Geografia

Camadas da Terra

A litosfera, o manto e o núcleo são as camadas concêntricas que constituem a Terra.

Litosfera

A litosfera ou crosta terrestre corresponde a toda a superfície sólida que envolve o globo terrestre. A porção desta crosta submersa pelas águas marinhas é chamada de crosta oceânica ou submarina  (fina – predomina o basalto) e a porção emersa que forma os continentes, de crosta continental (mais espessa e rica em silício e alumínio).

A litosfera é fragmentada em várias peças, denominadas placas, que se deslocam em várias direções, em decorrência das correntes de convecção limítrofes. São responsáveis por intensa sismicidade, atividades vulcânicas, formação de cadeias montanhosas alongadas e bacias nos oceanos.

É a camada externa da Terra e a única totalmente sólida e com temperaturas mais baixas. Pode ser subdividida em SIAL e SIMA, sendo a primeira, mais externa, constituída por silício e alumínio e a última, imediatamente abaixo, por silício e magnésio.  É essa camada que forma toda a superfície terrestre, tanto as áreas continentais como também o assoalho submarino.

Manto

A mais de 75 km de profundidade, encontramos uma camada em estado de fusão, constituída por material não consolidado, chamada de manto ou magma terrestre, com profundidade de até 2900 km e temperaturas que podem chegar aos 2000º.

O manto envolve o núcleo e corresponde a 83% do volume da Terra. É muito rico em magnésio e ferro e pode ser dividido em três áreas específicas:

  • o manto inferior, que é sólido;
  • a astenosfera, que possui maleabilidade; a fusão parcial nessa camada gera o magma, que pode sofrer um processo ascensional e atingir a superfície (vulcanismo);
  • o manto superior (última camada), que envolve a astenosfera e está em contato com a rocha consolidada na base da crosta.

Núcleo

O núcleo abrange cerca de 16% do volume da Terra. Os dados geofísicos indicam que possui uma parte interna, sólida e pequena, e uma porção externa maior, ambas formadas predominantemente por ferro e níquel. As temperaturas podem variar dos 3000º até os 5000º.

Estudos recentes sugerem que o núcleo interno comporta-se como uma estrutura cristalina gigante, na qual a propagação das ondas sísmicas é mais rápida na direção N-S.

O núcleo interno gira com velocidade maior que a do restante do planeta, o que sugere que, numa época anterior, todo o planeta girava com maior rapidez. Por estar isolado mecanicamente do restante do planeta pelo núcleo externo líquido, o núcleo interno mantém sua velocidade peculiar.

Imagem com as divisões das camadas da Terra.
As camadas da Terra.

Bibliografia: 

Wilander. Reed. Monroe. James. S. Fundamentos de geologia. 1.ed. São Paulo: Lencage Learning, 2009.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: