Geografia

Hierarquia Urbana e Redes Urbanas

Conforme crescem, as cidades passam a estabelecer relações econômicas, políticas, sociais e culturais entre si. Com isso, formam-se as redes urbanas, que são conjuntos de cidades interligadas por meio dos fluxos de pessoas, mercadorias e informações. As relações entre as cidades de uma rede urbana dependem do porte e da função que cada uma apresenta.

Como existe uma variedade de serviços, mercados e infraestruturas, os fluxos entre as cidades se orientam de acordo com um tipo de hierarquia urbana. Nessa hierarquia, as cidades vão ter mais ou menos influência de acordo com as funções que possuem.

Assim, um habitante de uma cidade menor que precisa de um serviço de saúde específico terá de se deslocar até um centro urbano maior, mais próximo. Se ele precisar de um serviço ainda mais especializado, pode ser que tenha de se dirigir até um centro urbano ainda maior, como uma metrópole.

A capacidade de uma cidade de concentrar serviços e funções, tornando-se mais atrativa, é conhecida como polarização.

Classificação hierárquica das cidades

A posição de uma cidade na hierarquia urbana é determinada essencialmente por quatro fatores: sítio, situação, função e capacidade de polarização do espaço regional.

Toda aglomeração urbana tem assentamento natural no perfil topográfico em que se estabeleceu historicamente, o que é denominado sítio.

No que se refere à posição dessa aglomeração urbana em relação às vias de comunicação e transporte que a ligam com seu entorno, temos o conceito de situação.

Cada cidade tem uma função, determinada pela atividade principal por ela exercida. Finalmente, sua capacidade de polarização do espaço regional depende predominantemente da variedade, quantidade e especialização de bens e serviços que a cidade tem condições de oferecer.

As redes urbanas

As cidades, ao longo do tempo, estabelecem redes urbanas, isto é, redes com fluxos sociais, econômicos, políticos, culturais com maior ou menor intensidade, com tamanhos e funções diversas, gerando relações entre si e com o espaço rural em seu entorno.

Em cada tipo de formação de rede urbana, é detectável um grau hierárquico entre as cidades que a compõem.

Na escala inferior da hierarquia urbana, localizam-se os povoados e as pequenas cidades que apresentam como grau de influência apenas sua zona rural. Acima, estão localizadas as cidades médias, que prestam serviços e produzem mercadorias aos habitantes dos núcleos urbanos menores à sua volta.

Em nível hierárquico superior, estão localizadas as metrópoles – “cidades-mães” – que ofertam uma intensa gama de serviços às cidades médias e pequenas, funcionando como importantíssimo agente de organização do espaço regional, acentuando a complexidade das redes urbanas.

Uma metrópole tem sua importância estabelecida não somente em sua área ou população, mas, principalmente, na sua capacidade de polarização (influência) do espaço geográfico. Cabe lembrar que, em nível global, como veremos a seguir, o topo da hierarquia urbana é ocupado pelas metrópoles globais.

Classificação das redes urbanas

Para compreender as redes urbanas, foi elaborado um esquema que classifica as cidades conforme a polarização que cada uma é capaz de exercer sobre a outra.

  • Metrópoles nacionais: são as cidades capazes de estabelecer influência em todo o território nacional. No caso do Brasil, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro são as únicas metrópoles nacionais.
  • Metrópoles regionais: são as cidades que oferecem serviços e bens de consumo mais sofisticados, como hospitais com serviços especializados, universidades, grandes shoppings centers etc., mas que possuem um raio de influência mais restrito que o das metrópoles nacionais. Aqui, entram as áreas metropolitanas como Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, entre outras.
  • Centros regionais: são cidades cuja área de influência dificilmente ultrapassa os limites estaduais e que também sofrem polarização de outro centro urbano. Oferecem bens e serviços que se assemelham aos das metrópoles regionais, porém com menos especialização.
  • Cidades locais: são cidades de porte médio e pequeno, que possuem áreas de influência menores, compostas por pequenas cidades e vilas. Os serviços oferecidos são mais simples e os bens de consumo, básicos.

A acelerada modernização dos sistemas de transporte e do meio de comunicação permitiu uma redução do tempo e das distâncias, possibilitando o surgimento de um novo esquema das redes urbanas. Na atual hierarquia, uma vila ou uma cidade local pode ter uma relação direta com o centro regional ou, até mesmo, com a metrópole nacional.

Hierarquia urbana
As figuras mostram as relações entre as cidades em uma rede urbana.

Bibliografia:

  • MOREIRA, J. C.; SENE, E. Geografia para o Ensino Médio: geografia geral e do Brasil. V.único. São Paulo: Scipione, 2002.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: