Geografia do Brasil

Biomas Brasileiros

A palavra pode parecer esquisita para alguns, mas o conceito é bem simples: biomas são grandes conjuntos de seres vivos adaptados a diferentes regiões do planeta. No Brasil, o Ibama define seis biomas principais – Amazônia, mata atlântica, pantanal, cerrado, caatinga e pampas.

A grande variedade de biomas no Brasil se deve à extensão territorial do país e à sua localização geográfica: o território estende-se por toda a Zona Tropical até a região de transição, subtropical, na região Sul.

Os biomas brasileiros sofrem intensa transformação pela ação humana. Alguns deles podem deixar de existir em pouco tempo. Outros enfrentam um processo acelerado de devastação, provocado pela ocupação cada vez maior do território.

Mapa dos biomas brasileiros.

Cerrado

O cerrado brasileiro tem 2.036.448 quilômetros quadrados de extensão, ocupa 22% do território brasileiro e está presente em cerca de dez estados, sendo predominante nos estados da região Centro-Oeste.

Bioma do cerrado.
Paisagem característica do cerrado.
  • Vegetação: a vegetação do cerrado é diversificada e composta por gramíneas, arbustos e árvores de pequeno porte. Há a predominância de espécies arbustivas, com raízes profundas, galhos retorcidos e casca grossa.
  • Fauna: a região apresenta fauna diversificada, com aproximadamente 837 espécies de aves e 161 espécies de mamíferos. O tamanduá-bandeira, uma das espécies do cerrado, atualmente está ameaçado de extinção.
  • Relevo: Encontramos uma grande variedade de relevos, apesar do predomínio dos planaltos. Metade da área coberta pelo Cerrado está entre 300 e 600 metros acima do nível do mar, e 5,5% encontram-se a uma altitude acima de 900 metros.
  • Clima: os climas são o tropical quente subúmido e o tropical continental. Uma estação seca e uma chuvosa. Temperaturas médias: de 22 ºC a 27 ºC. As chuvas se concentram no verão. No inverno, a região passa por cinco ou seis meses de seca.
  • Hidrografia: o cerrado é um grande divisor de águas. Abriga as nascentes de alguns dos principais rios do país, que alimentam bacias hidrográficas de outros biomas, como as bacias do São Francisco e do Paranaíba, principais fontes de água da caatinga. No cerrado, nascem os rios Paraguai e Paraná, principais redes fluviais que deságuam na Bacia do Prata, além dos principais rios da Bacia do Araguaia-Tocantins e do rio Xingu, pertencentes também ao bioma amazônico. Por essa característica, o cerrado é chamado de berçário dos rios.
  • Ameaças: o cerrado abriga enorme biodiversidade. Parte dela se encontra ameaçada pela atividade humana. O crescimento urbano, o avanço das fronteiras agrícolas e as atividades de mineração também são ameaças ao ecossistema.

Mata atlântica

Originalmente, a mata atlântica ocupava 1.110.182 quilômetros quadrados. Estendia-se por quase todo o litoral do Brasil, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, adentrando o território das regiões Sudeste e Sul. No entanto, atualmente, restam somente 8,5% da formação original.

A mata atlântica é um dos biomas com a maior biodiversidade do planeta. Aproximadamente 55% das espécies arbóreas e 40% das não arbóreas são endêmicas, ou seja, só existem na Mata Atlântica. São cerca de 8 mil espécies vegetais endêmicas. Isso ilustra a importância desse bioma para o planeta.

Bioma da mata atlântica.
Paisagem característica da mata atlântica.
  • Vegetação: a vegetação característica do bioma é a Floresta Ombrófila Densa, considerada o seu core, constituída por árvores de grande e médio porte em mata fechada. Também existem outros tipos de formações como a Floresta Ombrófila Aberta, caracterizada por árvores mais espaçadas e menor densidade arbustiva; a Floresta Estacional Semidecidual, apresentando um período marcadamente chuvoso e outro seco com vegetação distribuída irregularmente entre as florestas ombrófilas; e a Floresta Estacional Decidual, que apresenta um período de sete meses marcadamente seco, fazendo com que mais de 50% das árvores dominantes desse tipo de vegetação percam sua cobertura de folhas.
  • Fauna: Uma das maiores biodiversidades do planeta, apresenta ampla variedade de aves, répteis, anfíbios e peixes. E algumas dessas espécies são endêmicas – só existem lá.  Os animais mais conhecidos são o mico-leão-dourado, a onça-pintada, o bicho-preguiça e a capivara.
  • Relevo: composto predominantemente de mares de morros, formações de origem tectônica de milhões anos.
  • Clima: está associada ao clima quente e úmido, com maior volume e uniformidade de chuvas ocorrendo, principalmente, na costa das regiões Sul-Sudeste
  • Ameaças: Mesmo restando menos de 10% de sua área original, a mata atlântica ainda é ameaçada por atividades predatórias, como a extração de madeira, a pesca predatória, o comércio ilegal de espécies animais e a monocultura da cana-de-açúcar.

Caatinga

O bioma da caatinga localiza-se predominantemente na região Nordeste do Brasil. Ocupa uma área de 844.453 quilômetros quadrados, estendendo-se pelos estados do Ceará, da Bahia, de Alagoas, do Maranhão, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí, do Rio Grande do Norte, de Sergipe e do extremo norte de Minas Gerais, no Sudeste.

A vegetação da caatinga apresenta galhos retorcidos e raízes profundas, para acessar as camadas mais úmidas do solo. As árvores são espinhosas. Esse é um dos motivos de os sertanejos andarem paramentados com roupas e chapéu de couro, para evitar ferimentos ao passar pela vegetação.

Bioma da caatinga.
Vegetação característica da caatinga.
  • Vegetação: A vegetação desse bioma tem características xerofíticas, ou seja, vegetação seca caracterizada por 3 estratos principais: gramíneas, arbustos e árvores de porte baixo-médio (de três a sete metros de altura), caducifólias (com queda das folhas), plantas espinhosas, cactáceas e bromeliáceas. As plantas, na época da seca, ficam ressequidas e esbranquiçadas – daí seu nome (“caa” = erva, “tinga” = branca) –, perdem as folhas e mostram os galhos cheios de espinhos.
  • Clima: semiárido, com altas temperaturas e baixa pluviosidade.
  • Relevo: apresenta planaltos e depressões. O Planalto da Borborema é seu relevo mais característico, forma um grande paredão entre o litoral e o sertão, impedindo o avanço da umidade proveniente do Oceano Atlântico.
  • Solo: apesar de sua aparência seca e quebradiça sugerir o contrário, o solo é fértil para a produção agrícola desde que haja disponibilidade de recursos hídricos.
  • Hidrografia: por estar em uma região semiárida, o bioma da caatinga é banhado por muitos rios intermitentes, isto é, rios temporários, que secam no período em que não há incidência de chuvas. Em algumas regiões, esse período pode durar anos. Os rios permanentes que banham a caatinga não nascem neste bioma, e sim em outras regiões. É o caso do Rio São Francisco, que nasce na Serra da Canastra, em Minas Gerais, e percorre grande extensão do semiárido nordestino, onde se localiza a caatinga.
  • Ameaças: assim como todos os biomas do Brasil, a caatinga sofre com a ameaça do desmatamento. No entanto, para esse bioma, a situação é ainda mais grave, pois a retirada da vegetação originária sem o manejo do solo, em uma região semiárida, acelera o processo de desertificação. A retirada de madeira para a produção de carvão vegetal, que será usado em fábricas e siderúrgicas, é responsável por cerca de 45% da devastação da caatinga. A falta da cobertura vegetal provoca a extinção de espécies da fauna e da flora e a degradação do solo.

Pantanal

O pantanal ocupa, além do território brasileiro, os territórios da Bolívia e do Paraguai. É considerado uma das maiores planícies inundáveis do planeta. Dos biomas brasileiros, é o que apresenta menor extensão territorial, cerca de 150.355 quilômetros quadrados, correspondendo a 1,7% do território do país.

Esse bioma conta com enorme biodiversidade e é o mais preservado do país. Por essa razão, é considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Bioma do pantanal.
Paisagem característica do pantanal.
  • Vegetação: apresenta variedade e recebe influência dos biomas da Amazônia, do Cerrado e da Mata Atlântica. Florestas densas intercalam-se com campos de pastagens, cerrados e a vegetação dos rios – os aguapés –, verdadeiros filtros que retêm as impurezas das águas.
  • Fauna: no Pantanal há muitas espécies animais: capivaras, tartarugas, sucuris, lobos-guarás e uma infinidade de aves. Muitos estão em extinção: a onça-pintada, o mico-leão-dourado, o veado-campeiro, periquitos e tucanos. Embora conte com mais de 32 milhões de jacarés, o Pantanal tem no tuiuiú, ave com 2,5 metros de envergadura, seu maior símbolo.
  • Clima: o clima tropical fica caracterizado por altas temperaturas e variação entre estações secas e chuvosas.
  • Hidrografia: por ser uma região de planície, os rios do pantanal são navegáveis e muito utilizados para o transporte e a pesca. O bioma é banhado por três grandes bacias: amazônica, do Prata e do Tocantins-Araguaia.
  • Ameaças: mesmo sendo o bioma mais preservado do Brasil, o pantanal sofre ameaças constantes, como as que atingem sua fauna. A ocupação territorial do Centro-Oeste também contribui para a devastação da área, com a abertura de rodovias e a poluição dos rios por indústrias e pelo garimpo. Nas últimas décadas, o bioma tornou-se um dos principais destinos do ecoturismo, mas a maioria das atividades turísticas é realizada sem planejamento ambiental, o que provoca impacto direto na fauna e na flora pantaneiras.

Amazônia

A Amazônia é o maior bioma do Brasil e é considerada a maior floresta tropical do planeta. Abrange uma área equivalente a 6,9 milhões de quilômetros quadrados. Desse total, 4.196 943 km2 estão em território brasileiro. Ocupa, além do Brasil, áreas da Guiana Francesa, do Suriname, da Guiana, da Venezuela, da Colômbia, do Equador, do Peru e da Bolívia. O bioma tem numerosos recursos naturais, como madeira, borracha, castanhas, peixes e minérios.

A fauna amazônica é umas das mais diversas do planeta. No entanto, é preciso ressaltar que a Amazônia constitui um sistema autorregulável, um equilíbrio sensível entre a vegetação, o solo e a fauna. Qualquer interferência produz efeitos catastróficos, como a desertificação provocada pela retirada da floresta, já que seu solo é pobre e arenoso. O que garante o vigor de sua formação vegetal é a própria floresta, que fornece os resíduos vegetais que alimentam o solo.

Bioma da Amazônia.
Paisagem característica da Amazônia.
  • Vegetação: diversificada, apresenta formações diferentes em matas de várzea (inundada apenas no período de cheias dos grandes rios, com mata fechada com árvores de até 20 m), igapó (floresta constantemente alagada com plantas de pequeno porte) e terra firme (distante dos grandes cursos d’água com árvores muito altas de até 60 m).
  • Fauna: a Amazônia é considerada a maior reserva de biodiversidade do mundo.
  • Clima: equatorial, com alto índice pluviométrico. Essa característica faz com que a floresta apresente áreas constantemente alagadas, áreas alagadas durante um período do ano e áreas de maior altitude não alagadas,
  • Relevo: a Amazônia caracteriza-se por regiões de planície, com altitude média de 10 m, e poucas grandes montanhas. Na Amazônia Legal estão os três mais altos picos brasileiros: o Pico da Neblina, com 3.014 m de altitude; o Pico 31 de Março, com 2.992 m; e o Monte Roraima, com 2.875 m.
  • Solo: apresenta solo arenoso e pobre em nutrientes, mas rico em matéria orgânica.
  • Hidrografia: no bioma amazônico, encontra-se a maior bacia hidrográfica do mundo. No Brasil, essa bacia ocupa cerca de 4 milhões de quilômetros quadrados. Nela estão 10 dos maiores rios do planeta, entre eles o Rio Amazonas.
  • Ameaças: a Amazônia é hoje um dos biomas mais ameaçados do planeta. Além de sua riqueza vegetal, que é alvo da exploração de madeireiras, há a riqueza mineral. O território conta com as maiores reservas minerais do mundo, tanto de metais preciosos, como o ouro, quanto de minerais com grande importância industrial, como a bauxita (matéria-prima do alumínio).

Pampas

Conhecido como pampas ou pradarias, este bioma se localiza no Sul do Brasil, em territórios da Argentina e do Uruguai. Apresenta uma área de 700 mil quilômetros quadrados. No Brasil, o pampa é encontrado somente no Rio Grande do Sul e ocupa cerca de 2% do território brasileiro.

Bioma dos pampas.
Paisagem característica dos pampas.
  • Vegetação: nos pampas há uma variedade de paisagens, como: campos limpos, em que predominam as gramíneas (estepes); florestas estacionais, que correspondem às matas ciliares; matas de encosta e vegetação arbustiva e de árvores incidentais, de pequeno e médio portes.
  • Solo: fértil, de origem magmática (terra roxa).
  • Relevo: planícies e planaltos (coxilhas). Com um relevo diverso, os pampas destacam-se por sua morfologia de vastas planícies e planaltos sedimentares, que formam uma cadeia de morros, chamada regionalmente de coxilhas, com solos muitos férteis.
  • Clima: subtropical. Temperaturas altas no verão e baixas no inverno. Chuvas distribuídas durante todo o ano.
  • Ameaças: cerca de 54% da área original dos pampas foi devastada, em parte para o desenvolvimento das atividades agrícolas, principalmente da produção de soja. Além desse fator, há o impacto da ocupação humana e do uso não sustentável do território.

Veja também: