão os cordados mais simples. Sua larva, que é livre-natante, apresenta notocorda, estrutura que é perdida quando alcança a idade adulta, E possível que essa larva seja parecida com um hipotético ancestral comum aos cordados.

Muitos tunicados, como as ascídias, são sésseis, Vivem fixos a um substrato filtrando partículas em suspensão graças às correntes de água que produzem. Outros, como as salpas, são muito pequenos e se agrupam em colônias gelatinosas que se arrastam com as correntes.

Publicidade

Os cefalocordados

Estes animais lembram, por seu aspecto, pequenos peixes, Enterram-se na areia e no lodo, próximo à costa. Como os tunicados, são filtradores e conservam a notocorda durante toda a vida.

Exemplo de um cefalocordado, o anfioxo.Os vertebrados

Os descendentes atuais dos vertebrados mais primitivos são as lampreias, que não apresentam mandíbulas. Caracterizam-se por ter uma abertura rodeada de dentes, com a qual se aderem à pele de outros animais, como peixes.

Os primeiros peixes verdadeiros, com mandíbulas, são os cartilaginosos, como os tubarões e as raias, Trata-se de um grupo muito antigo e com um grande êxito evolutivo, pois está no planeta há mais de 400 milhões de anos.

Os peixes ósseos são parentes dos cartilaginosos e formam um grupo mais diversificado. Encontram-se tanto no mar como na água doce. A maioria dos peixes pertence a um grupo chamado actinopterígios.

Existe um pequeno grupo, os sarcopterígios, que inclui peixes como o celacanto e os dipnoicos, que têm nadadeiras lobadas. A partir desse grupo, desenvolveu-se um tetrápode primitivo, que seria o antepassado comum dos anfíbios, por uma parte, e dos répteis e dos mamíferos, por outra.

Os répteis e os mamíferos descendem de um mesmo antepassado. Os répteis se diversificaram muitíssimo e originaram animais como os grandes répteis voadores (pterossauros) e nadadores (mosasauros, ictiosauros e plesiosauros), assim como os dinossauros. Os mamíferos, em contrapartida, eram um grupo de pequenos animais, parecidos com os roedores atuais.

Entre os répteis, um ramo se separou, e deu origem às tartarugas. Outro ramo gerou os lagartos e as serpentes, por um lado, e os crocodilos e os dinossauros, por outro. Os dinossauros estão extintos, mas deram origem a outro grupo, o das aves. Estas são descendentes diretas dos dinossauros.

Depois da extinção dos dinossauros, o grupo dos mamíferos se expandiu e se diversificou. Os mamíferos mais primitivos, dentre os que vivem atualmente, são os monotremados, que são ovíparos. Os marsupiais têm características mais complexas que os monotremados; não apresentam placenta e dão à luz filhotes pouco desenvolvidos. Por último, os mais complexos são os mamíferos placentários.

Veja também: