Home Como Fazer > Como fazer Monografia

Como fazer Monografia

A monografia é um extenso texto de caráter expositivo que busca demonstrar conhecimentos sobre um tema. Um trabalho monográfico deve ser bem documentado, redigido e apresentado.

Publicidade

A elaboração da informação

As monografias que se concentram na investigação sobre determinado tema constituem uma prática habitual na atividade acadêmica. Os professores utilizam-nas pelo seu grande valor formativo, com o objetivo de que os alunos se acostumem a trabalhar de forma independente e se aprofundem em algum tema de interesse.

Todo trabalho exige um processo de documentação, mas a informação obtida é somente um ponto de partida, uma matéria-prima que deve ser elaborada. Dar forma a essa matéria, ordená-la e integrá-la em um texto coerente são as tarefas básicas que fazem parte do processo de realizar um trabalho monográfico,

Com a preparação de diversos trabalhos no âmbito escolar, o aluno deve mostrar que possui conhecimento sobre o tema e que domina as técnicas de busca e elaboração da informação, de organização dos materiais, de redação e de revisão, além de provar que é capaz de dar opiniões próprias.

A seleção do tema

Os trabalhos monográficos podem tratar de temas diversos, que podem ser históricos, literários ou científicos. Existem dois tipos de seleção temática: tema determinado pela pessoa responsável ou tema livre.

  • Se o tema for determinado, deve-se refletir sobre que aspectos serão tratados e que ponto de vista será adotado.
  • Se o tema for livre, este será escolhido de acordo com o gosto pessoal, os conhecimentos adquiridos e as possibilidades de acesso à informação oferecida.

Após a escolha do tema, deve-se reduzi-lo de maneira que não fique muito geral – e acabe, portanto, inalcançável – ou muito restrito – que exija um grau de especialização além do alcance do pesquisador. Dessa forma, o tema não será, por exemplo, “o cinema”, mas “o cinema dos anos 1990”, “o cinema policial” ou “o Cinema Novo brasileiro”.

A busca de informação pode ser feita em várias fontes, inclusive em bibliotecas.

A busca da informação

Uma vez decidido o tema do trabalho, o pesquisador deve obter informações sobre ele.

Para tanto, pode-se recorrer a diferentes fontes orais ou escritas:

  • As principais fontes orais são as entrevistas e as pesquisas, Tais procedimentos são especialmente úteis quando é preciso conhecer as opiniões de uma ou de várias pessoas.
  • As fontes escritas mais comuns são os livros, as revistas, os dicionários, as enciclopédias e a internet. Cada uma delas oferece um tipo de informação diferente e, com frequência, complementar. No momento de selecionar as fontes, devem-se levar em consideração o nível de conhecimento do aluno sobre o tema, o enfoque do trabalho e o tempo disponível para realizá-lo. Às vezes, um trabalho monográfico pode consistir em indicar e organizar toda a informação e a bibliografia disponíveis sobre determinado tema.

A elaboração do roteiro

Antes de começar a redigir o trabalho, deve-se definir sua estrutura, ou seja, a maneira pela qual será organizada a informação a ser transmitida. Para isso, deve-se elaborar um roteiro, isto é, um esquema hierarquizado no qual figurem os conteúdos básicos distribuídos sistematicamente, conforme a ordem de apresentação.

O roteiro não deve ser feito como um esquema rígido, mas como um projeto provisório que servirá de guia para a redação do texto e poderá ser modificado. Exemplo:

O cinema faroeste

  1. História
    1.1. As origens
    1.2. A idade de ouro (anos 1940 e 1950)
    1.3. O western crepuscular (anos 1960 e 1970)
    1.4. O western nos anos 1980 e 1990
  1. Personagens
    2.1. Xerifes e pistoleiros
    2,2. Soldados e índios
    2.3. Pecuaristas e agricultores
    2.4. Personagens do saloon
  1. Grandes diretores
    3.1. John Ford
    3.2. Anthony Mann
    3.3. Sam Peckinpah
    3.4. Clint Eastwood

As fontes de informação

Os livros constituem a principal fonte de informação. Neles é possível encontrar desde um panorama geral ou introdução sobre o tema a ser tratado até um estudo pormenorizado que aborde qualquer um dos aspectos que integram o tema. A pesquisa em diversos livros que tratam sobre um mesmo assunto permitirá contrastar diferentes pontos de vista.

As revistas especializadas apresentam os últimos resultados obtidos pelos investigadores em uma determinada disciplina.

Os dicionários enciclopédicos organizam a informação em artigos independentes ordenados alfabeticamente. São úteis quando se busca um dado concreto ou uma visão geral e sintética sobre um tema. Os que estão em CD-ROM permitem ampliar a informação contida em um artigo mediante links que remetem a outros artigos.

As bases de dados são um conjunto de dados que pertencem ao mesmo tema e estão sistematicamente armazenados para uso posterior. Nesse sentido, uma biblioteca pode ser considerada uma base de dados composta, em sua maioria, por documentos e textos impressos em papel e indexados para consulta. Os dados estão ordenados e classificados para busca posterior, atualização ou qualquer tarefa de manutenção mediante aplicações específicas. Há bibliotecas com bases de dados informatizadas para agilizar as consultas e obtenção das informações. Dessa forma, podem-se fazer listas, consultas temáticas, criar telas de visualização de dados, controlar o acesso do usuário e assim por diante.

A internet é uma poderosa ferramenta que dá acesso a um número elevadíssimo de documentos relacionados com o tema de interesse.

A redação

Na fase de redação do texto deve-se desenvolver por escrito o roteiro previamente e elaborado. É importante atentar-se tanto às questões de conteúdo (exatidão dos dados, desenvolvimento coerente das informações) como às questões formais (correção linguística, clareza de exposição).

Mãos segurando papel em branco

A consistência do texto redigido dependerá muito do trabalho realizado anteriormente; ou seja, se as fontes de informação foram adequadamente utilizadas para garantir a fidelidade :;s dados. A elaboração de um roteiro detalhado, com ideias bem relacionadas entre si, facilitará a coerência textual.

A forma linguística é fundamental, pois é por meio dela que as ideias são apresentadas de forma correta e com clareza para que o leitor tenha uma boa compreensão do texto.

Não se deve esquecer que o texto redigido é uma primeira versão, um rascunho, que deverá ser posteriormente revisado e, consequentemente, modificado.

A revisão

A fase de revisão consiste em avaliar o texto para determinar se os objetivos propostos foram alcançados:

  • Comunicar a informação que se quer transmitir.
  • Organizar adequadamente as informações.
  • Expressar as ideias com clareza.
  • Corrigir o texto do ponto de vista linguístico.

A ausência de qualquer desses objetivos exigirá uma intervenção para corrigir os problemas detectados.

Publicidade

Nessa fase, deve-se prestar atenção aos aspectos formais do texto e garantir sua correção em todos os planos: léxico (seleção das palavras), sintático (construção das orações) e ortográfico. Os dicionários e manuais de ortografia podem ajudar no caso de dúvidas.

Após revisar e corrigir o rascunho, chega-se a uma nova versão, que deve ser revista para comprovar se as modificações realizadas se integram harmonicamente no conjunto do texto.

A estrutura da monografia

Todo trabalho apresenta uma estrutura externa composta de um conjunto de elementos preestabelecidos, entre os quais se destacam o índice, a introdução e a bibliografia.

Os principais elementos de um trabalho monográfico são:

  • índice.
  • Introdução,
  • Desenvolvimento (corpo do texto).
  • Bibliografia.

Essa estrutura mostra que o texto pertence a um determinado gênero (o do trabalho monográfico) ao mesmo tempo que permite ao leitor o acesso à informação de maneira gradual e segundo padrões definidos.

O índice

O índice reúne os títulos das diferentes partes e subpartes que compõem o trabalho e determina a página inicial de cada uma delas. Exemplo:

índice

  1. A literatura e o cinema. Inter-relações e divergências……………..3
    1.1. A literatura e o cinema……………………………………………………4
    1.2. O cinema na literatura……………………………………………………6
    1.3. A linguagem literária e a linguagem cinematográfica…………8
  1. As adaptações cinematográficas……………………………………………10
    2.1. Adaptação dos romances para o cinema…………………………. 11
    2.1.1. Adaptação como ilustração…………………………………………. 13
    2.1.2. Adaptação como transposição………………………………………15
    2.1.3. Adaptação como interpretação……………………………………..18
    2.1.4. Adaptação livre…………………………………………………………..20
    2.2. Adaptação de obras teatrais para o cinema………………………25

A introdução

A introdução é um parágrafo preliminar que precede o corpo do texto. Tem como objetivo apresentar o trabalho, ou seja, orientar o leitor sobre seu caráter e seu sentido.

Na introdução, o autor apresenta os motivos que o levaram a fazer o trabalho, os objetivos propostos, o enfoque adotado e a metodologia seguida para sua investigação. Pode também indicar os aspectos do tema em que se concentrou, anunciar a tese que vai sustentar ou sugerir uma determinada maneira de ler ou interpretar o texto.

O exemplo a seguir faz parte do início da introdução de um livro sobre cinema.

Neste trabalho proponho uma análise detalhada sobre as relações e divergências que existem entre a literatura e o cinema, Através dos comentários extraídos dos mais de 120 filmes e obras literárias, pertencentes a tantos outros diretores e escritores, pretendi contar de maneira rigorosa a história que une a literatura e o cinema norte-americano concretamente. Ainda que, dada a sua enorme riqueza, teria sido possível fazer outra seleção e chegar a resultados muito parecidos.
Os critérios selecionados para essas obras são diversos. Vão desde sua representatividade (…) a gostos puramente pessoais.

O cinema norte-americano em 120 filmes, Augusto M. Torres.

O corpo da monografia

Em geral, o corpo do trabalho não é um bloco de texto uniforme, mas divide-se em partes e subpartes distintas que articulam o desenvolvimento dos diferentes aspectos do tema tratado.

A organização em parágrafos não pode ser feita de forma aleatória, pois deve corresponder ao desenvolvimento lógico da exposição. Cada parágrafo deve ter uma unidade interna (concentrando-se em determinado conteúdo) e deve relacionar-se harmonicamente com os parágrafos anteriores e posteriores. Estabelecer os parágrafos no roteiro anteriormente previsto pode ser uma boa medida para garantir que a divisão do texto corresponda à sua organização interna,

Deve-se também ter cuidado com a redação dos títulos das partes, para que cada uma corresponda a uma ideia clara e sintética do conteúdo e para que, em seu conjunto, constituam uma sequência coerente. É aconselhável não utilizar títulos muito extensos.

A bibliografia

Se há várias obras de um mesmo autor, estas se ordenam pelas datas de publicação, da mais antiga à mais recente:

Andrew, J. Dudley. As principais teorias do cinema: uma introdução. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1989.
Bernardet, Jean-Claude. Caminhos de Kiarostami. São Paulo Companhia das Letras, 2004.
_____. Brasil em tempo de cinema: ensaio sobre o cinema brasileiro de 1958 a 1966. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
Martin, Mareei. A linguagem cinematográfica. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.
Mascarello, Fernando. História do cinema mundial. Campinas (SP): Papirus Editora, 2006.

Uma forma de apresentação alternativa da bibliografia consiste em transpor a data de publicação para o lado do nome do autor. Quando esse método é aplicado, as obras de um mesmo autor devem seguir a ordem cronológica inversa à da sua publicação, ou seja, da mais recente para a mais antiga, Exemplo:

Bernardet, J. Claude (2007), Brasil em tempo de cinema: ensaio sobre o cinema brasileiro de 1958 a 1966. São Paulo: Companhia das Letras.
_____(1995). Historiografia clássica do cinema brasileiro: metodologia e pedagogia. São Paulo: Annablume,

A apresentação

A monografia deve ter uma apresentação cuidadosa. Convém seguir estas normas:

  • Utilizar folhas de papel branco, formato A4.
  • As margens superior e esquerda devem ter 3 cm e as margens inferior e direita, 2 cm.
  • Diferenciar e destacar os elementos estruturais, os títulos das partes e subpartes. Empregam-se, para isso, o sublinhado, o negrito ou diferentes tamanhos de letra. Em qualquer um dos casos, os elementos homogêneos – as epígrafes que correspondem ao mesmo nível, por exemplo – devem receber um tratamento uniforme ao longo do texto, ou seja, mesmo tipo de tamanho de fonte, sublinhado, negrito ou itálico.

Veja também: