Região Nordeste

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1969, definiu cinco regiões do Brasil e uma delas é a região Nordeste. Ela concentra a segunda maior população do Brasil e seu tamanho é equivalente ao tamanho do Amazonas ou da Mongólia.

O maior número de estados está na região Nordeste: Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe e Ceará. A região é bastante conhecida pelo calor e também pelas praias, que correspondem a uma extensão de 3.338 km. Dentre todos os estados, a Bahia possui maior extensão de praias: 938 km.

Paisagens do nordeste

A região Nordeste possui muitas variedades, podendo-se apontar quatro sub-regiões: meio-norte, sertão, agreste e zona da mata, todas com diferentes características físicas.

  • O meio-norte também é conhecido como Mata dos Cocais e se estende do Piauí ao Maranhão, fazendo a transição entre o Sertão e a Amazônia.
  • O Sertão apresenta clima semiárido e a caatinga como vegetação, alcançando o litoral no Ceará e no Rio Grande do Norte, apesar de adentrar quase todo o interior.
  • O agreste se estende do Rio Grande do Sul à Bahia, sendo a menor sub-região.
  • Por fim, a Zona da Mata, onde ocorrem muitas chuvas. Além disso, ela é a mais industrializada e urbanizada, tendo a economia muito desenvolvida.

Características

É na região Nordeste que se encontram rios muito importantes para o país, como o rio Parnaíba, o rio São Francisco e o rio Piranhas-Açu. Além disso, importantes hidrelétricas estão localizadas na região, como a Paulo Afonso, a Xingó e a Três Marias.

O turismo é muito importante para a vida financeira da região Nordeste, principalmente nos lugares cidades litorâneas. Também está presente na região o Porto Digital do Recife, que é o maior polo digital brasileiro, destacando-se grandemente na produção de softwares.

O Nordeste enfrenta um problema conhecido há bastante tempo: a seca, responsável pela miséria e também pela fome de muitas famílias. Por conta disso, criou-se, em 1985, o projeto de transposição do Rio São Francisco, sendo que a promessa é que as obras sejam entregues até 2017.

A região Nordeste é formada por planaltos, chapadas, depressões e uma pequena planície litorânea. Na região da depressão sertaneja encontram-se morros residuais, conhecidos como inselbergs, que se destacam na paisagem

A população é basicamente urbana. As cidades mais importantes são Salvador, Recife e Fortaleza.

Na economia nordestina destacam-se atualmente, além da agroindústria da cana-de-açúcar, as lavouras irrigadas de frutas para exportação no vale do São Francisco e a exploração de petróleo no litoral e na plataforma continental. Outro setor em crescimento acelerado é o turismo.

A partir da década de 1990, a produção industrial nordestina deu um grande salto. Até então, o que existia na região era um setor periférico, cujos ditames eram dados pelas necessidades do Sudeste. Predominavam indústrias tradicionais como as alimentícias, têxteis, de processamento de couro, entre outras.

Agora, é possível observar outra realidade. Especialmente nas capitais da Bahia, Pernambuco, Paraíba e Ceará, há um crescente aglomerado fabril produzindo autopeças, produtos petroquímicos, softwares, componentes eletrônicos, roupas e calçados modernos. Nos dois últimos segmentos, o Nordeste já ocupa a posição de segundo maior produtor nacional.

Diversos fatores vêm tomando o Nordeste atraente para as empresas: além de benefícios fiscais, a região se encontra mais próxima dos Estados Unidos e da Europa, dois potenciais mercados consumidores, além de dispor de mão-de-obra abundante e barata.

Em Recife, há uma das mais bem-sucedidas experiências de transformação espacial pela mudança no uso de terrenos na cidade. A antiga zona portuária estava degradada, com inúmeros galpões abandonados e altos índices de criminalidade. Surgiu a ideia de aproveitar a infraestrutura existente no local, transformando-a numa área industrial. Assim nasceu o tecnopolo de Recife, dedicado à produção de componentes eletrônicos.

Autoria: Helana Garcia

Veja também: