Home Biologia > Reinos > Protozoários

Protozoários

Os protozoários, como paramécios e amebas, apresentam vida livre e são encontrados em diferentes ambientes aquáticos e úmidos. Existem espécies que vivem em associação harmônica com outros organismos e espécies parasitas. Dentre as doenças humanas causadas por protozoários, podemos citar a doença de Chagas e a malária.

Publicidade

Os protozoários (do grego prôtos, primeiro; e zôion, animal) são unicelulares, eucariontes, heterótrofos e, em sua maioria, providos de alguma forma de locomoção. Por serem móveis e heterótrofos, são tradicionalmente estudados na zoologia, embora não sejam animais. No sistema de classificação de cinco reinos, os protozoários são considerados membros do reino Protista, que não corresponde a um grupo monofilético.

Os protozoários apresentam diversidade de forma, de complexidade estrutural e de adaptação a inúmeros tipos de condições ambientais. Vivem preferencialmente em lugares úmidos – no mar, em água doce ou no solo. A maioria vive de forma isolada, embora existam formas coloniais.

Os protozoários de dimensões microscópicas podem ser estudados em detalhes com o auxílio de um microscópio.

Características dos protozoários

A célula de um protozoário é um organismo completo, que realiza todas as funções essenciais à vida. Por isso, além de conter as organelas típicas dos eucariontes, ela realiza todos os processos celulares fundamentais, o que a torna uma estrutura extremamente complexa.

Um protozoário utilizado como modelo de estudo é a ameba de água doce.

Figura mostrando como são os protozoários.
Esquema representativo de uma ameba de água doce.

As amebas, como todos os protozoários, são constituídas por envoltório, citoplasma e núcleo. O envoltório é a estrutura que reveste a célula, geralmente a membrana plasmática e, em alguns casos − nas tecamebas −, carapaças minerais protetoras.

O citoplasma apresenta-se diferenciado em duas regiões: ectoplasma ou plasma-gel, externo e gelatinoso, e endoplasma ou plasma-sol, interno e fluido.

As mudanças no grau de viscosidade do citoplasma permitem as constantes alterações em sua forma, relacionadas com a emissão de pseudópodes para deslocamento da ameba e englobamento de partículas alimentares.

O núcleo é o centro controlador do metabolismo celular e responsável pela determinação de suas características hereditárias. As trocas de gases respiratórios acontecem por simples difusão, através da membrana plasmática. Também é dessa forma que os protozoários eliminam resíduos de seu metabolismo.

A digestão é intracelular. O alimento englobado por fagocitose permanece em uma bolsa membranosa, o fagossomo ou vacúolo alimentar; este, ao receber enzimas dos lisossomos, passa a ser chamado de vacúolo digestivo, dentro do qual ocorre a digestão. Os resíduos não digeridos, contidos no vacúolo residual, são eliminados para o meio extracelular, processo denominado clasmocitose ou defecação celular.

A reprodução é assexuada. Destaca-se a divisão binaria ou cissiparidade, quando uma ameba se divide ao meio e origina duas células-filhas com a mesma informação genética da célula-mãe. Esse processo é importante para aumentar o número de indivíduos da população. A recombinação gênica é mais rara e pode envolver a diferenciação do próprio organismo em gameta.

Doenças causadas por protozoários:

Classificação dos protozoários

Os protozoários são tradicionalmente organizados em quatro grupos principais, de acordo com sua forma de locomoção: rizópodes, flagelados, ciliados e esporozoários.

Rizópodes

Os rizópodes ou sarcodíneos, representados pelas amebas, são os protozoários que se locomovem pela emissão de pseudópodes. Algumas espécies de amebas de vida livre, as tecamebas, mais frequentes em água doce, possuem uma carapaça, que pode ser secretada pela própria célula ou composta por materiais aglutinados, como grãos de areia.

Além dos rizópodes, outros protozoários possuem pseudópodes, como os foraminíferos e os radiolários, preferencialmente marinhos e dotados de carapaça, e os heliozoários, comuns em água doce e cuja célula lembra um pequeno sol. Em conjunto, esses protozoários são denominados ameboides.

Em razão da existência de carapaças rígidas em vários de seus representantes, os ameboides apresentam abundante registro fóssil.

Publicidade
Protozoário rizópode.
Rizópode emitindo pseudópodes, utilizados para locomoção.

Flagelados

Os flagelados ou mastigóforos são aqueles que se locomovem devido ao batimento de flagelos. Os flagelos podem ser únicos, como no Trypanosoma cruzi, ou múltiplos, como na Giardia lamblia.

Normalmente, o flagelo volta-se para a extremidade anterior da célula e consiste em um filamento longo, formado por microtúbulos proteicos.

A reprodução assexuada dos flagelados geralmente ocorre por cissiparidade, com divisão longitudinal da célula.

Ciliados

Os ciliados são protozoários que se locomovem por meio de cílios. Sua superfície celular é recoberta por centenas ou milhares de cílios, projeções citoplasmáticas curtas e muito mais numerosas que os flagelos. A maioria dos ciliados é de vida livre, sendo raros os parasitas.

No paramécio, o ciliado mais conhecido, o alimento é trazido para a célula mediante batimentos de um conjunto de cílios posicionados em uma depressão da superfície celular denominada sulco oral. Este leva a uma abertura celular, o citóstoma, por onde o alimento penetra na célula.

Esquema de um protozoário
Esquema representativo de paramécio.

Os protozoários ciliados possuem dois núcleos: o macronúcleo, que controla o metabolismo, e o micronúcleo, associado à troca de informações genéticas entre dois protozoários. Costuma-se dizer que o macronúcleo tem função vegetativa, e o micronúcleo, função reprodutiva.

Na conjugação, processo de recombinação genética realizada pelo paramécio, dois indivíduos trocam micronúcleos previamente duplicados. Em cada organismo, o micronúcleo original une-se ao micronúcleo recebido, e ocorre a mistura dos genes. No fim, da conjugação, os paramécios, com novas combinações genéticas, separam-se e passam a se multiplicar por cissiparidade.

Protozoário paramécio
Representação simplificada da conjugação em paramécio.

Esporozoários

Os esporozoários são desprovidos de estrutura locomotora. Todos os representantes desse grupo são parasitas, alguns do ser humano, como o Toxoplasma gondii (causador da toxoplasmose) e os representantes do gênero Plasmodium (causadores da malária). Esses protozoários alimentam-se através da superfície celular, absorvendo substancias direta- mente dos tecidos do hospedeiro.

Suas células, com um núcleo e sem muitas organelas, têm forma arredondada ou alongada. A reprodução assexuada é feita por divisão múltipla ou esquizogonia, processo em que a célula se torna multinucleada por mitoses sucessivas, e então o citoplasma se divide. Pode ocorrer recombinação gênica, com a diferenciação das células em gametas e posterior fecundação.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: