Sociologia

A Mulher e o Mercado de Trabalho

No trabalho a relação entre homem e mulher, nem sempre é igualitária, podemos dizer que é comum nas sociedades atuais se mascarar ou tentar encobrir com características e vantagens que favorecem a mulher, porém é arraigado na esfera social e no contexto histórico ao logo do tempo que a mulher sempre possui
um lugar e um espaço diferente do homem, ela ainda continua sendo vista como um ser doméstico.

Nos locais em que a dominância e o poder se encontram comumente nas mãos dos homens, que é o caso da política, se torna, as vezes, algo fora do comum e de difícil aceitação a inclusão da mulher neste grupo, porém um exemplo real na sociedade atual é que várias mulheres conseguiram através de seu trabalho e empenho, ocupar um espaço marcante na sociedade política como: Luiza Erundina, Marta Suplicy, e outras que estão fazendo que esse tipo de diferença presente na sociedade, fique menos dominante e faz com que seja mostrado que se pode obter um espaço na esfera social e no trabalho.

Queda de braço entre homem e mulher no trabalhoUma situação bastante comum é a que ocorre nas sociedades capitalistas, onde se tem a necessidade do trabalho como meio de sobrevivência, em um determinado grupo de mulheres que está a procura de um cargo dentro de uma empresa, existem uma maior presença de mulheres mais jovens com idade entre 20 e 27 anos, e somente 2 estão com idade acima de 30 anos. São feitos de forma semelhante treinamento e um processo seletivo para a escolha de quem irá ficar com o cargo, porém é bastante claro que a porcentagem maior de chance de seria para aquelas que possuem um faixa de idade menor, isso ocorre devido a uma pré-disposição, e um certo preconceito com relação a idade da mulher para o trabalho; embora isso não pareça ser relevante aos olhos de alguém que não está preso a preconceitos e a diferenças existentes no meio social, está presente e arraigado quase que, de forma involuntária na sociedade como um todo.

Baseado neste tipo de situação, levantam-se algumas questões e inquietações no que diz respeito ao comportamento das sociedades com relação ao papel da mulher no meio de trabalho. Será que este tipo de situação se dá em função de uma cultura arcaica que necessita de reformulações, ou em função de
um formação histórica de características presentes em sociedades antigas em que se tinha a dominação excessiva do homem, ofuscando e oprimindo o papel da mulher, dando-lhe apenas atributos domésticos, e considerando a mulher como objeto sexual. Estas questões exigem respostas, e é em função disto que nos apoiamos a ciência, no campo de pesquisa e observações, investigando fatos importantes previamente
considerados.

No campo da antropologia uma preocupação em compreender e mudar a posição feminina gerou inúmeras
questões importantes: Haverá sociedades, diferentes das nossas, que coloca as mulheres como iguais ou superiores aos homens? Se não, as mulheres são, “de natureza”, inferiores a eles? Por que em nossa sociedade e nas outras, a mulher aceitou a posição subordinada? Como e em quais situações as mulheres exercem o poder? Como a mulher ajuda a configurar, criar e mudar o mundo particular e público onde vive?

Por: Fabrício Fernandes Pinheiro

Veja também: