Filosofia

As 10 Principais Áreas da Filosofia

Se, em seu início, a filosofia delimitava-se na dimensão das especulações cosmológicas, no seu curso histórico suas investigações expandiram-se para o exame de diversos problemas.

A filosofia desdobra-se, portanto, em áreas específicas de pesquisa intelectual, constituindo, através dos séculos, um vasto repertório temático.

Mencionaremos, então, as 10 principais áreas que se tornam nucleares no interior da atividade filosófica.

1. Metafísica

Essas transformações são notáveis já na filosofia antiga. Ainda em meio às discussões cosmológicas, anuncia-se um novo campo do saber filosófico: a metafísica ou ontologia. Em linguagem muito resumida, podemos afirmar que se trata da pesquisa sobre o ser, a realidade essencial que se situaria além dos fenômenos físicos que observamos no mundo.

Os debates metafísicos foram inaugurados pela concepção do filósofo Parmênides de Eleia. Distinguindo-se dos pensadores comprometidos com as indagações cosmológicas, Parmênides não se interessou exatamente pela formação do Universo e por seus eventos, substituindo essas preocupações pelo conceito de ser. Para ele, as mudanças são ilusões: a realidade consiste exclusivamente no ser, que é uno, eterno e imutável.

Parmênides de Eleia.

2. Ética

Ética vem do grego ethos (modo de ser) e é um dos ramos da filosofia que se dedica a estudar a conduta humana dentro dos valores considerados morais em uma sociedade.

A ética, portanto, problematiza os fundamentos da dimensão moral da vida humana, o universo dos valores e das normas que regem as condutas dos seres humanos.

O ser humano não vive sozinho, convive com outras pessoas o tempo todo e isto nos faz pensar em questões muito importantes: Como devo agir diante das pessoas? O que é certo? O que é errado?

Veja também: Diferença entre ética e moral.

3. Política

A filosofia política reflete sobre os vínculos entre humanidade e formas de organização de poder e sobre as relações entre Estado e sociedade.

A palavra “política” é de origem grega. “Política” vem de “polis”, cidade.

Aristóteles enxergava uma estreita ligação entre ética e política. Isso se dava porque, para ele, o bom desenvolvimento da política estava intimamente relacionado com a existência de um bom regime e comandando por um bom governante, os quais deveriam garantir uma cidade (pólis) justa.

4. Gnosiologia (teoria do conhecimento)

A teoria do conhecimento ou gnosiologia versa sobre aspectos referentes à fundamentação, à origem e às possibilidades do conhecimento humano.

Como se constitui o conhecimento? O conhecimento tem sua raiz nos sentidos do corpo humano ou na razão? Podemos conhecer completamente a realidade ou há limites para a capacidade cognitiva dos seres humanos? Esses são alguns dos problemas no âmbito da gnosiologia

5. Filosofia da linguagem

A filosofia da linguagem centra-se no exame dos símbolos verbais com os quais os seres humanos se comunicam e procuram descrever o mundo e a si mesmos, inspecionando as relações entre linguagem, pensamento e realidade.

Entre as importantes indagações que mobilizam essa área da filosofia, podemos citar a seguinte: a linguagem exprime a realidade íntima dos seres ou se resume a significados construídos culturalmente pelos grupos humanos?

6. Estética

A estética define-se como filosofia da arte e do belo, percorrendo as articulações entre a natureza, as criações artísticas e a beleza.

Ela se consolidou como perspectiva relevante das reflexões filosóficas, em especial a partir do século XIX, com alguns filósofos sublinhando a criatividade artística como elemento essencial na afirmação dos processos naturais, da vida e da própria humanidade.

7. Lógica

Desde a Antiguidade, a lógica teve como objetivo a análise do raciocínio. A evolução do homem está alicerçada em raciocínio.

A lógica como ciência tem como finalidade permitir o estudo de uma afirmação denominada tese ou conclusão, a partir de hipótesespremissas, que são os subsídios necessários para determinar se o que se quer concluir é verdadeiro ou falso.

8. Espistemologia (filosofia da ciência)

O surgimento da ciência moderna, nos séculos XVI e XVII, situou o conhecimento científico como tema de interesse filosófico, ensejando a formação da filosofia da ciência ou epistemologia.

Esse ramo da Filosofia avalia os métodos empregados nas pesquisas científicas, perscruta os laços entre ciência e sociedade e reflete acerca da legitimidade das inferências científicas.

Há filósofos que utilizam indistintamente os termos gnosiologia e epistemologia para tratar dos problemas relativos ao conhecimento humano. Entretanto, muitos preferem um uso mais preciso dessas denominações: associam gnosiologia à teoria do conhecimento e epistemologia exclusivamente às interrogações da filosofia da ciência.

9. Filosofia da história

A filosofia da história examina o trajeto histórico da humanidade sob o prisma das articulações entre ser e devir (tornar-se), indagando sobre a existência ou não de uma história universal dotada de sentido e racionalmente direcionada a um fim previamente contido na trajetória das sociedades.

10. Filosofia da mente

A filosofia da mente versa sobre questões como a natureza da mente, os fenômenos psicológicos e suas relações com o mundo, pesquisando questões como:

  • Mente e corpo são uma única realidade ou trata-se de substâncias distintas?
  • Como se constituem os processos mentais?
  • De que forma o desenvolvimento da inteligência artificial implica a rediscussão do conceito de mente?

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: