Ecologia

Biomas Terrestres

É possível identificar, a partir das particularidades naturais, grandes ecossistemas terrestres onde estão presentes os seres vivos e o meio abiótico. A esses grandes conjuntos damos o nome de biomas terrestres.

Por meio do estudo dessas variações, podemos entender como as condições naturais e especialmente as climáticas condicionaram o aparecimento de um bioma. Portanto, cada grande região climática da Terra apresentará paisagens naturais típicas.

Os principais biomas terrestres são: tundra, taiga, floresta temperada, floresta tropical, campos, vegetação mediterrânea, savanas e desertos:

Tundra

A tundra corresponde a uma faixa de transição entre a floresta boreal e a calota polar. Abrange áreas do extremo norte da América, Europa e Ásia. Também pode ser encontrada em áreas de grande altitude (tundra alpina).

Apresenta associações de musgos e líquens (vegetação rasteira) que só aparecem nos curtos períodos de verão.

O permafrost, camada congelada do solo logo abaixo da superfície, associado ao rigor climático, impede a formação de raízes e o estabelecimento de formações vegetais de maior porte. Serve de pastagem natural para animais nativos da região.

Tundra.
Tundra: Vegetação de pequeno porte condicionada aos rigores climáticos de áreas muito frias.

Taiga ou floresta boreal

Também conhecida por floresta de coníferas. É pouco diversificada em espécies, predominando árvores de até 20 metros de altura e copas em forma de cones.

Sua presença marcante está no hemisfério Norte, especialmente na Europa Setentrional (Noruega, Suécia e Finlândia), na Rússia, no Canadá, nos EUA e no Extremo Oriente (Japão e China).

Os invernos longos e rigorosos dessas regiões setentrionais e a baixa pluviosidade explicam a pequena diversidade de espécies.

A exploração comercial dessa mata é bastante intensa para a produção de papel e celulose e para a construção civil. O Canadá, por exemplo, é o maior produtor mundial de papel-jornal.

Taiga.
Taiga. Invernos longos com precipitação em forma de neve recobrem a vegetação em grande parte do ano.

Floresta temperada

Localizam-se nas regiões temperadas em grandes extensões da América do Norte e Eurásia. As áreas onde ocorrem apresentam quatro estações climáticas bem definidas e precipitação de até 1.500 mm/ano.

Uma de suas peculiaridades é a queda de suas folhas (vegetação decídua) no outono e no inverno.

Atualmente, encontra-se muito alterada pela ação humana já que grandes extensões de sua área de ocorrência cederam lugar à prática agrícola e à urbanização.

Bosque europeu.
As florestas temperadas apresentam maior variedade de espécies que a taiga.

Floresta tropical

São matas, com árvores de folhas largas (latifoliadas), que aparecem na zona intertropical do planeta, notadamente na América do Sul, na África Central e no Sudeste Asiático. Nas regiões de clima quente e úmido, há grande diversidade.

Calcula-se que para cada 10 mil m2 dessas regiões existam mais espécies vegetais que em todas as florestas frias do mundo.

É uma vegetação em que as árvores de maior porte, com cerca de 30 metros de altura, formam um dossel recobrindo os estratos mais baixos, constituídos por arbustos, árvores menores e vegetação rasteira.

Os solos nessas regiões são muito frágeis e profundos, a ponto de que, quando expostos à ação do tempo, em função do desmatamento, são facilmente lixiviados. No horizonte superior desse solo se forma uma camada rica em matéria orgânica.

Algumas florestas tropicais estão localizadas em áreas mais distantes do Equador, como é o caso das matas tropicais na América do Sul e no Sudeste Asiático.

Floresta equatorial na ilha de Santa Cruz.
As florestas tropicais apresentam-se densas e fechadas.

Pradarias ou campos

São áreas cobertas por uma vegetação herbácea, que aparece em regiões temperadas dos hemisférios Norte e Sul. No hemisfério Norte, as pradarias são típicas nas planícies centrais americanas e canadenses, onde não raramente se desenvolvem atividades agrícolas. Em terras europeias, são comuns na Rússia e na Ucrânia onde existe um solo negro de alta fertilidade natural chamado tchernoziom.

Já no hemisfério sul, elas aparecem com menor frequência na Argentina, no Brasil e na Austrália. Nessas regiões meridionais, está muito associada tanto à agricultura como à pecuária.

Pradarias.
Bisão nas pradarias norte-americanas.

Vegetação mediterrânea

Essa paisagem vegetal é típica de regiões onde as chuvas são escassas, em uma parte do ano (verão), como no sul da Europa, nos extremos sul e norte da África, no sul da Austrália, no litoral do Chile e no sudoeste dos EUA.

Apresentam uma vegetação arbustiva baixa e recebem vários nomes regionais em várias partes do mundo: maquis, fynbos (África do Sul), chaparral (Estados Unidos), matorral (Chile), garrigue e machia (Europa).

As principais áreas remanescestes são encontradas nos locais que margeiam o mar Mediterrâneo.

Vegetação mediterrânea.
Os maquis e garrigues da Europa Mediterrânea.

Savanas e cerrados

Típica vegetação dos climas tropicais onde existem duas estações climáticas bem definidas (verão chuvoso e inverno seco). É uma paisagem arbóreo-arbustiva.

As árvores apresentam casca grossa, troncos finos e retorcidos e são entremeadas por gramíneas. Os solos das savanas são geralmente ácidos e necessitam ser corrigidos para a utilização agrícola. Esse bioma está presente na África tropical, na América do Sul e na Austrália.

Savanas.
Savanas: vegetação em sintonia com o clima tropical.

Desertos

Esses biomas se caracterizam por apresentar baixos índices pluviométricos. Podem ocorrer tanto em regiões tropicais como em climas frios. A vegetação é rala, na qual os cactos são predominantes.

Essas regiões geralmente estão próximas às linhas dos trópicos e perdem umidade através dos ventos alísios e da ação das correntes marinhas frias.

Exemplo de deserto.
Deserto de Sonora Figura no sudoeste (Arizona/Califórnia) dos EUA.

Veja na figura abaixo uma distribuição geral dos biomas terrestres e a variação da vegetação com a latitude e altitude.

Distribuição dos biomas terrestres conforme a altitude e latitude.

Por: Renan Bardine

Veja também: