Curiosidades

Samurais

Os samurais formaram o maior corpo militar da história do Japão. Criados como guerreiros, eles logo se tornaram a distinção de uma classe social dentro do Império japonês e suas habilidades e bravura são lembradas e citadas até os dias atuais.

Origem e história

Os samurais, também conhecidos como bushis, surgiram no Período Heian e ampliaram seu poder durante o Período Kamakura, passando a fazer parte da mais alta camada social do Japão, participando, inclusive, da administração da Corte imperial.

Eles surgiram em função do aumento da violência e a ausência da proteção policial nas zonas rurais mais afastadas, os samurais eram guerreiros encarregados de proteger as terras e a vida dos chefes de clã.

Entre 1185 e 1333, a administração do Estado, que estava nas mãos da aristocracia da Corte, passou para o controle dos militares samurais. Ini- cialmente, sob as ordens do líder militar Yoritomo Minamoto (1147 a 1189), foram criados cargos para manter a ordem pública e aumentar o poder central do império, como os shugo, espécie de delegados policiais lo- cais, e os jitô, coletores de impostos dos latifúndios do interior. Era o início do Período Kamakura, ou Shogunatos, composto por governos controlados por líderes militares, que se estendeu até a Revolução Meiji.

Durante o Período Edo (1603-1868), sob o comando da família Tokugawa, diversas mudanças ocorreram, entre elas a criação do corpo militar de samurais. Neste momento, os Tokugawa proibiram, também, o culto à religião cristã e adotaram o sakoku, a política externa isolacionista, limitanto ao máximo o contato do país com outros povos e culturas.

Os samurais contribuíram e representaram para o Japão um período de glória, controle e unificação. Mas, depois de séculos e do fim do Período Edo, com a ascensão da dinastia Meiji, eles perderam sua hegemonia. Em 1873, o imperador extinguiu os samurais, sendo estes renomeados para shizoku (“famílias guerreiras”), perdendo alguns de seus privilégios, como portar armas em público.

Características

Ao se tornarem a força guerreira japonesa, os samurais começaram a seguir um código de honra conhecido como bushido (“o caminho do guerreiro”), um rigoroso código de conduta e lealdade, transmitido oralmente, baseado nas filosofias budista e confucionista e na religião xintoísta. A principal função do samurai era proteger as terras e o senhor feudal a quem jurava lealdade.

Esses guerreiros desenvolviam diversas habilidades durante o seu treinamento militar, sendo capazes de empunhar várias armas como punhais, arcos, flechas, lanças, leques de guerra (tessen) e espadas, sendo a katana a principal espada e instrumento de guerra. A katana tinha uma simbologia mística para os bushis, pois representava o elo entre o corpo do samurai e a sua alma.

Fotografia com quatro samurais.
Foto de samurais vestidos com armaduras kikko e portando arco e flecha, capacetes, espadas (katana), lanças (naginata) e brasões (kusari), por volta de 1880.

Ser um samurai não significava apenas cumprir uma função, mas sim fazer parte de um determinado grupo da sociedade. Para ser um samurai, dever-se-ia nascer dentro de uma família samurai. A sociedade japonesa era fortemente hierarquizada e mesmo os samurais eram divididos em mais de vinte categorias hierárquicas.

Muitas mulheres também foram samurais. Conhecidas como onna-bugeisha, essas guerreiras também seguiam o código bushido e treinavam para usar armas como a naginata, um instrumento de guerra composto de uma lâmina de aço curvada com uma grande haste de madeira. Uma famosa guerreira samurai foi Tomoe Gozen, que lutou na guerra Genpei durante o século XII.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: