Biografias

Biografia de Giuseppe Garibaldi

Giuseppe Garibaldi ficou conhecido como o “herói de dois mundos” por sua participação efetiva na Unificação Italiana, no continente europeu, nas lutas ao lado dos farrapos na Revolução Farroupilha e ao lado dos uruguaios na guerra contra os argentinos, no continente americano.

Biografia

Garibaldi nasceu em Nizza, atual Nice, na França, no dia 04 de julho de 1807, durante o período do governo de Napoleão Bonaparte. O local de nascimento do militar, nessa época, era ocupado pelo Primeiro Império francês. Nice, desde o século XIV, pertencia ao Condado de Saboia; foi anexada por Napoleão e depois devolvida ao Reino da Sardenha com a queda do imperador. Por fim, foi reanexada pela França em 1860, após o processo de Unificação Italiana.

Os primeiros passos

Desde cedo, o Garibaldi interessava-se pela vida em alto-mar. Viveu por cerca de dez anos a bordo de navios mercantes até conseguir alçar um cargo de capitão. Em uma de suas viagens, conheceu Giuseppe Mazzini, um republicano e líder do grupo conhecido como Jovem Itália, que pretendia a unificação de todos os condados italianos em uma só república.

Garibaldi se juntou ao grupo e, a partir de então, começou a lutar ao lado dos republicanos. Após sua participação na insurreição de Gênova, foi condenado à morte e precisou se exilar. Fugiu para Marselha e depois chegou ao Brasil com cerca de vinte e oito anos.

Passagem pela América do Sul

Garibaldi permaneceu envolvido em várias empreitadas de guerra por toda a América do Sul. Foi uma época de particular importância porque ele acumulou experiência como condottiero, líder de mercenários (soldados que lutavam por pagamento) e aprendeu táticas de guerrilha.

No Brasil, tomou conhecimento sobre o movimento farroupilha e decidiu se juntar aos farrapos, no Rio Grande do Sul, na luta pelo movimento republicano na região chefiado por Bento Gonçalves da Silva.

Sua participação na Revolução Farroupilha foi de grande importância, sendo, ao lado de David Canabarro, o responsável por conquistar Laguna, em Santa Catarina, um interessante ponto estratégico para o movimento, pois ela funcionou como um porto de ligação ao Atlântico.

Neste mesmo período, conheceu sua primeira esposa, Anita Garibaldi, que lutou ao seu lado até o enfraquecimento da Revolução Farroupilha, quando ambos precisaram fugir para o Uruguai, onde se juntou aos habitantes locais na guerra contra a ocupação do ditador argentino Juan Manoel Rosas.

O retorno de Garibaldi à Europa

De volta à Itália, ele participou dos movimentos de 1848, na Europa, chamados Primavera dos Povos. Essa etapa foi fundamental para colocar em movimento as ideias democráticas, fundar a vida civil e política sobre princípios democráticos que só seriam instituídos na Europa no século seguinte. Mas Garibaldi e os republicanos foram derrotados e cederam lugar às forças inimigas francesas.

Ele precisou abandonar Roma com Anita, a qual morreu de febre tifoide, em 1849. Daí então ele se refugia nos Estados Unidos e no Peru. Oito anos depois, retornou à Europa.

Retrato de Garibaldi.
Giuseppe Garibaldi, em foto de 1866, quando o Reino de Itália declarou guerra ao Império Austríaco para conquistar a região do Vêneto (norte).

O segundo retorno à Europa

O processo de unificação da Itália começou efetivamente após 1860 e foi liderado pelo Reino de Piemonte-Sardenha, sob a figura do rei Vítor Emanuel II. Garibaldi retornou ao país com o apoio do rei, conquistando a Sicília e, posteriormente, o Reino de Nápoles, que até esse período estava sob o domínio da família Bourbon. Em 1871, Roma finalmente foi anexada à Itália, tornando-se sua capital.

Giuseppe Garibaldi participou ativamente na política italiana, sendo membro do Parlamento em 1874. No ano de 1879, organizou a Liga da Democracia, que tinha entre suas pautas o sufrágio universal, a emancipação feminina e a abolição da propriedade eclesiástica. Faleceu em 1882 na Ilha de Caprera, na Itália.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: