Geografia do Brasil

Campos

O domínio dos campos ou das pradarias caracteriza a chamada região da estepe. O termo estepe, de procedência russa, foi empregado originalmente para designar o tipo de vegetação ou de paisagem dominado por gramíneas, característico da Europa e Ásia, e extrapolado para outras áreas mundiais, inclusive a tropical brasileira, por apresentar homologia ecológica.

Localização

Encontram-se campos na Região Norte, na forma de gramíneas intercaladas de arbustos (campos sujos) ou de predominância de gramíneas (campos limpos), nas terras firmes do Amazonas, de Roraima, do Amapá e da ilha de Marajó; no Maranhão, junto à Mata dos Co­cais, fazendo fronteira entre a flores­ta da Amazônia e a Caatinga; no Mato Grosso do Sul; no alto das serras de Minas Gerais, planaltos e chapadas de São Paulo e Paraná – campo de altitude, usualmente encontra­do acima de 1500 m; e na Região Sul, especialmente no sudoeste do Rio Grande do Sul – onde está a mais característica paisagem de campos brasileiros, que se estendem pelo Uruguai e pela Argentina.

Clima

A maior área de campos do Brasil está na região na Região Sul, área de domínio do clima subtropical, onde há predominância de clima úmido com verões quentes, devido às menores altitudes do Planalto Cristalino Sul-rio-grandense, e invernos frios com a existência de al­gumas estiagens no fim do ano.

Perfil dos Campos:

A área subtropical brasileira, onde as plantas são submetidas à dupla estacionalidade – uma fisiológica, provocada pelo frio das frentes polares, e outra seca, mais curta, com déficit hídrico -, apresenta uma homologia com a estepe, embora floristicamente seja diferente. O núcleo da estepe brasileira é a Campanha Gaúcha, formada principalmente pelos pampas gaúchos, região plana de vegetação aberta e de pequeno porte, semelhante à dos climas temperados, tal como o Pampa Argentino.

Campos no Rio Grande do Sul
Campos no Rio Grande do Sul (Pampas)

A Campanha Gaúcha é caracterizada por uma vegetação essencialmente campestre, que

cobre as superfícies conservadas do planalto e da depressão dos rios Ibucuí e Negro, com solos geralmente cálcicos – reflexo de um clima passado mais frio e árido.

Seus campos, de boa qualidade e com grande abundância de água, são o domínio das gramíneas, geralmente utilizadas para a criação de gado, às vezes em associação ao cultivo amplo de arroz, milho, trigo e soja. O intenso pastoreio e a utilização do fogo anual para a atividade agrícola tem alterado bastante a paisagem da estepe do Rio Grande do Sul. O manejo inadequado das terras da Campanha Gaúcha pode instalar processos de desertificação, principalmente porque, sendo aberta, a região apresenta características facilitando a ação dos ventos.

Os campos da Amazônia e do Meio-Norte caracterizam-se por áreas de florestas dominadas por palmeiras – formação definida como um ecossistema de transição pela especificidade de sua vegetação, com grande quantidade de buritis, oiticicas, babaçus e carnaúbas e palmeiras, das quais se extraem óleo e cera. Típicas de áreas onde as florestas nativas foram devastadas, as palmeiras desenvolvem-se livremente na região de campos.

Por: Renan Bardine

Veja também: