Home » Geografia » Xisto Betuminoso

Xisto Betuminoso

Tecnologia de Xisto

Criada em 1954, a Superintendência Industrial de Xisto (SIX) da Petrobrás atua como um centro de desenvolvimento de tecnologia, inicialmente para o aproveitamento do xisto e, desde 1991, em outros projetos, principalmente na área de refino.

Com a implantação do Programa de Desenvolvimento de Tecnologias Estratégicas de Refino (Proter), a SIX passou também a trabalhar nas áreas de craqueamento catalítico, desasfaltação, hidrogenação e no desenvolvimento de novas rotas para o aproveitamento do coque e do resíduo asfáltico.

Além disso, o SIX desenvolveu e patenteou uma tecnologia para a incineração de resíduos oleosos. Operacionalmente simples, esta alternativa tem a vantagem da queima simultânea de diversos combustíveis, aliadas ao baixo custo de construção e manutenção. Vários projetos da SIX estão sendo desenvolvidos em conjunto com as universidades.


 

Tirando Óleo da Pedra

O Brasil tem um dos maiores volumes mundiais de xisto: reservas de 1,9 bilhão de barris de óleo, 25 milhões de toneladas de gás liquefeito, 68 bilhões de metros cúbicos de gás combustível e 48 milhões de toneladas de enxofre só na formação Irati, nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Goiás.

A Petrobrás concentra suas operações na jazida de São Mateus do Sul, onde o minério é encontrado em duas camadas: a camada superior de xisto com 6,4 metros de espessura e teor de óleo de 6,4%, e a camada inferior com 3,2 metros de espessura e teor de óleo de 9,1%.

A primeira extração de xisto no Brasil aconteceu em 1884, na Bahia. Em 1935, em São Mateus do Sul, Paraná, uma usina instalada por Roberto Angewitz chegou a produzir 318 litros de óleo de xisto por dia. Em 1949, o governo federal decidiu investigar cientificamente as potencialidades do xisto e a viabilidade econômica de sua industrialização. Um ano depois, era criada a Comissão de Industrialização do Xisto Betuminoso (CIXB), para estudar a construção de uma usina na cidade de Tremembé, em São Paulo, com capacidade para produzir 10 mil barris diários de óleo de xisto.

Com a criação da Petrobrás em 1953, o acervo da CIXB foi incorporado à Companhia e, em 1957/1958, os técnicos da Petrobrás desenvolveram um novo processo de transformação de xisto que recebeu o nome de Petrosix. Hoje, esse processo é reconhecido mundialmente como o mais avançado no aproveitamento industrial do minério.

Em 1972, entrava em operação a Usina Protótipo do Irati (UPI), que viria comprovar a viabilidade técnica do processo Petrosix, além de testar equipamentos e levantar dados básicos para projetos de usinas industriais. O processo de consolidação da tecnologia Petrosix chegaria ao fim em dezembro de 1991, quando entrou em operação o Módulo Industrial (MI), em plena escala.

A SIX processa diariamente 7.800 toneladas de xisto betuminoso, que geram 3.870 barris de óleo de xisto, 120 toneladas de gás combustível, 45 toneladas de gás liquefeito de xisto e 75 toneladas de enxofre.

O Potencial econômico do município de Pântano Grande está baseado na Exploração de minérios, uma vez que o solo é rico em calcário, caulim, quartzo, xisto betuminoso, carvão, barro refratário, entre outros minerais. Mas, também não menos importante é a Agricultura e Pecuária de nossa cidade. Veja na agricultura de Pântano Grande tem um bom desenvolvimento a maior parte dos agricultores têm assistência especializada e lavouras mecanizadas.


Vista de uma jazida de argila. Em algumas jazidas o processo de extração ainda é manual

Autoria: Willian Fachinet

Veja também:



Comente!

Receba novidades

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados: Proibida a reprodução sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98)

O Cola da Web auxilia sua vida escolar e acadêmica ajudando-o em suas pesquisas e trabalhos. O Cola da Web NÃO faz a venda de monografia e É TOTALMENTE CONTRA a compra de trabalhos prontos, assim como, NÃO APOIA e NÃO APROVA quem deseja comprar Trabalhos Prontos, por isso nós incentivamos o usuário a desenvolver por conta própria o seu trabalho escolar, TCC ou monografia.
R7 Educa‹o