Home Biologia > Reinos > Protozoários

Protozoários

Os protozoários são organismos heterótrofos e a maioria é provida de alguma forma de locomoção. Esse grupo, que faz parte do reino protista, apresenta uma enorme diversidade de formas.

Publicidade

Há protozoários de vida livre e parasitas, inclusive do homem. Essa diversidade está associada à grande dispersão observada entre os protozoários, isto é, à capacidade que seus diversos representantes têm de ocupar ambientes distintos.

Alguns protozoários são marinhos, outros são encontrados exclusivamente em água doce; muitos são parasitas e só sobrevivem no interior de outros organismos. Há protozoários comensais que vivem no interior de outros animais, sem causar nenhum tipo de lesão ou danos.

Há casos em que a presença de protozoários no interior do tubo digestório é benéfica para o animal. É o que ocorre com os herbívoros ruminantes, cuja flora de micro-organismos que habita o seu rúmen (parte volumosa do estômago) permite a digestão da celulose, componente abundante do capim.

Entre as doenças causadas por protozoários estão: doença de chagasamebíasemaláriagiardíaseleishmaniose.

Organização

Os protozoários são organismos unicelulares e eucariontes. A sua célula pode ser comparada com cada uma das células de um animal pluricelular.

O citoplasma tem duas camadas: o ectoplasma, mais externo e gelatinoso, e o endoplasma, interno e mais fluido. As mudanças no grau de viscosidade do citoplasma permitem as constantes alterações na forma do animal, relacionadas com o seu deslocamento e com o englobamento de partículas alimentares.

O núcleo é o centro controlador do metabolismo celular e responsável pela determinação de suas características hereditárias. Em algumas espécies, como o paramécio, encontram-se dois núcleos de tamanhos diferentes: o macronúcleo e o micronúcleo. O macronúcleo controla todas as atividades celulares e o micronúcleo é responsável pela reprodução sexuada (troca de genes).

Figura mostrando como são os protozoários.
Esquema representativo de uma ameba de água doce.

Como são organismos unicelulares, as trocas de gases respiratórios acontecem por simples difusão, pela membrana plasmática. Também é dessa forma que os protozoários eliminam resíduos do seu metabolismo para o ambiente.

Os protozoários marinhos são isotônicos em relação ao ambiente onde vivem. Em função disso, a quantidade de água que entra é a mesma que sai através de sua membrana plasmática. Já os protozoários dulcícolas (de água doce) são hipertônicos em relação ao ambiente e, por isso, absorvem água por osmose. A lise (ruptura) celular é evitada pela presença do vacúolo contrátil, que bombeia o excesso de água para fora da célula.

Esquema de um protozoário
Organização celular de um paramécio, um protozoário ciliado.

Classificação

Os protozoários são divididos, de acordo com a sua forma de locomoção, em quatro grupos principais: flagelados, ciliados, sarcodinos e esporozoários.

Flagelados

Os flagelados, também chamados de mastigóforos, são aqueles que se locomovem graças ao batimento dos seus flagelos. Os flagelos podem ser únicos, como no Trypanosoma cruzi, ou múltiplos, como na Giardia lamblia.

Rizópodes

Os rizópodes, ou sarcodinos, representados pelas amebas, são os protozoários que se locomovem pela emissão de pseudópodes. Possuem morfologia variável, ou seja, a sua forma não é constante, pela contínua mudança na viscosidade do seu citoplasma. Há sarcodinos marinhos, de água doce, e outros parasitas.

Ciliados

Os ciliados são protozoários que se locomovem por meio de cílios. A sua superfície celular é recoberta por centenas ou milhares de cílios, que são projeções citoplasmáticas curtas e muito mais numerosas que os flagelos. A maioria é de vida livre, sendo raros os ciliados parasitas. O ciliado mais conhecido é o paramécio.

Esporozoários

Os esporozoários são protozoários desprovidos de qualquer estrutura locomotora. Todos os representantes desse grupo são parasitas, alguns do homem, como o Toxoplasma gondii (causador da toxoplasmose) e os representantes do gênero Plasmodium (causadores da malária). Esses protozoários alimentam-se por meio da superfície celular, absorvendo substâncias diretamente dos tecidos do hospedeiro.

Importância

Apesar de serem organismos unicelulares, os protozoários apresentam grande importância para os seres humanos e outros animais. Milhões deles são encontrados nos oceanos e mares, onde servem de, alimento para animais marinhos. Além disso, alguns protozoários realizam associações com outros organismos, sendo ambos beneficiados. Essa relação é chamada de mutualismo.

Certos protozoários, como os foraminíferos, revestidos por carapaças minerais, quando morrem, acumulam-se no fundo dos mares e oceanos contribuindo para a formação das rochas sedimentares. Por esse motivo, os geólogos que estudam a formação do petróleo analisam os foraminíferos obtidos em perfurações de poços com o objetivo de identificar estratos petrolíferos.

Reprodução

Os protozoários apresentam processos de reprodução assexuada, como a divisão binária, e processos de reprodução sexuada, como a conjugação. Na divisão binária, a célula aumenta o seu tamanho e divide- se, originando dois novos indivíduos geneticamente iguais. Esse processo é importante para aumentar o número de organismos da população.

Na conjugação, realizada pelo paramécio, dois indivíduos trocam micronúcleos previamente duplicados. Em cada organismo, o micronúcleo original une-se com o micronúcleo recebido e ocorre a mistura dos genes. No final da conjugação, cada organismo origina quatro novos indivíduos, totalizando , ao todo , oito novos paramécios.

Protozoário paramécio
Representação simplificada da conjugação em paramécio.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: