Home Resumos de Livros > A Educação pela Pedra – João Cabral de Melo Neto

A Educação pela Pedra – João Cabral de Melo Neto

Resumo do livro:

A obra “A educação pela Pedra”, pertence ao consagrado poeta João Cabral de Melo Neto (1920-1999), Sua poesia possui métricas exatas e marcantes, diferentes para sua época. João Cabral de Melo Neto faz parte da chamada geração de 45 do modernismo brasileiro. A época é o fim da Segunda Guerra Mundial, porém João rejeitava a forma modernista de escrever, sendo contra as estrofes e versos livres, parodia, poema-piada, entre outros aspectos. Os poemas de João Cabral são milimetricamente pensados.

Publicidade

“A educação pela Pedra”, reúne 48 poemas que foram lançados entre os anos 1960 e 1966. Todos são marcados pelo didatismo, e o livro é dividido em quatro partes sendo elas: a, A,b, B. É fácil de se encontrar dentro da obra, por exemplo, na parte de letra minúscula são textos curtos, já na parte de letras maiúsculas estão textos mais longos. Esta é considerada a melhor obra de João Cabral de Melo Neto, sendo vencedor inclusive do prêmio Jabuti.

João Cabral de Melo Neto é também responsável por livros como “Morte e Vida Severina”, um dos poemas mais reproduzidos no Brasil. João lidava com a poesia como se lidasse com cálculos matemáticos, e tinha em primeiro lugar a precisão, perfeição, visual e colocação das palavras, deixando o sentimento e a emoção em segundo plano.

Publicidade

Poemas de A educação pela Pedra

Livro A Educação pela PedraO nome “A educação pela Pedra” além de ser o título do livro e o do último poema que compõe a obra. Nesta, ele descreve a pedra como um objeto que ensina o homem, que em um primeiro momento não apresenta nenhuma qualidade, não faz nada além de ser fria e dura, e que no final pode fazer muito por ele. Nos poemas da obra a subjetividade dá lugar à objetividade. Um dos assuntos que mais aparecem em seus textos é a própria construção poética.

No poema que dá nome ao livro, logo na primeira estrofe ele relaciona a escrita com a pedra que é a ausência da condensação, ênfase e concretude da pedra. Na segunda estrofe a pedra é movida para o sertão, para a alma do sertanejo, e se mantém pétrea, mostrando que seus versos não irão expor seus sentimentos mais íntimos, apenas a objetividade. Ou seja, nos poemas de “A educação pela Pedra”, João Cabral a temática é buscar a aventura intelectual, e nunca temas universais como a busca do coração do homem.