Geografia

Regiões da África

Na tentativa de estabelecer a melhor regionalização da África e levando em conta a grande quantidade de países nos quais o continente foi dividido, após seu processo de independência no contexto pós-guerra, a ONU propôs uma divisão regional em cinco grandes regiões. Essa divisão tem como critérios aspectos geográficos, de localização, além de aspectos culturais e econômicos.

É muito comum que as pessoas não saibam diferenciar os diferentes países do continente africano ou que considerem a cultura africana uma unidade comum e sem grandes variações geográficas. No entanto, a África é uma área de grande diversidade cultural, social, política e natural.

Para compreender melhor essas especificidades e as semelhanças e diferenças dentro do continente africano, podemos utilizar as divisões regionais.

Mapa com as divisões da África.
Divisão regional da África, com base em proposta feita pela ONU.

África Setentrional – Norte

A África Setentrional está localizada, principalmente, na faixa da região norte do continente, e é composta por Marrocos, Tunísia, Argélia, Líbia, Sudão, Egito e Saara Ocidental.

Essa extensa faixa continental latitudinal
compreende as regiões da África mais próximas aos continentes asiático e europeu, dos quais absorveu diversos elementos culturais.

A grande característica geográfica de unidade dessa região é a costa mediterrânea, localizada ao norte do continente, onde está também a maior parte da região urbanizada desses países. Além disso, o vale do delta do Rio Nilo e os seus recursos hídricos concentram grande parte das cidades, distribuídas de maneira desigual ao longo dessa região geográfica com predominância de clima árido.

Cerca de 200 milhões de pessoas vivem na África Setentrional, população dividida entre as áreas urbanas e rurais de forma quase proporcional. Essa região do continente ainda está passando pelo período de transição do êxodo rural, com industrialização concentrada nos centros urbanos e grande área interior com base rural.

Apesar de estarem próximos ao Saara e sofrerem a influência do deserto, as regiões costeiras desses países apresentam clima mais ameno e relevo que favorece a ocupação humana e o desenvolvimento agrícola.

África Ocidental – Oeste

A África Ocidental consiste nos países da costa atlântica do continente, compreendidos quase totalmente ao sul do Trópico de Capricórnio e ao norte da Linha do Equador, todos localizados na Zona Tropical norte.

É composta por 17 países, alguns com territórios menores na região costeira, ao norte do golfo da Guiné e nas costas da mina e do ouro, como Senegal, Gâmbia, Guiné-Bissau, Guiné, Serra Leoa, Libéria, Costa do Marfim, Gana, Togo e Benin; e outros com territórios mais extensos em sua região interior, como Mauritânia, Burkina Faso, Mali, Níger e Nigéria. Além disso, está incluído nessa regionalização o arquipélago de Cabo Verde.

Cerca de 310 milhões de pessoas vivem nessa região, que passou, durante os últimos anos por intenso processo de urbanização e industrialização, resultando em rápido crescimento de seus grandes centros urbanos.

Em razão desse rápido processo de urbanização, houve concentração da população nos grandes centros urbanos desses países, os quais, por não possuírem boa estrutura urbana, cresceram de maneira desordenada, sem prover as necessidades básicas de saneamento da população.

Os países da África Ocidental apresentam grande diversidade natural, sendo possível encontrar desde áreas de florestas tropicais até regiões de savanas e estepes – nas regiões mais interiores do continente –, até áreas cobertas pelo Deserto do Saara, localizadas na região norte de Mauritânia, Mali e Níger.

Essa diversidade de paisagens torna a região muito suscetível a impactos ambientais. As alterações globais de temperatura, provocadas pelo aquecimento do planeta, têm feito surgir na África Ocidental um duplo fenômeno causado pelos extremos climáticos.

Em sua região norte, de clima mais árido, estão aumentando as áreas de influência do deserto, o que, por sua vez, está diminuindo as áreas agricultáveis e aumentando os problemas causados por secas e regimes de falta de chuva.

Já na região tropical, nas áreas de floresta, está havendo maior concentração de chuvas no período do verão, o que nas áreas dos centros urbanos tem causado sérios problemas, como deslizamentos de encostas e inundações que afetam grandes áreas urbanas empobrecidas.

África Central

A África Central está localizada, principalmente, na Zona Equatorial, e apresenta grande parte de sua área recoberta pela floresta tropical africana, além de algumas regiões de estepes e savanas.

Entre os países que formam a África Central estão: Angola, Camarões, República Centro-Africana, Chade, Congo, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial, Gabão e São Tomé e Príncipe.

A região é delimitada em sua porção oeste pelo Oceano Atlântico e, até as regiões interioranas, pela área montanhosa das placas Africana e da Somália. Apresenta clima predominantemente quente e tropical, com presença tanto de áreas de floresta tropical quanto de savanas no seu interior, com importante presença hidrográfica, essencial para o abastecimento hídrico da região.

Cerca de 170 milhões de pessoas vivem nessa região da África, e os seus países se dividem entre os que apresentam concentrações de população urbana e que estão passando por um processo de intensa industrialização recente, com a instalação de grandes empresas multinacionais, como Angola, Congo, Camarões, Chade, Gabão e São Tomé e Príncipe; e outros, cuja maior parte de sua população está nas áreas rurais e economia pautada na produção agrícola, como República Centro-Africana, Guiné Equatorial e República Democrática do Congo.

Essa diversidade da população urbana e rural dos países da África Central divide-os em dois grandes grupos: os países que ainda têm grande população rural e base econômica pautada na produção agrícola, e os países com população urbana mais expressiva, que estão passando por um processo de intensa industrialização recente, com a instalação de grandes empresas multinacionais.

África Oriental – Leste

A África Oriental é formada em grande parte pelos países africanos situados junto ao Mar Vermelho e por grande parte dos países da costa do Oceano Índico, incluindo os do Chifre da África: Eritreia, Djibuti, Somália, Etiópia, Sudão do Sul, os países da região do Lago Vitória e dos outros grandes lagos africanos – Uganda, Quênia, Ruanda, Burundi, Tanzânia e Malawi –, além dos territórios insulares de Seychelles, Comores, Maurício, Ilhas Reunião e a grande Ilha de Madagascar.

Sua população total é de cerca de 300 milhões de habitantes, sendo a região que apresenta o menor percentual de população urbana da África, com cerca de 230 milhões de pessoas (aproximadamente 78% do total de sua população) vivendo em áreas consideradas rurais.

Os dois maiores centros urbanos da África Oriental são as capitais Dodoma, na Tanzânia, com cerca de 3,5 milhões de habitantes, e Nairóbi, no Quênia, com cerca de 3,3 milhões de habitantes.

Como a maior parte da população dessa região vive no campo, a base de produção desses países está assentada, principalmente, no setor primário, que é também o setor econômico que apresenta as maiores vulnerabilidades.

A forte dependência das condições climáticas, do regime de chuvas e de fatores de temperatura faz com que a produção agrícola dessas áreas seja muito variável, colocando em risco alimentar grande parte da população mais empobrecida, cuja base de produção é para subsistência das populações rurais.

Os países dessa região passam também por sérios problemas políticos e conflitos armados, o que os torna uma grande área de instabilidade do continente, dificultando o envio de ajuda humanitária e o acesso a serviços de assistência de organizações internacionais, como ONU, Cruz Vermelha e Médicos Sem Fronteiras.

África Meridional – Sul

A África Meridional está localizada nas proximidades do Trópico de Capricórnio, dividindo os territórios africanos dessa região entre as zonas tropicais e subtropicais. É banhada a oeste pelo Oceano Atlântico, e a leste, pelo Oceano Índico.

A África Meridional tem cerca de 108 milhões de habitantes, distribuídos entre Zâmbia, Moçambique, Zimbábue, Botsuana, Namíbia, Eswatini, África do Sul e o enclave de Lesoto.

A África do Sul é o país mais populoso, com cerca de 50 milhões de habitantes, o que corresponde a quase 50% de toda a população da região. É, ainda, a grande potência econômica local, considerada um dos países mais industrializados da África e parte dos BRICS.

Em termos paisagísticos, a África Meridional tem grande diversidade natural, com a presença de áreas de savanas, regiões desérticas e de vegetação mediterrânea em sua porção subtropical, bastante diferenciada do restante do continente.

Essa região é também bastante rica em minérios, principalmente os de grande valor comercial, o que fez com que fosse bastante disputada entre as potências europeias durante o Período Colonial.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: