Home Política > Socialismo Científico – Marx e Engels

Socialismo Científico – Marx e Engels

Destacou-se no período da Ordem da Revolução Industrial, preocupado em analisar o modo de produção capitalista, o alemão Karl Marx (1818-1883), que fundou a teoria do socialismo científico. Sua fama cresceu a partir da publicação da obra Manifesto do Partido Comunista, em 1848, escrita com Friedrich Engels (1820-1895).

Eles analisaram e criticaram o capitalismo, propondo uma nova forma de organização político-econômica da sociedade, pois consideravam que esse sistema de produção criava profundas injustiças sociais e que não bastava reformá-lo para alcançar a igualdade entre os homens. Seus principais pontos de análise eram:

  • O capitalismo é uma forma de produção histórica e social específica de uma época. Sua origem pode ser estabelecida e o seu fim histórico pode ser previsto.
  • A morte desse modo de produ­ção vai ocorrer quando a clas­se operária, por meio de um processo revolucionário, al­cançar o poder econômico e político (socialização dos meios de produção), instau­rando uma “ditadura” do pro­letariado.
  • Em sua fase de maturida­de, o capita­lismo apre­sentará uma tendência à concentração do capital, com a consequente e pro­gressiva eliminação da concorrência, gerando mono­pólios.
  • O sistema capitalista assenta-se na propriedade privada e na exploração do trabalho. A miséria dos trabalhadores é proporcional à concentração monopolista do capital.

Retrato de Marx e Engels, fundados do socialismo científico.

Marx e Engels afirmaram que as transformações dos modos de produção são determinadas por leis históricas, fruto do desenvolvimento das forças produtivas. Dessa forma, defendiam a ideia de que a classe operária deveria se organizar e por meio de uma revolução introduzir uma nova forma de organização econômica e política. Esse processo revolucionário passaria por duas fases. Veja tabela abaixo.

Fase socialista Fase comunista
  • planejamento econômico
  • propriedade estatal e coletiva
  • ditadura revolucionária do proletariado
  • possível Estado burocrático
  • sistema mundial
  • propriedade social dos meios de produção
  • igualdade social (ausência de classes)
  • desaparecimento do Estado
“A cada um de acordo com seu trabalho.” “A cada um de acordo com suas necessidades.”

A fase socialista seria instalada imediatamente após o capitalismo, quando a classe trabalhadora tomasse o poder e criasse um Estado proletário. Nesse momento a cultura ainda estaria impregnada pelos valores da sociedade capitalista, e os trabalhadores receberiam um salário pelo seu trabalho, o que talvez não satisfizesse as suas necessidades.

Na fase comunista, o Estado desapareceria e o sistema político-econômico seria mundial. Novos valores culturais e sociais surgiriam, e o trabalho seria remunerado segundo as necessidades de cada um, criando uma sociedade igualitária, sem classes sociais e sem fronteiras.

Antes que o socialismo se tornasse uma prática, ou seja, um Estado passasse a utilizar essa teoria para se organizar (Revolução Russa de 1917), ele se tornou a fonte de inspiração de diversos movimentos sociais que passaram a ocorrer em muitos países do mundo, mas especialmente na Europa, dando força aos movimentos sindicais do século XIX e impulsionando a formação de partidos políticos que defendiam as classes trabalhadoras.

A teoria do socialismo científico foi baseada na filosofia alemã, a partir da qual Marx concebeu o materialismo dialético, no socialismo utópico francês, que fundamentou as suas bases humanistas, e na economia política inglesa, que deu subsídios para a análise crítica do capitalismo.

Mais tarde, durante o século XX, o sistema socialista de produção, com diferentes formas de organização, passou a ser praticado em muitos países, chegando a envolver uma elevada parcela da população mundial. Ainda hoje, mesmo após o desaparecimento de muitos países socialistas, algumas nações ainda mantêm sistemas político-econômicos que se afirmam socialistas.

Há, porém, muita controvér­sia sobre esse assunto, pois alguns estudiosos asseguram que o verdadeiro socialismo proposto por Marx jamais foi implantado. Outros destacam que não importa se o socialismo existiu ou não durante o século XX.

]O que importa, verdadeira­mente, é que as condições eco­nômicas e sociais na qual vive hoje a maior parte da população do mundo mostram claramente que o sistema capitalista não resolveu os problemas humanos básicos, cabendo, portanto, uma discussão sobre a sua reformu­lação e/ou sua eliminação e substituição por uma nova for­ma de organização da sociedade. Para os que acreditam nisso, o socialismo é ainda uma pro­posta a ser pensada e colocada em prática.

Por: Renan Bardine

Veja também: