Ecologia

Ecossistemas Brasileiros

No Brasil encontramos uma megadiversidade biológica, que abrange diferentes ecossistemas e faixas de transição ou fronteiras zonais com espécies exclusivas dessas zonas. A disposição dos ecossistemas brasileiros forma um grande patrimônio natural, em que se destacam os ecossistemas costeiros, a Mata Atlântica, o Cerrado, o Pantanal, a Caatinga e a Amazônia.

Floresta Amazônica

A Floresta Amazônica também pode ser denominada equatorial, tropical, pluvial e hileia. Ocupa as áreas de clima equatorial, que apresentam temperaturas altas o ano todo e elevados índices pluviométricos.

É uma floresta formada por espécies vegetais adaptadas a elevada umidade (ombrófila), que apresentam folhas largas (latifoliadas) e que não caem totalmente durante o ano (perenes).

Trata-se de uma formação vegetal densa ou fechada, com árvores de grande porte, cujas copas se entrelaçam continuamente. Apresenta enorme diversidade de espécies vegetais e animais, rica em lianas (cipós) e epífitas (plantas que sobrevivem sobre outras plantas como orquídeas e bromélias).

Costuma-se dividir a Floresta Amazônica em mata de igapó, mata de várzea e mata de terra firme.

  • A mata de igapó é permanentemente alagada e ocupa uma pequena parcela da floresta; na superfície das águas, destacam-se as folhas da vitória-régia.
  • A mata de várzea é periodicamente alagada e estende-se por 55 mil km2 da Amazônia; a seringueira (Hevea brasiliensis) é típica dessa formação vegetal.
  • A mata de terra firme ou caaetê ocupa a maior parcela da Floresta Amazônica e não é alagada. Apresenta árvores de grande porte, com destaque para a castanheira, maçaranduba, acapu, cedro, caucho e sumaúma. É cortada por pequenos cursos d’água denominados igarapés, que são fundamentais para o deslocamento dos povos que vivem na floresta.

Mata Atlântica

A formação vegetal original estendia-se do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, recobrindo principalmente os Mares de Morros. Em alguns trechos ocupava extensas áreas dos planaltos e chapadas da bacia do Paraná (500 km do litoral).

Por estender-se para a zona temperada sul (clima subtropical), é denominada azonal, isto é, não ocupa uma zona específica ou definida.

Suas principais características são semelhantes às da Floresta Amazônica.

Mata de Araucárias ou dos Pinhais

É a formação vegetal típica dos planaltos e serras onde predomina o clima subtropical úmido, na Região Sul do Brasil. Na Região Sudeste (SP, RJ, MG e ES), o fator determinante para a sua presença é a altitude (acima de 1 200 m), em decorrência da menor latitude.

Seu nome é derivado da Araucaria angustifolia (pinheiro). A vegetação com folhas em forma de agulha faz com que ela seja classificada como floresta aciculifoliada. Dessa formação vegetal, era extraída a erva-mate, que atualmente é cultivada, abaste- cendo as famílias que têm o hábito de tomar chimarrão.

Mata dos Cocais

Está localizada entre a Caatinga a leste, a Floresta Amazônica a oeste e o Cerrado ao sul. Estende-se por vários estados nordestinos, com destaque para o Maranhão e o Piauí. Nela, predominam palmáceas, em especial o babaçu e a carnaúba.

O lenho do babaçu é utilizado na construção de casas e as folhas servem de cobertura. O leite do babaçu e o óleo prestam-se à alimentação. De sua casca extrai-se o carvão. O óleo é também utilizado na culinária e na composição de alguns biocombustíveis. É necessário destacar a coleta do coco do babaçu, que é uma importante atividade de inclusão social das “catadoras do coco-babaçu”.

A carnaúba, cujo apelido é “árvore da vida”, fornece a cera que é extraída das folhas, a qual, após ser purificada, é utilizada como impermeabilizante e na produção de velas, papel-carbono e cápsulas de medicamentos.

Cerrado

Os Cerrados pertencem ao bioma da Savana e são encontrados principalmente no Brasil Central.

Apresentam árvores de pequeno porte, espaçadas, com troncos e ramos tortuosos (escleromorfismo oligotrófico), casca grossa, raízes profundas e um estrato arbustivo herbáceo.

Durante o período seco (inverno), são frequentes, nesse bioma, as queimadas e incêndios. Os solos, bastante ácidos, são profundos e predominantemente arenosos e argilo-arenosos.

Campos

Nos campos, predomina a vegetação herbácea contínua, formada por gramíneas e entremeada por matas galerias. Ocupam principalmente a região de relevo com topos arredondados (coxilhas) na porção meridional do Rio Grande do Sul (pampa, campanha gaúcha, estância).

Na Região Norte, os campos são denominados campos de hileia ou campos inundáveis e são encontrados nos estados de Roraima, Amapá e Pará (Ilha de Marajó).

A principal atividade econômica desenvolvida nos campos é a pecuária extensiva.

Caatinga

São típicas do Sertão nordestino. Formadas basicamente por espécies vegetais adaptadas a longos períodos de estiagem (seca), conhecidas como plantas xerófilas. Em geral, as plantas da Caatinga perdem suas folhas durante a seca para evitar a perda de água. Outras armazenam água. São encontradas plantas arbóreas, mas predominam as arbustivas e herbáceas.

Pantanal

O Pantanal é considerado a maior planície alagável do mundo. São as cheias e as vazantes dos rios da região, como o Paraguai, São Lourenço, Taquari entre outros, que conduzem a vida da região. É formado por um mosaico de formações vegetais: matas, cerrados, campos, palmáceas, vegetação flutuante (vitó- ria-régia) e xerófilas, daí a denominação Complexo do Pantanal.

Ecossistemas costeiros

Mangues

Estendem-se de maneira descontínua do litoral do Amapá, onde são expressivos, até Santa Catarina.

Nos bosques de mangues, existem árvores de médio porte e troncos finos, halófilos, ou seja, que se adaptam à grande quantidade de sal, e higrófilos, que se adaptam a ambientes úmidos. Apresentam raízes aéreas, como os pneumatóforos (raízes respiratórias). A riqueza em matéria orgânica favorece a procriação de peixes e crustáceos.

Restingas

Por todo litoral brasileiro surgem cordões arenosos cobertos por sedimentos marinhos, denominados restingas. Quando estão junto a linha da praia, são recobertas por uma vegetação rasteira com um amplo sistema de raízes. Após essa faixa há uma tendência de adensamento da vegetação, aumentando a proliferação de bromélias, chegando a se formar uma floresta um pouco menos exuberante do que a Mata Atlântica.

Mapa do Brasil com os ecossistemas brasileiros demarcados.
Localização dos ecossistemas brasileiros.

Bibliografia

  • ROSS, Jurandyr S. L. Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp, 1996.
  • AB’ SABER, Aziz Nacib. Brasil: Paisagens de exceção. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: