Home Educação Física > Beisebol – História, Regras e Jogadas

Beisebol – História, Regras e Jogadas

AS ORIGENS DO BEISEBOL

Existem provas de que as pessoas jogavam jogos que envolviam um taco e uma bola desde os primeiros dias de civilização. Antigamente em certas culturas como seja a Persa, a Egípcia e a Grega, jogavam-se jogos com taco e bola para divertimento e como fazendo parte de certas cerimônias. Jogos deste tipo espalharam-se por toda a Europa na Idade Média (séc. V ao séc. XV) e tornaram-se populares numa variedade de formas. Os europeus levaram estes jogos de taco e bola para as colônias americanas no séc. XVII. Durante o séc. XVIII eram largamente considerados jogos de crianças.

Publicidade

No séc. XIX, uma variedade de jogos com o taco e bola tinham-se tornados populares na América do Norte. A maior parte destes jogos teve origem na Inglaterra. Muitas pessoas das cidades do nordeste dos E. U. A. como Boston, Nova Iorque e Filadélfia, jogavam cricket, um jogo tradicional dos aristocratas ingleses. Mas havia um jogo inglês chamado rounders, jogado em comunidades rurais e urbanas ao longo da América do Norte, que em muito se parecia com o beisebol moderno.

No rouders um batedor batia a bola e corria entre as bases tentando não ser eliminado (put out). As bolas que fossem apanhadas durante o vôo, ou em alguns casos depois de bater uma vez no chão, levavam normalmente à eliminação do jogador. O rounders também envolvia a prática de plugging, na qual os defesas podiam eliminar um jogador acertando-lhe com a bola enquanto ele corria entre as bases. As regras do rouders variavam bastante de sítio para sítio e as pessoas usavam vários nomes para o descrever, nomeadamente town ball, one o´cat e beisebol.

O QUE É BEISEBOL?

Instrumentos do beisebol

O jogo de Baseball, ou Beisebol aqui no Brasil, é um dos jogos mais populares do mundo, principalmente nos Estados Unidos. Este é um esporte tipicamente americano que conquistou adeptos pelo mundo inteiro e é o esporte mais popular em países como o Japão, Cuba, e em muitos países do Caribe e da América Central.

O Beisebol é um esporte completo, que exige força, reflexos, agilidade, e velocidade.

Alguns jogadores profissionais, com certeza poderiam ser velocistas, outros poderiam praticar outras formas de atletismo. O Beisebol é um esporte coletivo onde o espírito de equipe e a colaboração entre os jogadores em campo é muito importante.

O Beisebol é um esporte familiar, onde a assistência ou torcida é formada de famílias, desde o avo até o netinho, onde o amor ao esporte é passado de geração a geração.

HISTÓRIA DO BEISEBOL NO BRASIL

Os primórdios

O beisebol brasileiro nasceu no início deste século, trazido dos Estados Unidos pelas mãos de funcionários de empresas americanas, como a Light (companhia de energia elétrica) que se estabeleceram, em primeiro lugar na cidade de São Paulo. Conta-se que, pelos miados de 1913/1914 haviam jogos do Mackenzie que costumavam atrair mais assistentes que as partidas de futebol, realizadas na mesma escola. Houve, ainda, uma liga de beisebol na década de 20, que reunia esportistas americanos e era dirigida por um diretor de companhia telefônica.

A chegada dos imigrantes japoneses, que conheciam o beisebol desde 1873, deu maior força ao desenvolvimento desse esporte em terras brasileiras,com a criação de vários clubes e equipes, que foram se formando a par da colonização e do crescimento das cidades à beira da estrada de ferro, chegando ao Oeste do Estado de São Paulo (Presidente Prudente, Marília, entre outras) e ao Norte do Estado do Paraná (Bandeirantes, Londrina, Maringá, Arapongas,Assaí, etc.).

A eclosão da Segunda Guerra Mundial e a derrota do Japão, comprometeu o sonho de enriquecer e voltar ao país de origem, o que acabou tornando-se praticamente impossível, além das inevitáveis
retaliações e desconfianças dos brasileiros, chegando a vigorar leis restritivas, com a proibição do uso da língua japonesa e de reuniões, e a destruição de todo o material escrito em japonês.
Em 1946, o ambiente da colônia não poderia ser definido como calmo. O clima de desapontamento e desilusão pós guerra era patente, mas ao mesmo tempo, percebia-se a necessidade de reorganizar a vida social da colônia, seriamente reprimida durante a guerra. Surgiram, assim, os primeiros movimentos nesse sentido, principalmente em torno das atividades de lazer e esportivas dentre as quais o beisebol. Atuação decisiva na organização do beisebol brasileiro teve o repórter da Gazeta Esportiva – Olímpio de Sá Silva – um dos fundadores da Federação Paulista de Beisebol e Softbol, em 24 de setembro de 1946, e seu presidente durante 17 anos.

As competições oficiais

Em 11 de maio de 1947, seguindo os regulamentos e códigos recém-criados, com o Capitão Silvio de Magalhães Padilha, então Diretor do Departamento de Esportes do Estado de São Paulo, fazendo o lançamento inicial, na solenidade de abertura do evento. Participaram da primeira temporada oficial do beisebol paulista, no Clube Atlético das Bandeiras, localizado próximo à Ponte das Bandeiras, às margens do Rio Tietê (quando este ainda era navegável !) alugado para o evento, as equipes: Marília, Pereira Barreto, Santo Anastácio, Ribeirão Preto, Suzano e Capital (São Paulo BBC), encerrada à 7 de setembro do mesmo ano, após 3 dias de disputa, com a vitória do EC Marilhense por 6 a 3 sobre a equipe de Suzano.

Curioso o registro de haverem apenas duas cadeiras no campo, que foram utilizadas pelos anotadores, ficando em pé o Capitão Silvio de Magalhães Padilha e Cecil N.Cross, consul americano.
Uma das principais dificuldades eram os campos, porque simplesmente não existiam e eram improvisados onde e quando necessário e, muitas vezes em espaços cedidos pela Força Policial do Estado, valendo considerar que, no Campeonato da Cidade de São Paulo, em 1948, um dos jogos teve que ser adiado porque o campo fora ocupado, pela manhã pelos hipistas da Força Policial, só podendo ser utilizado após as 10 horas.

Finalmente, a 13 de novembro de 1948, inaugurava-se o campo da FPBS, oficial e digno, construído com tábuas, tinha muros, arquibancadas para três mil pessoas e placar, com a realização de um Torneio Inter. Clubes reunindo as equipes: Bilac, Mogi das Cruzes, Universo, São Paulo, Coopercotia, Gigantes e Tigres.

As competições seguiam as divisões das colônias japonesas nos diferentes locais, assim, havia o “shibutaiko”, que corresponderia a um torneio inter-clubes municipal, que levava o estandarte de sua cidade ou região colonial para o “tihotaiko”, competição inter-regional que representaria então o setor todo no campeonato estadual.

Inspirado em idéia de Toshihiko Nakabayashi (Kantyan), foi criado o Campeonato Inter Regional Adulto – Sembatsu, onde estariam presentes apenas as seleções dos melhores jogadores de cada região, sendo que a sede do evento seria itinerante. Assim, para sediar o torneio, a cidade deveria contar com um bom estádio, com acomodações suficientes para o afluxo de torcedores que vinham com os selecionados. A iniciativa acabou por incentivar a criação de estádios por todo o Estado de São Paulo e estimulando e reforçando a prática do beisebol no interior do Estado.

O Primeiro Adversário Estrangeiro

A equipe da Universidade de Columbia, em 1951, foi a primeira equipe estrangeira a vir ao brasil e enfrentar a equipe nacional, que perdeu todas as partidas, por escores bastantes dilatados. Fazia espécie um jogador de 19 anos, Anthony Mitcher, defensor da primeira base, recém contratado por uma equipe profissional americana. Com cerca de dois metros de altura e cem quilos, o canhoto, ao demonstrar o seu “batting”, rebateu todas as bolas para fora do estádio, na direção do jardineiro esquerdo, caindo num brejo que ali havia, mas, foi obrigado a interromper sua demonstração, pois havia acabado todas as bolas disponíveis. Até hoje, não se sabe ao certo, como foi conseguido o dinheiro para custear a viagem dessa equipe universitária americana, havendo registro do pagamento da viagem em parcelas.

O Estádio do Bom Retiro

Após muito esforço e dificuldades financeiras só vencidas pelo amor ao beisebol, a FPBS conseguiu inaugurar em grande estilo o seu Estádio, o primeiro da América do Sul, a 21 de junho de 1958, como parte das comemorações dos 50 anos da imigração japonesa, com a presença de Suas Altezas Imperiais, o Príncipe Takahito Mikasa e sua esposa, que participou hasteando a bandeira brasileira e fazendo o arremesso inaugural da partida entre o selecionado da capital e a equipe da Universidade de Waseda, que ainda percorreu Mogi das Cruzes, Piedade, Araçatuba, Dracena, Tupã, Marília, Presidente Prudente, Londrina, Rio de Janeiro, São José dos Campos e Atibaia, enfrentando equipes locais. Somados todos os pontos, Waseda fez 372 contra 5 das equipes locais, tendo, ainda, marcado 53 homeruns. Para a realização desta festa, a colônia organizou-se a nível nacional práticamente, levantando fundos que permitiram as despesas envolvidas. Ressalte-se também que, por onde passou, a equipe da Universidade de Waseda inaugurou marcos e monumentos, deixando registrada, até hoje, sua passagem, nos belos e bem cuidados jardins dos clubes.

COMO SE JOGA?

O Beisebol é um jogo de Taco e Bola que tem as mesmas origens do Cricket, Golfe, Bete, e outros jogos de taco. Primeira coisa para entender um jogo de Beisebol é saberque neste esporte, cada equipe tem os seus Tempos de Ataque e Tempos de Defesa. Um jogo de beisebol somente acaba depois que terminarem 9 alternâncias de Ataque/Defesa. Um conjunto Ataque/Defesa no beisebol é chamado inning. O inning é equivalente ao set no voleyball, ou no tennis.

Alternância entre defesa e ataque

Durante um jogo de Beisebol, as equipes, se alternam entre Tempos de Defesa e Ataque. A equipe que está no Ataque, visa marcar pontos, e é obrigada a ir para a Defesa, toda vez que tiver 3 (três) dos seus jogadores de Ataque eliminados. A equipe que está na Defesa, tenta evitar que a equipe adversária marque pontos e procura eliminar jogadores do ataque adversário. Ela consegue sair da situação de Defesa para a situação de Ataque, quando consegue eliminar 3 jogadores de ataque do adversário.

O campo

Campo de beisebol

O campo de Baseball é composto de uma área principal com a forma aproximada de um quarto de círculo (fair zone), e uma secundária chamada de zona morta (foul zone). A área principal, por sua vez, é dividida em duas partes que são o diamante (diamond ou infield) e a jardineira (outfield).

O diamante é um quadrado de 27,4 metros de lado onde em cada vértice se encontra uma base. O vértice mais importante e que está localizado no que seria o centro do círculo, recebe o nome de prato da casa ou base da casa (home plate ou home base). É neste vértice que a jogada se inicia e onde são conquistados os pontos quando o jogador de ataque, depois de sair deste ponto e passar pelos outros três vértices, consegue retornar. Estes outros vértices são batizados (no sentido anti-horário) como primeira, segunda e terceira bases (first, second e third base) e são os locais onde ocorrem as jogadas mais emocionantes. Quase no centro geométrico do diamante (a 18,4 metros da base da casa) existe uma pequena elevação de onde o arremessador faz os seus lançamentos.

A jardineira é obtida pelo prolongamento de dois lados do quadrado, a partir do prato da casa, por pelo menos 50 metros além das primeira e terceira bases, formando assim o resto do quarto de círculo citado anteriormente. É importante observar que a limitação da jardineira se refere apenas à atuação dos jogadores pois a bola rebatida para além deste limite (internamente aos prolongamentos do quadrado) é uma das jogadas mais esperadas por todos conforme descrito adiante.

A zona morta é a área do campo atrás da base da casa e entre as laterais e a arquibancada.

Jardim externo (outfield)

É a área gramada, externa do campo. Esta área é dividida, para fins de colocação dos jogadores da defesa, da seguinte maneira:

  • Jardim Externo Esquerdo (Left Field)
  • Jardim Externo Central (Center Field)
  • Jardim Externo Direito (Right Field)

Em cada uma destas áreas, é posicionado um dos jogadores da defesa. Estes jogadores da defesa tem a seguinte denominação:

  • Defensor do Jardim Direito ou Jardineiro Direito (Righ Fielder)
  • Defensor do Jardim Central ou Jardineiro Central (Center Fielder)
  • Defensor do Jardim Esquerdo ou Jardineiro Esquerdo (Left Fielder )

Estes jogadores da defesa tem a característica de serem os melhores corredores do time. A área que eles precisam defender é muito grande e exige que eles corram grandes distâncias, em altas velocidades, para capturar a bola no ar e evitar que a bola atinja o chão, depois de rebatida pelo rebatedor (o jogador no Ataque do time adversário).

Jardim Interno (infield)

O Jardim Interno (Infield), é a área interna do campo, a partir da área gramada para dentro. Nesta área central, existe um quadrado gramado, em cujos vértices (pontas) existem as bases do beisebol. São as bases e a bola é que dão o nome ao jogo (BASE = Bases BALL = Bola).

(1) A Base Principal (HOME BASE) é aquela que fica na extremidade central interna do campo. É onde se localizam o jogador de defesa chamado Receptor (Catcher), o Juiz Principal (Umpire) e o Rebatedor (Batter). O Receptor é o Defensor da Base Principal. O Rebatedor é o jogador do Ataque da equipe adversária que tenta rebater a bola lançada pelo Arremessador (Pitcher). O Arremessador fica na região central daquela área quadrada gramada interna, numa região levemente elevada em relação ao restante do campo chamada Montículo (Mount).

(2) Primeira Base é a base localizada na extremidade direita do quadrado interno gramado. Esta região do campo é defendida pelo jogador chamado Defensor da Primeira Base (First Base);

(3) Segunda Base é a base localizada na parte central interna do quadrado interno gramado no campo de beisebol. Esta região é defendida pelo Defensor da Segunda Base (Second Base);

(4) Terceira Base é a base localizada na parte esquerda do quadrado interno gramado. Ela é defendida pelo jogador da Defesa chamado Defensor da Terceira Base (Third Base);

Publicidade

Adicionalmente aos Defensores das Bases (Infielders), aos Defensores do Jardim Externo (Outfielders) e ao Arremessador (Pitcher), existe um último jogador da Defesa posicionado entre as Segunda e Terceira Bases. Este jogador se chama Interbases (Short Stop).

Ele é posicionado nesta posição do campo porque nela ocorre grande incidência de rebatidas e sua função é defendê-las. Normalmente este é o jogador mais ágil do time, porque ele precisa fazer deslocamentos laterais muito rápidos para defender as bolas rebatidas.

A partida

A partida de Baseball é dividida em nove tempos chamados de entradas (innings) onde cada entrada tem duas partes. Na primeira parte o time da casa joga na defesa e o time visitante joga no ataque e na segunda parte os papéis se invertem. Não existe empate em um jogo de Baseball. No caso da partida estar empatada no final da nona entrada, são disputadas novas entradas até que, no final de uma delas, o jogo esteja desempatado.

Os jogadores

Cada time de Baseball é formado por nove jogadores sendo que, durante a defesa, eles estão distribuídos da seguinte forma: um arremessador (pitcher – P) no centro do diamante fazendo os lançamentos, um pegador (catcher – C) agachado atrás do prato da casa para receber estes lançamentos, um jogador “guardando” cada base (first, second e third baseman – 1B, 2B e 3B), um jogador que auxilia os guarda-bases chamado de entre-bases (shortstop – SS) e três jogadores chamados de jardineiros (right, center e left fielder – RF, CF e LF) na parte mais externa do campo. Inicialmente, quando o time está no ataque, ele só tem um jogador em campo que é o rebatedor (batter). Durante o desenrolar da partida, se este time estiver jogando bem, pode ter até quatro jogadores em campo simultaneamente, ou seja, o rebatedor e mais um corredor (runner) em cada uma das outras três bases.

OS JUIZES

Quatro juizes (umpires), cada um próximo a uma base, controlam o jogo decidindo quanto à conquista ou não da base pelo corredor. O juiz posicionado no prato da casa, atrás do pegador, é o principal juiz da partida e também tem a função de decidir se as bolas arremessadas são válidas. Alguns jogos amadores têm apenas um ou dois juizes mas os jogos mais importantes do campeonato chegam a ter seis deles, ficando estes dois juizes extras, atentos às jogadas na jardineira. 

ATAQUE

Quando uma equipe está no Ataque, um jogador de cada vez entra em campo como Rebatedor (Batter) equipado com o seu bastão, procurando rebater a bola lançada pelo arremessador (Pitcher). Todos os jogadores do time entram como Rebatedores, na sua vez, numa seqüência pré-estabelecida pelo técnico. Esta seqüência é imutável durante um jogo. O técnico não pode mais alterar a ordem dos batedores depois de feita a escalação. Ele pode apenas promover substituição de um Rebatedor por outro vindo do banco, da reserva.

Objetivo do ataque

O Ataque tem por objetivo marcar pontos, que acumulados, e em maior número que os marcados pelo adversário, permitem à equipe conquistar a vitória.

O primeiro objetivo do Ataque é o Rebatedor conseguir rebater a bola lançada pelo Arremessador, para dentro das linhas que delimitam o campo, e de preferência longe (fora do alcance) dos jogadores da defesa.

Se a bola rebatida pelo Rebatedor for capturada no ar, antes de atingir o chão, o Rebatedor está automaticamente Eliminado(Out). No entanto, se o Rebatedor fizer uma Rebatida Válida (Hit), dentro dos limites do campo, e a bola não for capturada no ar pelos defensores, ele precisa correr e atingir (pisar) a primeira base antes que a bola seja dominada e arremessada para o Defensor da Primeira Base.

Se o Rebatedor conseguir atingir a primeira base antes que a bola seja arremessada para lá e dominada pelo defensor da primeira base, ele é considerado “salvo” (Safe). Se o Rebatedor for considerado Salvo, ele passa a ocupar a base e ser considerado Corredor (Runner).

O ponto ou corrida

O Ponto ou Corrida (Run) é marcado quando o Corredor tiver passado por todas as Bases e Retornar para a Base Principal. O Ponto no Baseball não é marcado pela Bola e sim pelo Jogador, o Corredor no caso. Por isto que o ponto também é chamado de Corrida (Run). Isto normalmente porque o Corredor vem na Corrida, vindo da Terceira Base para a Base Principal, depois de uma Rebatida Válida (Hit) do Rebatedor.

Um Rebatedor pode marcar um ponto direto, se ele rebater uma bola para for a da linha circular que delimita o Jardim Externo, porém dentro das linhas laterais que delimitam o campo. Esta jogada é chamada de HOME RUN. É a maior rebatida possível pelo Rebatedor que lhe dá direito de percorrer todas as bases e retornar à Base Principal (HOME BASE). Por isto o nome de HOME RUN (Corrida até a HOME BASE).

Objetivos do corredor

O Rebatedor, depois de ser considerado Salvo pelo correspondente Juiz de Base, passa a ser ter direito à base e passa a ser considerado Corredor (Runner).

O objetivo do Corredor (Runner) é conquistar a base seguinte, consecutivamente até conquistar a Base Principal (Home Base). No momento em que o Corredor conquista a Base principal, ele marca um ponto, ou também chamado Corrida (Run), para a equipe. O Corredor pode conquistar a Base seguinte de várias formas:

(1) Empurrado, ou Impulsionado, pela Rebatida válida do Rebatedor. Isto ocorre quando o Rebatedor da vez, rebater uma bola indefensável (Hit). Sempre que acontecer uma rebatida, é obrigação do Corredor correr para a Base seguinte. Ele precisa chegar na Base antes que a bola seja dominada e arremessada para o Guardador da respectiva base a ser conquistada pelo corredor. Se a base for pisada ou tocada pelo defensor da base, com a bola dominada em suas mão, antes do corredor tocar a base, o Corredor estará Eliminado (Out) e retorna para o banco. Ele pode ser Eliminado também se ele for tocado pelo defensor com a bola dominada enquanto não estiver pisando na base.

(2) “Roubando” a Base (Steal). Isto ocorre quando o Corredor dispara na corrida em direção da Base seguinte enquanto o Arremessador está no processo de arremesso para o Receptor (Catcher). Ele precisa ser muito rápido porque o Receptor vai arremessar rapidamente a bola para o Defensor da Base correspodente e se a bola chegar antes e o Corredor for tocado com a bola, ele estará Eliminado (Out).

(3) “Ganhando” a base de “graça” (Walk). Isto ocorre quando existe um corredor nas bases e o Arremessador comete uma irregularidade na sequencia de movimentos permitidos. Quando ocorre esta irregularidade, o corredor ganha a próxima base “de graça”. Este direito de ganhar a base seguinte é chamado, em inglês, de Walk (andar, caminhar), porque o rebatedor pode ir andando até a base seguinte, sem obrigação de correr como na rebatida. Se ele estiver na Terceira Base, ele ganha o direito de avançar para a Base Principal, e conseguentemente marca um Ponto, ou Corrida.

DEFESA

Quando uma equipe está na Defesa, seus nove jogadores entram em campo, equipados com as suas luvas, cada um para defender a sua região do campo determinada pela sua especialidade e pelo técnico.

O objetivo da defesa

O objetivo principal da defesa é evitar que a equipe adversária marque pontos.

Para que a equipe adversária termine logo a sua tentativa de marcar pontos, a defesa precisa provocar a eliminação de 3 (três) jogadores de ataque do adversário. Depois de eliminados os 3 jogadores, a equipe adversária é obrigada a passar para a defesa. Cada equipe, durante um jogo de beisebol, tem direito a 9 ataques e é obrigado a se defender o mesmo número de vezes.

O arremessador

O conjunto mais importante da defesa é a dupla Arremessador-Receptor (Pitcher-Catcher). Eles são considerados o Coração e o Cérebro do time. A função desta dupla é impedir que o rebatedor do time adversário consiga realizar uma boa rebatida.

O arremessador, de preferência, procura lançar bolas que o rebatedor não consegue atingir com perfeição. Após três tentativas frustradas de rebatida, o atacante é Eliminado (Out). A eliminação do rebatedor por 3 tentativas frustradas de rebatida chama-se, em inglês, de Strike-Out.

O Arremessador (Pitcher), em conjunto com o Receptor (Catcher), são os elementos mais importantes da Defesa. É através de um perfeito entrosamento entre estes dois jogadores que a equipe procura evitar que o Rebatedor adversário consiga sucesso nas suas tentativas de rebatida.

O Arremessador, para que a bola seja considerada Válida (Strike) para o rebatedor, precisa fazer a bola passar dentro de uma área pré-estabelecida, dentro do alcance do bastão do rebatedor. Ela precisa passar por uma zona, um espaço geométrico de formato pentagonal, do mesmo formato da base principal em frente ao rebatedor, entre as alturas do joelho e do meio do peito do rebatedor.

Região boa (strike zone)

Este espaço, considerado Válido (Strike), é chamado de Zona de Strike (Strike Zone). Qualquer bola que não passar dentro deste espaço geométrico, nem que seja apenas de raspão, é considerada Bola Ruim (Ball).

Quem determina se a bola foi Válida (Strike) ou Ruim (Ball), é o Juiz Principal (Umpire) que fica posicionado atrás do receptor, para ter uma perfeita visão da bola.

O arremessador tem direito a jogar 3 (três) bolas Ruins (Ball) para o rebatedor.

E o rebatedor pode deixar passar (rejeitar) até duas Bolas Boas (Strikes).

Se o arremessador lançar a Quarta Bola Ruim (Four Ball) para o rebatedor, o juiz concede o direito do rebatedor avançar “de graça” para a primeira base (Walk em inglês, isto é ele pode ir “andando” até a primeira base).

Se o rebatedor deixar passar a Terceira Bola Boa, ou não conseguir acertá-la com o bastão, ele está eliminado (Strikout em inglês). O arremessador utiliza toda uma estratégia, misturando Arremessos Bons (strikes), com arremessos ruins (balls), para confundir o rebatedor. Além disso, o rebatedor ainda mistura bolas rápidas (Fast Ball), bolas lentas (Off Speed, Change Up), bolas curvas (Curve Ball), tudo para impedir que o rebatedor consiga atingir a bola adequadamente.

Se a bola não for atingida adequadamente, ela pode subir demais e assim se tornar uma bola fácilmente defensável (Fly Ball ou “bola voadora”). Ou então sair uma rebatida fraca e rasteira (Ground Ball ou Grounderl) que também normalmente é de fácil defesa. Precisa haver um perfeito entendimento entre o Arremessador e o Receptor, pois costuma ser o Receptor a solicitar ao arremessador o tipo de bola mais adequado para confundir o rebatedor. O Receptor, considerado o Cérebro do time, precisa conhecer o repertório de bolas do arremessador e as fraquezas do rebatedor. Portanto, uma boa dupla Arremessador-Receptor, com bom entrosamente, pode impedir que os rebatedores se tornem corredores, eliminando-os antes de conquistarem a primeira base.

Se uma dupla Arremessador-Receptor conseguirem a proeza de evitar que nenhum rebatedor da equipe adversária conquiste a primeira base num jogo, isto é considerado um JOGO PERFEITO (Perfect Game). Isto é a realização máxima para a dupla Arremessador-Receptor. Existe ainda uma outra proeza desta dupla chamada de NO HITTER, que significa que nenhum rebatedor conseguiu uma Rebatida Válida (HIT) durante todo o jogo.

A Zona de Strike, é a “Região Boa ” dentro da qual deve passar uma bola lançada pelo arremessador para que ela seja considerada Válida (Strike) para o rebatedor acertar a bola. Esta região é tem o mesmo tamanho e formato (pentagonal) da Base Principal, que fica no chão em frente ao Rebatedor e do Receptor. É uma região de mais ou menos 30×50 cm, com o formato acima citado e limitada entre as alturas dos cotovelos, quando na posição de rebatida, e a altura superior dos joelhos do Rebatedor. Quando a bola for lançada nestes limites, o Juiz Principal (Umpire) considera a Bola Válida (Strike) para rebater.

Quando a bola é boa o juiz grita: STRIKE ! ;

Se a bola for ruim ele grita: BALL !

ALGUMAS JOGADAS ESPECIAIS

Conforme já citado acima, o corredor pode conquistar mais de uma base em uma mesma jogada, que é chamada de corrida dupla ou tripla (double ou triple run), conforme o caso. A defesa por sua vez também pode eliminar mais de um jogador em uma mesma jogada, que é chamada de jogada dupla ou tripla (double ou triple play). A jogada tripla é muito difícil pois os jogadores de defesa têm que ser extremamente rápidos. Ela consiste, normalmente, em lançar a bola (recuperada após uma rebatida válida) para o guardador da terceira base (eliminando o corredor que avançava para esta base), que lança para o da segunda base (eliminando mais um corredor), que lança para o da primeira base (eliminando o terceiro atacante que no caso é o rebatedor). Assim, em apenas uma jogada três jogadores são eliminados e os times trocam de posição.

Outra jogada interessante é a rebatida de sacrifício. Neste caso, se existirem corredores em condições de marcar pontos (na terceira e/ou segunda bases) e houver no máximo um jogador fora (eliminado), o rebatedor pode decidir por se sacrificar, sendo eliminado mas dando tempo a um companheiro de chegar à base da casa e marcar um ponto. Este sacrifício pode ser feito rebatendo uma bola voadora (sacrifice fly) ou dando um pequeno toque na bola, de preferência para o lado da primeira base (sacrifice bunt). Estas jogadas facilitam o time de defesa na eliminação do rebatedor mas dão chance aos corredores de marcar pontos.

RESUMO

Naturalmente que os itens acima não esgotam as regras deste esporte. Na Enciclopédia Britânica, por exemplo, o verbete sobre Baseball ocupa seis páginas! Por outro lado, esta descrição pode ser ainda mais resumida, se nos concentrarmos nos seguintes pontos principais:

a) o arremessador só pode errar três vezes a zona de “strike” pois no quarto erro o rebatedor conquista a primeira base sem disputa e outro rebatedor entra em seu lugar;

b) o rebatedor só pode ter dois “strikes” pois no terceiro ele é eliminado (conta como “strike” qualquer tentativa de rebatida – exceto se for o terceiro em uma bola rebatida para a zona morta – e qualquer bola arremessada na zona de “strike” );

c) o rebatedor também é eliminado se a bola rebatida for recuperada pela defesa, antes que ela toque o chão;

d) no caso do item anterior (bola recuperada antes de bater no chão) qualquer corredor só pode sair de sua base (para tentar conquistar a próxima), depois que o defensor estiver com a bola na mão;

e) o corredor só conquista uma base se chegar nela antes do jogador de defesa que tem a bola na mão e se, durante a corrida, não for tocado por este defensor (caso contrário está eliminado); e

f) quando o time de defesa eliminar três jogadores do time de ataque, os times trocam de posição.

Autoria: Webiston de Souza Macedo