Estados brasileiros

Geografia do Estado de São Paulo

Estado mais populoso do Brasil, São Paulo destaca-se pela produção industrial e pela presença de imigrantes: são quase 3 milhões, de 70 nacionalidades diferentes. Há também grande número de migrantes internos, em sua maioria do Nordeste.

Aspectos físicos de São Paulo

Situado no Sudeste, o estado de São Paulo tem como limites norte e nordeste os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, a leste o oceano Atlântico, ao sul, o estado do Paraná, e a oeste, Mato Grosso do Sul.

Conta com 645 municípios e ocupa uma área de 248.219,627 km2. Sua capital é a cidade de São Paulo, uma das metrópoles globais do planeta, que se caracteriza por ser uma excelente área para negócios. Também se sobressai pela diversidade cultural, que resulta numa oferta de lazer intensa e variada.

Mapa do estado de São Paulo.
São Paulo.

Relevo

Destacam-se três unidades de relevo: a planície litorânea, estreita faixa de terras na qual se situam a serra do Mar, o município de Paranapiacaba e o vale do Ribeira; os planaltos, que se estendem de sul a nordeste; e as depressões, que abrangem os vales do Médio Tietê, Paranapanema e Mojiguaçu.

A altitude varia de 300 a 900 m na maior parte da área estadual, sendo o ponto mais elevado a Pedra da Mina, na serra da Mantiqueira, com 2770 m de altitude.

Hidrografia

A rede hidrográfica do estado abrange a bacia do Paraná, e os rios são aproveitados tanto para navegação quanto para produção de energia elétrica. Os principais são: Tietê, Paranapanema, Paraíba do Sul, Paraná, Grande, Turvo, do Peixe, Piracicaba, Pardo, Mojiguaçu, Jacaré-Pepira e Jacaré-Guaçu.

O maior destaque é a hidrovia Tietê-Paraná, de 2400 km de extensão, dos quais 800 km em território paulista.

Clima

Nas terras paulistas o clima predominante é o tropical de altitude, que apresenta uma temperatura média de 20 °C a 22 °C. Há a ocorrência de duas estações, uma seca e outra chuvosa. No inverno, acontecem geadas nas áreas onde as altitudes ultrapassam 1 200 m.

Vegetação

Originalmente, havia no território três tipos de formação vegetal: o mangue, a Mata Atlântica na serra do Mar e, no interior, a Mata Tropical, além dos cerrados que ocorrem no centro e no oeste do estado. Grande parte da vegetação do estado foi destruída para dar lugar à agricultura.

Imagem da bandeira do Estado de São Paulo.
Bandeira do estado de São Paulo

A população paulista

Em 2018, São Paulo tinha população de 45,5 milhões de habitantes, com o segundo melhor índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país: 0,783. Sua taxa de analfabetismo é de 2,8%, uma das mais baixas do país, a esperança de vida é de 78,1 anos e a mortalidade infantil, de 9,9 a cada mil nascidos vivos.

Etnicamente, a população é muito variada. Além da miscigenação entre brancos e índios, ocorrida desde o período colonial, à qual se seguiu uma forte presença negra, a população atual também resulta da mesclagem entre os diversos imigrantes de todas as origens que se instalaram em São Paulo a partir do século XIX.

Hoje, a composição étnica da população do estado apresenta: 63,65% brancos, 5,44% negros, 29,38% pardos, 1,38% amarelos e 0,11% indígenas. O advento da industrialização também motivou um grande fluxo de migração interna. Assim, São Paulo recebeu muitos migrantes vindos do Nordeste (em maior número), do Sul (sobretudo do Paraná) e de praticamente todas as partes do país.

A economia paulista

Principal polo econômico do Brasil, o estado de São Paulo responde por 32,4% do PIB nacional (IBGE 2015). É igualmente forte nos setores primário, secundário e terciário.

Apresenta mais de 190 mil km2 de terra produtiva, entre lavouras, pastagens e florestas destinadas ao aproveitamento econômico. E líder nacional na produção de frutas e mundial na de suco de laranja. Também se destaca como produtor de soja e cana-de-açúcar (é o segundo maior do mundo), de legumes (25% da produção nacional) e café (quarto maior do mundo, com 3,5 milhões de sacas de 60 kg ao ano).

O estado conta ainda com grandes rebanhos de bovinos (12,9 milhões de cabeças), suínos (1,5 milhão de cabeças), ovinos (226 mil cabeças) e caprinos (109 mil cabeças). Na avicultura, é o segundo maior produtor nacional de frangos (900 mil toneladas ao ano) e fornece 16% do total nacional das aves de corte.

Na indústria, São Paulo é responsável por 40% da produção nacional – somente a Grande São Paulo responde por 20%, sendo que na região metropolitana estão concentradas 52% das indústrias paulistas.

São especialmente fortes os setores de metalurgia, mecânica, material elétrico e de comunicação, material de transporte, química, farmacêutica, plásticos e informática.

Grande exportador, São Paulo é responsável por mais de 35% de todas a exportação brasileira, um volume superior a U$ 38 bilhões anuais.

Turismo e cultura no estado de São Paulo

Ao longo do século XX, São Paulo foi sede de inúmeros movimentos artísticos e estéticos, fortemente influenciados pelos imigrantes – em especial, pelos italianos. No Teatro Municipal de São Paulo, aconteceu, por exemplo, a Semana de Arte Moderna de 1922, que lançou novas diretrizes no modo de fazer teatro, literatura, poesia, artes plásticas.

Hoje, o estado possui uma ampla rede de teatros, casas de shows, bares e restaurantes, além de museus, monumentos históricos, parques temáticos, galerias de arte e instituições de ensino de excelência. Essa efervescência cultural se faz sentir de forma mais intensa na região metropolitana, mas também é forte em cidades do interior, como Campinas e Ribeirão Preto.

Embora seja destino natural para viagens de negócios, com uma média de 45 mil eventos de negócios realizados durante o ano, São Paulo também é um destino para quem está em busca de diversão e entretenimento.

Além das atrações culturais, o estado também oferece belezas naturais: em 622 km de litoral, encontram-se lindas praias, e no litoral sul estão santuários ambientais como a Estação Ecológica Jureia-ltatins.

O turista também encontra opções de turismo rural, cidades com clima europeu (como Campos do Jordão, famosa por seu Festival de Inverno), cachoeiras, cavernas, rios, serras, fontes de água mineral, parques naturais, construções históricas e sítios arqueológicos.

Referência: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/panorama

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também